De volta à sala de aula

Maior editora adventista investe em curso de pós-graduação voltado para servidores que não têm formação teológica

pós-em-Teologia-e-Estudos-Adventistas---imagem-1
Programa de pós-graduação em Teologia e Estudos Adventistas é oferecido pelo Unasp, campus Engenheiro Coelho (SP), em parceria com a Casa Publicadora Brasileira, no local da própria editora. Foto: Márcio Tonetti

Jéssica Manfrim já possui mestrado em História Social pela USP, mas decidiu aproveitar a oportunidade oferecida pela instituição na qual trabalha a fim de se especializar em uma nova área. Ela irá dedicar os próximos 18 meses para cursar a pós-graduação em Teologia e Estudos Adventistas.

“É uma ótima chance para o crescimento pessoal e profissional”, ela acredita. Jéssica trabalha como revisora assistente de livros denominacionais na Casa Publicadora Brasileira (CPB), a maior editora da Igreja Adventista em todo o mundo. “Por atuar no segmento de livros denominacionais, achei importante adquirir mais conhecimento na área teológica e sobre a estrutura organizacional da igreja. Com certeza a pós-graduação me ajudará a ter melhor desempenho na função”, afirma.

No total, 61 servidores de diversas áreas da editora terão essa oportunidade neste ano. Para cursar a pós-graduação, eles não terão que pagar nada. “A própria instituição está patrocinando o curso para seus servidores. Eles terão que dedicar apenas o tempo necessário para as aulas presenciais e atividades extraclasse”, afirmou o pastor José Carlos de Lima, diretor geral da CPB, durante a aula inaugural, realizada no último domingo, 21 de fevereiro.

Curso será inteiramente custeado pela editora a um grupo de 61 servidores. Foto: Márcio Tonetti
Curso será inteiramente custeado pela editora. Foto: Márcio Tonetti

O curso foi criado com o objetivo de proporcionar aos obreiros que não têm formação teológica uma visão mais abrangente sobre a mensagem, a missão e a estrutura organizacional da igreja. O programa de pós-graduação em Teologia e Estudos Adventistas é oferecido pelo Unasp, campus Engenheiro Coelho (SP), em parceria com a Casa Publicadora Brasileira, no local da própria editora.

Conforme lembra o Dr. Vanderlei Dorneles, coordenador da pós-graduação, há alguns anos o Seminário Adventista de Teologia já oferece o curso livre de Estudos em Religião. Esse programa é voltado para obreiros e líderes da igreja e não requer que o aluno tenha cursado ensino superior. Realizado em parceria com as sedes administrativas regionais da organização adventista, esse programa de extensão universitária já capacitou milhares de obreiros em todo o Brasil. Porém, o programa oferecido aos servidores da CPB consiste numa nova modalidade. “Trata-se de uma especialização ou pós-graduação lato sensu reconhecida pelo MEC”, esclarece o pastor Dorneles.

Pelo fato de a editora contar com vários mestres e doutores, a abertura do curso se tornou mais fácil. Dos doze docentes que ministrarão as disciplinas, dez trabalham na CPB e apenas dois são do Unasp. “Poucas instituições adventistas possuem um grupo tão numeroso de pastores titulados”, observa o pastor José Carlos de Lima.

Grade curricular

A proposta curricular da pós-graduação em Teologia e Estudos Adventistas engloba doze disciplinas: Criação Bíblica e Criacionismo, Metodologia de Pesquisa, História Adventista, Dom Profético, Hermenêutica e Exegese Bíblica, Introdução à Missiologia, Filosofia e Ética Cristã, Filosofia da Educação Adventista, Desenvolvimento da Teologia Adventista, Soteriologia, Estudos em Escatologia e Liderança e Organização Eclesiástica.

O pastor Vanderlei Dorneles explica que o projeto do curso foi estruturado a partir de uma grade curricular sugerida pelo Unasp. Segundo ele, outras instituições já demonstraram interesse pela proposta adotada pela CPB.

“Há muito tempo nós estamos sonhando com esse curso. E agora ele se torna uma realidade”, comemora o pastor Lima. [Márcio Tonetti, equipe RA]

Check Also

A-privatização-da-fé-slider

A privatização da fé

Entenda por que ela foi confinada à vida particular e de que maneira pode voltar a exercer maior relevância na esfera pública.