Mérito humanitário

Ministério da Defesa do governo da Eslovênia concede medalha à ADRA como reconhecimento pelo trabalho com refugiados  

Maja AHAC, diretor da ADRA Eslovénia país, centro, com o ministro da Defesa esloveno Andreja Katic, direita e Tereza Novak, diretor-executivo do esloveno Philanthropy.
Maja Ahac, diretora da ADRA Eslovênia (ao centro), ao lado de Andreja Katic (à dir.), ministra da Defesa, e Tereza Novak, diretora-executiva da Filantropia Eslovena. Créditos da imagem: ADRA Eslovênia

No Dia Mundial da Defesa Civil, comemorado em 1º de março, a Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA) recebeu do governo da Eslovênia uma importante medalha como reconhecimento pelo trabalho com refugiados.

“Nos sentimos muito gratos por esse prêmio que reconhece a dedicação e o sucesso no atendimento aos refugiados que chegam à Europa. E agradecemos a todos aqueles que fazem parte desta grande história humanitária”, enfatizou Maja Ahac, diretora da agência humanitária adventista no país.

LEIA TAMBÉM

Líderes da igreja e da ADRA discutem como melhorar resposta à crise migratória na Europa

ADRA recebe medalha por trabalho com refugiados - foto 2
Funcionários da ADRA Eslovênia são reconhecidos pela assistência aos refugiados. Créditos da imagem: ADRA Eslovênia

Neste mês, quatro voluntários da ADRA na Eslovênia também receberam placas pelo trabalho de proteção civil em uma cerimônia de premiação regional em Sevnica.

Onda de refugiados

Segundo estimativas do governo esloveno, entre outubro de 2015 e março deste ano entraram no país mais de 477 mil refugiados, a maioria proveniente da Síria, Iraque e Afeganistão. Esse número representa quase um quarto dos 2,1 milhões de habitantes da Eslovênia.

Boa parte desses imigrantes passou por Brežice-Dobova, região na qual a ADRA está concentrando seus esforços. Entre as ações desenvolvidas pela agência humanitária está a arrecadação e a distribuição de produtos de higiene especialmente para bebês. A ADRA também assumiu a responsabilidade primária de cuidar dos refugiados que chegam à estação de trem em Dobova, onde a maioria dos que entram no país é registrada, bem como em um acampamento de refugiados localizado nas proximidades.

Uma vez que a Igreja Adventista na Eslovênia tem pouco mais de 500 membros, distribuídos em 14 igrejas, a ADRA local necessita de outros voluntários e depende da captação de recursos externos.

Apesar dos desafios, a atuação da ADRA eslovena tem extrapolado as próprias fronteiras do país. O escritório também começou a apoiar nações como Grécia, Sérvia e Macedônia no atendimento aos refugiados em trânsito. Esse apoio se tornou ainda mais necessário diante do acirramento das políticas migratórias europeias. Na semana passada, por exemplo, a rota dos Bálcãs, um corredor pelo qual tem passado milhares de migrantes que desejam chegar aos países do norte da Europa, foi fechada depois que o governo da Eslovênia decidiu não mais permitir que refugiados passassem por seu território. Isso fez com eles se aglomerassem nas fronteiras da Macedônia, Grécia e Turquia. [Equipe RA, da redação / Com informações da ADRA Eslovênia e da Adventist Review]

Check Also

Sociedade-Bíblica-do-Brasil-submete-versão-da-Nova-Almeida-Atualizada-à-avaliação-das-igrejas-slider

Sociedade Bíblica do Brasil submete versão da Nova Almeida Atualizada à avaliação das igrejas

Representantes de diversas denominações e organizações cristãs receberam exemplares do Novo Testamento, Salmos e Provérbios, primeiro fruto do trabalho que deverá ser concluído em 2018.