Educação baseada em valores é o caminho para melhorar a qualidade do ensino, dizem líderes mundiais

Tema foi tratado no Encontro Nacional de Educadores Adventistas, realizado pela Casa Publicadora Brasileira entre os dias 22 e 25 de maio

Encontro-Nacional-de-Educadores-Adventistas-2
Encontro reuniu departamentais de educação e coordenadoras pedagógicas das sedes administrativas adventistas de todo o Brasil. Foto: Daniel de Oliveira
No mesmo dia em que terminava o Fórum Mundial de Educação, organizado pela Unesco em Incheon, Coréia do Sul, entre os dias 19 e 22 de maio, começava o Encontro Nacional de Educadores adventistas em São Paulo. Embora distantes geograficamente e com agendas distintas, os dois eventos tiveram pelo menos um ponto em comum: a discussão sobre a importância de uma educação focada em valores.

Isso ficou claro no discurso do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, durante a abertura do Fórum. Na ocasião, ele ressaltou que a educação vai além da proficiência em matemática, língua e ciências. “É preciso uma educação dedicada também aos valores”, argumentou.

Em entrevista concedida ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional de Brasília, sobre o evento que reuniu ministros de educação de 150 países, a coordenadora de Educação da Unesco no Brasil, Rebeca Otero, também disse que um ensino de qualidade envolve uma formação holística. “Educação de qualidade não vislumbra apenas a aprendizagem, mas contempla diversos aspectos, formando a pessoa no seu todo, como um cidadão com valores”, considerou.

A preocupação da liderança do planeta em discutir valores na educação foi motivo de reflexão no programa de encerramento do Encontro Nacional de Educadores Adventistas na última segunda-feira, 25 de maio, na sede da Casa Publicadora Brasileira. Em discurso durante a programação, o presidente da Igreja Adventista na América do Sul, pastor Erton Köhler, ressaltou que “o que eles discutiram lá [no Fórum Mundial de Educação] é o que nós temos para oferecer aqui”.

Encontro-Nacional-de-Educadores-Adventistas-11
Para o presidente da igreja na América do Sul, a educação adventista tem o diferencial que a liderança do planeta busca para melhorar a qualidade do ensino. Foto: Daniel de Oliveira
Segundo ele, a educação adventista oferece professores capacitados, uma boa estrutura física e investe em novas tecnologias, tornando o ambiente moderno e criativo, mas o seu principal diferencial é a filosofia de ensino. “Não queremos escolas que deixem de ser denominacionais para se tornarem simplesmente mais competitivas no mercado”, ressaltou.

Essa foi a tônica não apenas do discurso de encerramento, mas de todo o evento realizado pela editora durante três dias. “Todas as apresentações do congresso enfatizaram a missão, motivando os participantes a manter nossos princípios”, observa Alexander Dutra, um dos organizadores do programa.

Lição de casa

Os educadores foram desafiados a engajar mais as escolas em programas da igreja, a começar pelo Impacto Esperança, que distribuirá milhões de exemplares do livro Viva com Esperança no dia 30 de maio. “O coração da igreja está nesse projeto e o da educação adventista também precisa estar. Afinal, é a campanha que apresenta maior identidade com a proposta educacional da rede”, ressaltou Köhler, que definiu os setores de Educação e Publicações como “duas grandes potências” missionárias da igreja.

Ele também incentivou os líderes a trabalharem pela abertura de novas escolas. “Avançamos no plantio de igrejas e também precisamos crescer no plantio de escolas. Há pessoas necessitando de educação cristã em muitos lugares”, frisou o presidente sul-americano.

Novos projetos

Em parceria com a sede adventista na América do Sul, a Casa Publicadora Brasileira planeja realizar um encontro envolvendo também os diretores de todas as escolas da rede no Brasil. Foto: Daniel Oliveira
Em parceria com a sede adventista na América do Sul, a Casa Publicadora Brasileira planeja realizar um encontro envolvendo também os diretores de todas as escolas da rede no Brasil. Foto: Daniel de Oliveira
A agenda do encontro também incluiu a apresentação de novos projetos que devem levar a rede a fortalecer a visão bíblico-adventista. “Nós já temos programas de leitura sistemática das Escrituras nas unidades escolares, mas queremos reforçar isso”, afirma o diretor da rede na América do Sul, Edgard Luz.

Em 2016, livros de Ellen White também serão integrados ao currículo escolar. O primeiro passo será o estudo da obra Os Escolhidos (CPB), uma versão de Patriarcas e Profetas na linguagem de hoje.

Outra meta será entregar para professores e alunos uma das bases da filosofia educacional adventista: a obra Educação, também escrita pela pioneira da Igreja Adventista. “Até agora já temos uma encomenda de 135 mil livros. E esse número vai aumentar ainda mais. Queremos que professores e alunos tenham um livro que é um dos pilares da educação adventista”, frisa o coordenador da rede.

Legado

Encontro-Nacional-de-Educadores-Adventistas-7
Professor que dedicou 60 anos à educação adventista foi um dos homenageados no programa de encerramento do congresso. Foto: Daniel de Oliveira
Os 120 anos da educação adventista no Brasil, comemorados neste ano, tem sido um momento favorável para discutir os ideais da educação adventista e resgatar o legado dos pioneiros. Lembrando a data, o programa de encerramento do congresso procurou mostrar a paixão de homens e mulheres que aceitaram, em diferentes épocas, a missão dada por Deus por meio da educação adventista.

O educador Orlando Rubem Ritter foi um dos homenageados. O professor, que teve sua autobiografia publicada recentemente pela CPB, recebeu aplausos e palavras de reconhecimento do auditório. Ritter se tornou uma referência para educadores adventistas no Brasil por ter contribuído com a formação de mais de 1000 pastores e de pelo menos 900 educadores ao longo de 60 anos de carreira. Ao olhar para o futuro, no entanto, ele disse temer que a educação adventista “enfrente um esgotamento de paradigmas/modelos como a educação em geral tem enfrentado no mundo”.

A fim de que os referenciais não sejam perdidos de vista, a educação tem sido pauta recorrente na agenda da igreja na América do Sul. Um dos sustentáculos dessa filosofia, na opinião do pastor Erton Köhler, são os livros didáticos produzidos pela editora adventista. “Não existe educação adventista sem didáticos adventistas. Eles são a melhor forma de mantermos a nossa filosofia e padronizarmos o ensino”, frisou. [Márcio Tonetti, equipe RA/ Fotos: Daniel de Oliveira]

VEJA OUTRAS FOTOS DO EVENTO

LEIA TAMBÉM

Didáticos produzidos pela CPB são expostos na maior feira de educação da América Latina

Educador por excelência

Check Also

026

Mutirão da solidariedade

Servidores da Casa Publicadora Brasileira doam dez toneladas de alimentos para campanha beneficente.