Surdez não impede paulista de colportar

No Dia Nacional do Vendedor de Livros, conheça a história do homem que há mais de quatro décadas se dedica à colportagem mesmo sendo completamente surdo

Distribuidor de Esperança
Apesar de ser completamente surdo, Francisco Vaz se dedica à colportagem há mais de 40 anos. Foto: Suellen Timm

Com apenas cinco anos de idade, Francisco Vaz foi obrigado a conhecer um universo em que impera o silêncio. Com a perda da audição, obviamente ele teve que reaprender muitas coisas. Porém, “limite” é uma palavra que não faz parte do vocabulário de Xico, como é mais conhecido.

Há mais de 40 anos, Francisco atua como vendedor de livros e revistas, profissão conhecida como colportagem. Casado e pai de dois filhos, por muitos anos ele sustentou a família com seu trabalho. A esposa, Aparecida, é sua secretária, responsável por atender telefonemas e agendar as visitas do marido, uma vez que ele é completamente surdo. Na cidade de Jales, localizada na região noroeste do Estado de São Paulo, é difícil encontrar alguém que não conheça o “Xico da Vida e Saúde”.

Segundo ele, seu maior desafio é driblar os interfones e chegar até as pessoas. Ciente de que o contato pessoal é imprescindível nesse trabalho, Vaz aprendeu a se comunicar com a técnica da leitura labial.

Alguns clientes que acompanham Francisco há vários anos afirmam que sua história de superação impressiona. O advogado Osvaldo Zupiroli, assinante da revista Vida e Saúde há mais de 30 anos, conta que, com o passar dos anos, Vaz aprimorou muito sua comunicação. “Antes era até difícil entender o que ele falava, mas depois ele se desenvolveu muito. Tornou-se nosso amigo. Com a influência do trabalho dele eu parei de fumar e meus três filhos hoje trabalham na área de saúde”, conta.

E a técnica de Vaz era simples. Zupiroli, que na época exercia o cargo de delegado no município, era convidado para palestrar em cursos “Como deixar de fumar” promovidos por Vaz, embora na época ainda lutasse para deixar o vício. Mas foi assim, participando desses cursos e ouvindo a mensagem de saúde adventista que Zupiroli encontrou a força necessária para deixar o cigarro.

Muito mais do que vender livros, seu Francisco Vaz acredita ser um distribuidor de esperança. Seu trabalho já resultou no plantio de três igrejas. As longas distâncias entre as dezenas de cidades que ele percorre em sua moto são todas insignificantes perto da missão que carrega diariamente: diminuir a distância entre as pessoas e o evangelho.

SUELLEN TIMM é jornalista e assessora de comunicação da Associação Paulista Oeste

Check Also

Sociedade-Bíblica-do-Brasil-submete-versão-da-Nova-Almeida-Atualizada-à-avaliação-das-igrejas-slider

Sociedade Bíblica do Brasil submete versão da Nova Almeida Atualizada à avaliação das igrejas

Representantes de diversas denominações e organizações cristãs receberam exemplares do Novo Testamento, Salmos e Provérbios, primeiro fruto do trabalho que deverá ser concluído em 2018.