Teólogos reafirmam a relevância dos escritos de Ellen White para a igreja

Simpósio sul-americano foi encerrado com uma declaração de consenso

simposio-teologia-foto-2Reunidos por quatro dias no Unasp, campus Engenheiro Coelho, teólogos, editores, pastores e líderes votaram uma declaração de consenso no encerramento do 11º Simpósio Bíblico-Teológico Sul-Americano, em 4 de maio. O documento reafirma a relevância dos escritos de Ellen White, co-fundadora da Igreja Adventista do Sétimo Dia. O evento bienal teve como tema a vida, o ministério e os escritos da pioneira, no ano em que os adventistas celebram o legado da profetisa, falecida há exatos cem anos.

A declaração, disponível na íntegra aqui, confirma a confiança na legitimidade do ministério profético de Ellen White e destaca que seus escritos têm hoje a mesma autoridade que tiveram no período formativo da igreja. Por reconhecer a Bíblia como “única regra de fé e prática”, o grupo de teólogos acredita no ensino bíblico sobre a continuidade dos dons espirituais e enxerga em Ellen White a manifestação contemporânea do dom profético. Por isso, o documento afirma que “Deus abençoou sua igreja remanescente do tempo do fim com o dom de profecia”. No entendimento dos acadêmicos, os escritos de Ellen White ajudam a esclarecer a Bíblia e apelam para que os cristãos não se afastem dela.

Quanto às questões práticas, a declaração sugere que o texto de Ellen White seja interpretado buscando seu significado natural e considerando seu contexto histórico e literário. Reafirma também que a administração da igreja, sua metodologia missionária e a orientação sobre o estilo de vida de seus fiéis deve tomar como base a Bíblia e os escritos de Ellen White. O documento conclui com o compromisso do grupo de estudar e incentivar o estudo das orientações dela.

Devocionais

O resgate da valorização dos escritos de Ellen White entre os adventistas foi a tônica dos devocionais dirigidos pelo pastor Emilson dos Reis, diretor da Faculdade Adventista de Teologia do Unasp. Ele falou nas quatro manhãs do evento.

No domingo, dia 3, Emilson disse que se converteu ao ler o livro Patriarcas e Profetas nas madrugadas, enquanto trabalhava como monitor num internato. Ao refletir sobre a contribuição dessa e de outras obras da pioneira para sua vida, ele advertiu que os adventistas indiferentes aos escritos de Ellen White não entendem o que é ser adventista e o valor do dom profético.

“Nossa reação diante do dom profético deve ser de louvor e aceitação, porque ele representa a bênção de Deus sobre seu povo”, sugeriu, ao discorrer sobre o papel dos profetas em tempos de crise. No fim da mensagem de domingo, o pastor apelou para que a igreja leia, pregue e obedeça mais o dom profético.

Plenárias

Nessa direção, a proposta de algumas palestras plenárias mostrou que ainda há muito o que se estudar e sistematizar sobre o pensamento de Ellen White em relação às discussões de temas contemporâneos, como a relação do adventista com a política e princípios do estilo de vida. Quem tratou com propriedade do primeiro tópico foi o Dr. Márcio Costa, professor do curso de Teologia do Instituto Adventista Paranaense (IAP), e especialista em história do adventismo.

Márcio, que estudou os conselhos de Ellen White sobre a relação entre igreja e estado em sua tese doutoral na Andrews University (EUA), disse que a pioneira sugere uma aliança absoluta com Deus e sujeição pacífica ao estado, desde que isso não fira os preceitos da fé. “Ela reafirma nossa lealdade incondicional a Deus e a obediência condicional ao Estado”, resume. Quanto às discussões partidárias, de acordo com ele, a profetisa recomenda que a igreja-instituição mantenha o silêncio e zele pela neutralidade. No entanto, no que se refere aos debates que envolvam questões morais, causas importantes para os adventistas, a igreja deve se posicionar.

O tema do estilo de vida, especificamente conselhos sobre música e recreação, foi abordado pelo Dr. Daniel Plenc, professor do seminário da Faculdade Adventista da Amazônia (Faama). Segundo Plenc, mais do que pensar numa lista de restrições ou recomendações sobre recreação, devemos ler Ellen White em busca de princípios. “Equilíbrio, custo financeiro, promoção da saúde e moralidade são alguns princípios para a recreação nos escritos dela”, exemplifica o teólogo. É a profetisa também que diferencia recreação, atividades que cooperam para refazer as forças, da diversão, entretenimentos que promovam a mera fuga da realidade e o enfraquecimento da moralidade. Como recomendação geral para o lazer dos adventistas, Plenc sintetizou: “para ela, as atividades físicas ao ar livre são o melhor tipo de recreação”.

Realizados a cada dois anos, os simpósios bíblico-teológicos sul-americanos têm fomentado a reflexão e produção teológica, além de proporcionar intercâmbio entre os professores que lecionam nos seminários da América do Sul. As edições anteriores já debateram temas como teologia e metodologia da missão, a pessoa e obra do Espírito Santo e escatologia (estudo profético). As palestras de cada evento costumam ser publicadas na versão de artigos reunidos num livro. [Reportagem e fotos: Wendel Lima, equipe RA]

Check Also

Premiada-na-Espanha

Premiada na Espanha

Universitária adventista foi uma das vencedoras do Prêmio Internacional sobre Incêndios Florestais.