Solidariedade aos franceses

Adventistas demonstram compaixão pelas famílias enlutadas e pelos que ficaram feridos no maior atentado de que se tem notícia na história da França

Líderes da Igreja Adventista ao redor do mundo vêm manifestando solidariedade ao povo francês após o pior atentado de que se tem notícia na história da França. A série de ataques terroristas na noite da última sexta-feira, dia 13 de novembro, em Paris, deixou 129 mortos e mais de 350 feridos. O atentado, cuja autoria foi reivindicada pelo Estado Islâmico, ocorreu na noite da última sexta-feira, dia 13 de novembro, atingiu locais de grande concentração de pessoas. Tiroteios, explosões e ataques suicidas foram registrados em bares, restaurantes, em uma casa de shows e num shopping, bem como nos arredores do Stade de France, onde acontecia um amistoso entre França e Alemanha.

Diante do clima de medo e insegurança que paira sobre a Europa, líderes e membros da Igreja Adventista transmitiram mensagens de conforto e disseram que estão orando pelas famílias enlutadas e pelas centenas de feridos nos ataques.

Mensagem do pastor Ted Wilson
Presidente mundial da Igreja Adventista divulga mensagem nas redes sociais manifestando solidariedade aos familiares das vítimas e aos feridos na tragédia.

Em sua página no Facebook, o presidente mundial dos adventistas disse que “nossos corações estão com as pessoas e famílias que sofrem na tragédia que se desenrola em Paris”. Wilson também lembrou que acontecimentos como esse indicam que a volta de Jesus é iminente.

Pelo Twitter, o líder dos adventistas na América do Sul, pastor Erton Köhler, também afirmou que “o terror em Paris é um grito de desespero que precisa renovar a nossa esperança no Céu e nosso compromisso com a missão de amor na terra”.

Mensagem Erton

No contexto Europeu, líderes da igreja também se pronunciaram sobre a tragédia e demonstraram compaixão pelos que estão sofrendo. Embora os templos adventistas em Paris tenham permanecido fechados durante todo o sábado por conta do “estado de urgência” decretado pelo presidente francês François Hollande, os administradores dos escritórios da denominação no continente se colocaram à disposição das autoridades para dar suporte às pessoas afetadas.

“Hoje somos todos franceses”, enfatizou o pastor Mario Brito, presidente da Divisão Intereuropeia, sede administrativa adventista que engloba o território francês. “Expressamos profunda consternação e a nossa solidariedade para com o povo da França”, reiterou ele.

Em um comunicado, Brito também lembrou o duplo atentado suicida registrado dois dias antes em Beirute (Líbano), que matou pelo menos 43 pessoas. “O terrorismo está crescendo de maneira incontrolável. Quando as pessoas se afastam da direção e sabedoria de Deus, tornam-se uma ameaça para a liberdade”, observou.

Orações por Paris
Mario Brito, presidente da Divisão Intereuropeia (no primeiro plano), e Raafat Kamal, líder da Divisão Transeuropeia, dedicaram momentos especiais durante encontro realizado em Montenegro para orar pelos familiares das vítimas do maior atentado da história francesa. Foto: reprodução Adventist Review

Durante um treinamento realizado em Montenegro, no Sudeste da Europa, envolvendo 130 líderes da igreja no continente e seus familiares, os participantes do evento fizeram um minuto de silêncio e, logo em seguida, oraram em favor dos que perderam familiares e dos que ficaram feridos no atentado.

Mobilização pelas redes sociais

Adventistas de todo o mundo continuam unidos em oração pelas famílias enlutadas, pelos feridos e pelos cidadãos que convivem com o clima de insegurança na França. É possível participar da corrente de oração por meio das redes sociais usando a hashtag #PrayforParis.

“A oração nos une em momentos terríveis!”, expressou por meio de sua página oficial no Facebook a igreja do Newbold College, na Inglaterra. [Márcio Tonetti, equipe RA / Com informações de Andrew McChesney, da Adventist Review]

LEIA TAMBÉM

O que pode estar por trás dos atentados em Paris

Check Also

Na-ponta-do-lápis-slider

Fim de ano na ponta do lápis

Saiba como fazer um balanço do ano escolar e ajudar seu filho a ter melhor desempenho em 2017.