Orar antes de pregar

Adventistas oram e jejuam em preparação para os grandes projetos missionários do ano
Em dois auditórios, tradicional vigília na Faculdade Adventista da Bahia reuniu 4 mil jovens de Salvador no dia 28 de fevereiro. Foto: Ellen Melo
Em dois auditórios, tradicional vigília na Faculdade Adventista da Bahia reuniu 4 mil jovens de Salvador no dia 28 de fevereiro. Foto: Ellen Melo

A cada ano, a liderança sul-americana da Igreja Adventista tem desafiado os membros a orar de modo mais intenso e sistemático. O projeto tem contemplado também a disciplina espiritual do jejum. Durante dez dias, de 19 a 28 de fevereiro, centenas de milhares de adventistas clamaram a Deus por uma ação mais poderosa do Espírito Santo e pela capacitação para a missão. O período, encerrado com um jejum de dez horas no sábado, dia 28, marcou um tempo de preparação da igreja para os grandes projetos missionários do ano.

“Caminhadas de oração, correntes de intercessão em horários específicos, tendas comunitárias, igrejas abertas durante os dez dias e divulgação de conteúdo nas redes sociais alcançaram grandes resultados”, enumera Wiliane Marroni, coordenadora do projeto.

NORTE E NORDESTE

De norte a sul e leste a oeste do Brasil o assunto entre os adventistas foi oração. Iniciativas internas e externas mobilizaram os membros e envolveram a comunidade. Em Marituba, líderes e funcionários da sede da igreja no norte do Pará estiveram empenhados na corrente de oração, no jejum e na leitura da revista do projeto. No Acre, onde foi decretado estado de calamidade pública devido à enchente histórica, o parque de exposições de Rio Branco serviu de abrigo público para as famílias desalojadas e ponto de oração em favor das vítimas das chuvas.

A ideia é que o projeto sirva de pontapé inicial para uma experiência contínua de oração individual e coletiva

Em Juazeiro, na Bahia, 2 mil pessoas caminharam pelo centro orando com a população, distribuindo livros missionários e abraços. Até trio elétrico fez parte da atividade. Em Vitória da Conquista, mais de 300 jovens foram espalhados em hospitais, rodoviária e feiras livres. Na Faculdade Adventista da Bahia, em Cachoeira, mais de 4 mil pessoas, em dois auditórios, participaram de sete horas de vigília. O evento reuniu jovens de Salvador e marcou o encerramento do projeto no dia 28 de fevereiro.

No centro-sul de Sergipe, o programa motivou membros e o pastor a visitar autoridades. “Acredito ser muito importante ter ocasiões de oração como essa. Alivia o estresse do cotidiano”, disse Marival Santana, prefeito de Simão Dias. Além dele, mais cinco servidores do gabinete e o vice-prefeito receberam literatura adventista.

SUL

No lançamento do projeto na Igreja Central de Porto Alegre (RS), as famílias receberam uma cópia da revista Reavivados Pela Oração, uma compilação de citações de Ellen White preparada pela sede sul-americana da igreja. Com a revista em mãos, cerca de 50 membros participaram todos os dias, às 6h30, de um culto na igreja seguido de um desjejum.

Em Rio Negro (PR), os fiéis da Igreja de Bom Jesus elegeram um restaurante como alvo das orações. Os descansos de pratos colocados nas mesas continham informações sobre o projeto e ofereciam orações aos clientes. Além disso, outro grupo visitou o hospital da cidade e uma clínica de reabilitação. “A oração preenche o vazio do nosso coração. Eu cheguei aqui desanimado, e a atitude dessas pessoas me deixou feliz”, contou Ivan Dittrich, que está na clínica há três meses.

Já o testemunho de Gracielle de Moura é um exemplo da importância de as ações extrapolarem os muros da igreja. Ela resolveu ir ao shopping com o filho e, ao chegar lá, foi convidada a orar. “Entrei na tenda e as meninas oraram comigo. Depois, convidaram-me para passar a tarde com o grupo e aceitei. Achei interessante, nunca tinha visto uma igreja assim”, conta Gracielle.

MÁRCIA EBINGER é assessora de comunicação da sede sul-americana da Igreja Adventista

Check Also

A-privatização-da-fé-slider

A privatização da fé

Entenda por que ela foi confinada à vida particular e de que maneira pode voltar a exercer maior relevância na esfera pública.