Boa companhia para casais

Livro de referência é ferramenta importante para ter acesso à visão bíblica sobre o matrimônio

070“Não é bom que o homem esteja só.” Desde que essa frase foi pronunciada há milênios, muita água passou debaixo da ponte do casamento. A instituição mais antiga do mundo sempre foi alvo direto do inimigo e, por isso, tem sofrido sérios ataques ao longo da história. Estabelecido para ser monogâmico, heterossexual e eterno, o matrimônio cambaleia nos dias atuais, alvejado por deturpações de toda sorte e pelas “inovações” requentadas de nosso tempo.

Com o objetivo de fornecer uma ferramenta de análise fundamentada na Bíblia sobre casamento, sexualidade e família, o Instituto de Pesquisa Bíblica da Associação Geral (BRI, em inglês) reuniu grandes nomes da teologia adventista a fim de produzir um material de peso sobre o assunto, e o resultado está tomando forma em uma série de livros de referência.

A primeira obra da coleção, Casamento: Princípios Bíblicos e Teológicos (CPB, 2015; 43,60 reais), tem o teólogo brasileiro Elias Brasil de Souza e o alemão Ekkehardt Mueller como responsáveis pela organização. O livro, que detalha aspectos essenciais da visão bíblica sobre o matrimônio, é material indispensável para líderes da área de família de todos os níveis da igreja e pode ser lido pelo público em geral, pois a linguagem é acessível e os temas são divididos de forma didática e organizada.

BASE SÓLIDA, RELACIONAMENTO DURADOURO

No primeiro capítulo, Kwabena Donkor argumenta que, se uma sólida teologia bíblica estiver no centro da discussão, as implicações éticas seguirão o ideal divino. Por outro lado, se a cultura for o elemento definidor, as consequências práticas refletirão o padrão corrompido atual.

No segundo capítulo, o teólogo alemão Frank Hasel toma o texto bíblico de forma exegética para analisar o tema no Antigo e Novo Testamentos. O autor faz um estudo minucioso de passagens-chave, trazendo à tona uma interpretação equilibrada e coerente. O livro reserva também o terceiro capítulo para o assunto pouco explorado do solteirismo. Corinne Egasse esclarece que o casamento não é a única opção para o cristão e apresenta as implicações da escolha desse modo de vida.

No meio do fogo cruzado entre o feminismo e o machismo, o casamento vive uma séria crise de identidade quanto à função de cada gênero. Roberto Badenas trata dessa problemática no quarto capítulo, enfatizando a igualdade dos cônjuges e a distinção funcional entre homem e mulher no casamento. “Isso pode significar que, como o cabeça da casa, o marido não está exatamente ‘acima’, mas ‘à frente’, no papel simultâneo de liderar e proteger sua família”, afirma o teólogo espanhol.

No quinto capítulo, Thomas Domanyi enfatiza os aspectos teológicos da sexualidade no casamento, mostrando que esse dom foi dado por Deus para o contexto de uma união permanente, monogâmica, heterossexual e firmada em aliança. Zoltán Szalos-Farkas, no sexto capítulo, com base na antropologia e na teologia, reitera a argumentação de Domanyi e acrescenta que a “humanidade” e a “espiritualidade” do sexo estão intimamente interligadas.

Nos capítulos sete e oito, respectivamente, Hans Heinz e Ángel Manuel Rodríguez abordam a questão do jugo desigual. Heinz coloca o foco nos textos de Paulo e reforça a insolubilidade do casamento. Rodríguez, por sua vez, destaca a importância de os membros do povo de Deus se casarem com pessoas da mesma fé.

Coube a Richard Davidson e Ekkehardt Mueller a análise do tema do divórcio no Antigo e Novo Testamentos, respectivamente. Davidson salienta a falta de base escriturística para o divórcio e menciona que a separação conjugal é tolerada somente em caso de infidelidade sexual. Ele ressalta também que, mesmo nesses casos, a reconciliação do casal é o ideal bíblico. Em seu capítulo, Mueller vai na mesma direção ao fazer uma análise pormenorizada do tema no Novo Testamento.

Não é bom que os casais estejam sós na difícil tarefa atual de entender a natureza e o propósito do casamento. Por isso, Casamento: Princípios Bíblicos e Teológicos aparece como uma boa companhia para que maridos e esposas tenham acesso à visão da Palavra de Deus sobre o matrimônio.

VINÍCIUS MENDES é pastor, mestre em Literatura e editor de livros na Casa Publicadora Brasileira

TRECHOS

“O casamento surge na Bíblia com a própria origem da humanidade. De acordo com as Escrituras, o matrimônio é uma instituição divina de fundamental importância, criada pelo próprio Deus em benefício dos seres humanos. Trata-se de uma dimensão essencial da vida humana.” (Frank Hasel)

“Entretanto Jesus, imitado por Paulo, propôs uma abordagem equilibrada ao solteirismo. Para Cristo, não havia obrigação nem de se casar nem de não se casar. Permanecer solteiro é uma opção.” (Corinne Egasse)

“Deus anela ardentemente que a união de uma só carne do casamento jamais seja esfacelada pelo divórcio, a menos que a aliança matrimonial tenha sido desfeita em virtude de relação sexual ilícita.” (Richard Davidson)

“Escolher um cônjuge é uma decisão crucial na vida de qualquer pessoa. Felizmente, a Bíblia provê parâmetros dentro dos quais é possível construir um casamento bem-sucedido.” (Ángel Manuel Rodríguez)

Infografico-Mais-vendidos-RA-de-agosto-de-2015

LEIA TAMBÉM

Maravilhe-se com o criador

Diálogo com o passado

Retrato de uma visionária

Check Also

Tragédia-da-Chapecoense---slider

Tragédia da Chapecoense

Adventistas demonstram solidariedade aos familiares das vítimas da tragédia da Chapecoense e transmitem esperança para milhares de torcedores durante velório coletivo.