Livro que “caiu do céu”

Como uma literatura adventista chegou às mãos de um homem que orou a Deus pedindo algo para ler
Dona Emília dos Reis, mãe de Eber, posa para foto ao lado de passageiro que pediu a Deus um livro para ler durante a viagem. Foto: arquivo pessoal Eber dos Reis
Dona Emília dos Reis, mãe de Eber, ao lado do passageiro que orou a Deus pedindo um livro para ler durante a viagem. Foto: arquivo pessoal Eber dos Reis

Eber Fortes dos Reis havia levado a mãe ao aeroporto Viracopos, em Campinas (SP), para aquele que seria o primeiro voo da vida dela. Era uma quarta-feira, dia 10 de fevereiro. Prestes a completar 90 anos de idade, dona Emília pegaria um voo para Joinville (SC) a fim de visitar familiares.

Eles chegaram com antecedência ao aeroporto e escolheram um lugar para sentar-se. Após alguns minutos, um homem que estava na cadeira ao lado puxou conversa com Eber. “Do nada, perguntou se eu acreditava em Deus. Respondi que sim, e ele continuou: ‘Pode parecer estranho o que vou lhe dizer, e pode ser até que você ache que eu sou maluco. Mas você acredita que podemos falar com Deus em pensamento?’ Respondi que fazia isso todos os dias por meio da oração. Então ele me disse que havia orado a Deus para que sentasse ao lado dele uma pessoa que gostasse de ler e lhe pudesse emprestar um livro”, relata Eber, que trabalha como chefe do almoxarifado da editora adventista Casa Publicadora Brasileira (CPB).

Ávido leitor, hobby que descobriu somente aos 40 anos, o estranho, que se identificou como Rafael, explicou que havia esquecido de trazer algo para ler durante a viagem. Depois de ter feito o pedido a Deus, ele disse que já tinha tentado sentar-se próximo a alguém que estivesse lendo um livro, mas a pessoa logo se levantou e saiu, frustrando suas expectativas. “Ele contou que, por causa disso, se sentiu frustrado e cobrou de Deus o por que de a pessoa tê-lo deixado ali, sozinho. Em resposta, Deus o teria levado a pensar no fato de que sua oração havia sido para que uma pessoa se sentasse ao lado dele e não o contrário. E foi justamente nesse momento que eu e minha mãe, sem saber o que se passava com aquele homem, escolhemos sentar justamente ao lado dele”, recorda Eber.

Ter sempre à disposição um bom livro para ler é um hábito que Eber cultiva há alguns anos. Por isso, assim que Rafael terminou de contar sobre seu pedido a Deus, Eber presenteou-o com uma literatura que estava lendo naqueles dias. O livro, intitulado A História da Vida, de autoria do jornalista Michelson Borges, não poderia ser mais oportuno, pois fala, entre outras coisas, da existência de um Deus que Se comunica de muitas maneiras com o ser humano.

“Doei o livro para o Rafael e ele ficou muito feliz com o presente, pois, segundo me disse, ele está buscando conhecer a Deus”, relata.

Para ele, esse encontro foi muito mais do que uma simples coincidência. “O Senhor seja louvado por esse encontro nada casual. E que a semente do evangelho assim plantada produza frutos!”, conclui. [Márcio Tonetti, equipe RA]

Check Also

A-privatização-da-fé-slider

A privatização da fé

Entenda por que ela foi confinada à vida particular e de que maneira pode voltar a exercer maior relevância na esfera pública.