Arqueólogos acreditam ter encontrado local do julgamento de Jesus

Segundo estudiosos, os relatos arqueológicos, históricos e religiosos apontam para o local da descoberta como sendo o palco de uma das cenas mais conhecidas do Novo Testamento
Arqueologos-acreditam-ter-encontrado-local- do-julgamento-de- Jesus-Fotolia_62264433
O possível local do julgamento de Jesus foi encontrado ao lado do Museu da Torre de Davi. Imagem: Fotolia
Após 15 anos de escavações, uma equipe de arqueólogos, liderada por Amit Re’em, afirma ter encontrado sob o piso de um prédio abandonado em Jerusalém as ruínas do palácio de Herodes. Estudiosos de outras partes do mundo acreditam na autenticidade da descoberta. Em entrevista ao jornal Washington Post, o professor de arqueologia da Universidade da Carolina do Norte, Shimon Gibson, afirmou que os relatos arqueológicos, históricos e religiosos realmente indicam que esse lugar deve ser o palco de uma das cenas mais conhecidas do Novo Testamento. O suposto local do julgamento de Jesus, que fica ao lado do Museu da Torre de Davi, deve se tornar um novo ponto de visitação para cristãos de todo o mundo e já está aberto para passeios guiados.

Até então, acreditava-se que o julgamento de Jesus teria ocorrido na Fortaleza Antônia, atualmente com suas bases visíveis e abertas para visitação debaixo do mosteiro das irmãs de Sião. A Via Dolorosa, tradicional caminho de peregrinação cristã, começa ali e termina na igreja do Santo Sepulcro.  Mas estudos das bases visíveis da Fortaleza Antônia tem revelado uma estrutura muito pequena (com aproximadamente 90 x 40 metros) para ser o lugar em que Cristo foi condenado à crucificação. Ela parecia funcionar mais como torre, ou base de visualização do que acontecia no templo, uma vez que estava construída sobre um afloramento rochoso a noroeste da esplanada do templo de Herodes. Basta lembrar que quando Paulo é preso depois do tumulto causado por sua visita ao templo, ele é conduzido diretamente para essa fortaleza (Atos 21:34). Esse ambiente não oferecia o espaço e o conforto necessários e tão apreciados pelas autoridades romanas como se pode ver ainda hoje no sítio arqueológico de Cesaréia Marítima – também construída por Herodes com o intuito de ser residência fixa dos governadores romanos em Israel naquela época.

Por outro lado, as escavações no palácio de Herodes revelaram a estrutura de um complexo mais amplo. O local era composto de muitos prédios com várias finalidades, além de funcionar como residência do governador romano por ocasião de suas visitas durante a Páscoa. Restos de um possível portão encontrado em escavações realizadas na década de 1970 na muralha ocidental da cidade velha de Jerusalém foram identificados juntamente com uma escadaria que permitia acesso a uma plataforma retangular no interior do palácio. Poderia ser esse o lugar do conhecido “Gábata” ou “Pavimento” citado por João em João 19:13.  Por isso, segundo opiniões mais recentes, este lugar se encaixa mais com os relatos do evangelho sobre o julgamento de Jesus.

MARCELO REZENDE é formado em Teologia e guia expedições turísticas à Terra Santa

Check Also

A-privatização-da-fé-slider

A privatização da fé

Entenda por que ela foi confinada à vida particular e de que maneira pode voltar a exercer maior relevância na esfera pública.