A igreja chega ao coração da Chapada Diamantina

Templo adventista é inaugurado na região da Bahia com menor presença adventista
Templo 500 - foto 1
Igreja marca presença na cidade de Lençóis: o coração da Chapada Diamantina. Foto: Rizia do Vale

A cidade de Lençóis (BA), um dos mais importantes destinos turísticos da Chapada Diamantina, recebeu o primeiro templo adventista. Situado na principal rua da cidade, ele foi inaugurado no último sábado, 1º de agosto, abrindo novas perspectivas para o avanço do adventismo na região que concentra a menor presença adventista no território baiano.

“Lençóis é a porta de entrada para a Chapada Diamantina. Daqui, queremos irradiar luz para as demais cidades que compõem essa região”, afirma o presidente da igreja nos dois estados, pastor Geovani Queiroz.

Localizado numa região que recebe muitos turistas estrangeiros, templo traz identificação em outros idiomas. Foto> Rizia do Vale
Nome da denominação também está identificado em inglês a fim de facilitar o contato com estrangeiros. Foto: Rizia do Vale

Por ser uma região turística que atrai pessoas de todo o Brasil e de outros países, Lençóis apresenta muitos desafios para a evangelização, a exemplo da sazonalidade da população, a diversidade étnica e o custo elevado para a construção de um templo. Por outro lado, o fato de receber visitantes de tantos lugares diferentes deve tornar a igreja num centro de influência para várias culturas.

O caminho para a implantação de uma igreja no município vem sendo preparado há algum tempo. Na primeira semana de julho deste ano, por exemplo, foi realizada uma semana evangelística com o pastor Arilton Oliveira, apresentador do programa Bíblia Fácil, levando em conta que vários moradores já assistem à TV Novo Tempo e alguns deles são alunos da Escola Bíblica da emissora. Como resultado, quatro pessoas foram batizadas.

Outra ação que impactou a cidade foi a distribuição de 15 mil exemplares do livro Viva Com Esperança no último sábado. Pensando em fortalecer o evangelismo na região, o município também receberá voluntários dos projetos Missão Calebe e Um Ano em Missão.

Projeto Santuários de Esperança

O templo inaugurado em Lençóis é considerado um marco histórico pelo fato de ser o de número 500 do projeto “Santuários de Esperança”, que visa a implantar mil igrejas na Bahia e Sergipe num período de cinco anos. O momento de celebração reuniu administradores e diretores de departamentos dos dois estados, além de líderes da organização na América do Sul.

O programa de abertura e construção de novas congregações começou em 2013 e se tornou um dos principais focos da União Leste Brasileira (ULB). A proposta é ousada. Para se ter uma ideia, foram necessários aproximadamente 100 anos para que os Estados da Bahia e Sergipe contabilizassem 2,2 mil congregações. Por isso, o fato de 500 templos terem sido plantados em apenas 2,5 anos é motivo de comemoração – além disso, 350 dessas igrejas já estão organizadas.

Templo 501 - foto 2
Líderes da igreja lançam a pedra fundamental do templo de Andaraí. Foto: Márcio Tonetti

“Queremos implantar essas mil congregações em bairros, vilarejos e lugares distantes. O projeto ‘Santuários de Esperança’ ampliará o programa de expansão da igreja mundial”, afirma o pastor Geovani Queiroz ao lembrar que o último quinquênio foi marcado pela abertura histórica de 12 mil novas congregações ao redor do mundo, conforme mostrou um relatório apresentado na última assembleia da Associação Geral.

Embora o projeto busque atender a todas as regiões, incluindo os bairros sem presença adventista nas grandes cidades, a região da Chapada Diamantina tem sido objeto de especial atenção. “Essa região é a ‘Janela 10/40’ da Bahia. Das 57 cidades localizadas na Chapada, 35 ainda não têm presença adventista”, compara Queiroz.

Na avaliação do pastor Tiago de Oliveira Mendes, que atende 23 municípios da Chapada Diamantina, embora os desafios sejam grandes para a evangelização nesse território, a mensagem de saúde dos adventistas pode ser um dos atrativos tanto para moradores quanto para turistas. “A região tem muitas pessoas que se alimentam de maneira natural e integral. Ao saberem que a igreja adventista também se preocupa com os princípios alimentares e com a proteção à natureza, alguns deles estão sendo atraídos pela nossa mensagem”, conta.

Templo 501 - foto 1
Andaraí, a “cidade da evolução”, conta com 14 adventistas que se reúnem em um salão alugado. A expectativa é que o templo seja inaugurado em maio de 2016. Foto: Márcio Tonetti

Buscando aproximar os líderes da igreja que atuam na Bahia e Sergipe da realidade e dos desafios da região, neste ano a ULB escolheu a cidade de Lençóis como palco do 3º Concílio de Administradores e Departamentais, realizado entre os dias 29 de julho e 1º de agosto.

Aproveitando a ocasião, foi lançada a pedra fundamental do “santuário de esperança” de número 501, marcando a arrancada final em busca do objetivo de alcançar os mil templos até 2017. A igreja será construída na cidade de Andaraí, que também está localizada na região da Chapada.

Ênfase sul-americana

O plantio de igrejas continuará sendo uma das ênfases da igreja na América do Sul nos próximos cinco anos, segundo informou o pastor Erton Köhler, que participou programação na cidade de Lençóis. “Os estudos indicam que o plantio de igrejas é uma das maneiras mais rápidas de crescimento da organização. Desde que retomamos essa ênfase no plantio de igrejas, temos tido os maiores índices de batismos da história da Divisão Sul-Americana”, explica.

De acordo com ele, atingir bairros de grandes cidades será uma das principais prioridades nos próximos anos. “Nós vamos continuar olhando para os municípios sem presença adventista, mas queremos um foco maior nos bairros das 76 cidades que tem mais de 500 mil habitantes na América do Sul. Nós preparamos um manual para as Uniões com os nomes dessas cidades e a relação dos bairros sem presença adventista para que seja feito um trabalho mais estratégico nesses lugares”, ressalta Köhler.

Conforme acrescentou o líder sul-americano da área de Missão Global, pastor Edison Choque, que também participou do evento, a meta é abrir 2 mil novas igrejas por ano, especialmente nos bairros desses grandes centros urbanos. “O plano é ter 2 mil intercessores orando pelos projetos de Missão Global e estabelecer 2 mil núcleos, como base para a formação de futuras igrejas”, acrescenta. [Márcio Tonetti, equipe RA]

Check Also

Na-ponta-do-lápis-slider

Fim de ano na ponta do lápis

Saiba como fazer um balanço do ano escolar e ajudar seu filho a ter melhor desempenho em 2017.