Em busca de professores

Maior escola adventista de inglês enfrenta dificuldades para contratar docentes comprometidos com a filosofia educacional da igreja
Maior-escola-adventista-de-inglês-enfrenta-dificuldades-para-contratar-professores-comprometidos-com-a-filosofia-educacional-da-igreja-interna
Escola de inglês já chegou a levar mil alunos por ano ao batismo. Créditos da imagem: divulgação Instituto de Língua Sahmyook

O Instituto de Língua Sahmyook, da Coreia do Sul, está em busca de professores adventistas dispostos a ensinar inglês durante um ano ou mais no país. Considerado o maior centro adventista de ensino desse idioma, o instituto pretende ampliar o quadro de docentes comprometidos com a missão de evangelizar. Porém, o número de candidatos com esse perfil que têm procurado a escola ainda é insuficiente para atender a demanda de alunos.

Com sede em Seul, o instituto conta com 9 mil discentes que estudam em 30 filiais. Desde seu surgimento, em 1969, estima-se que 5 milhões de coreanos já passaram por esses bancos escolares, o equivalente a dez por cento da atual população do país.

No entanto, embora ainda seja considerada uma potência educacional, seu número de alunos está muito abaixo do que foi registrado, por exemplo, em 2009, quando o instituto contabilizou 56,4 mil inscritos distribuídos em 62 campi.

Para Gil Ho Choi, atual presidente da escola de idiomas, a queda do número de matrículas se deve, em parte, à perda de identidade e, consequentemente, de seu diferencial. “A escola se afastou do seu plano original. O instituto começou com um propósito exclusivamente evangelístico. Porém, à medida que foi crescendo, de alguma forma perdeu o foco na missão”, ele disse em entrevista à Adventist Review.

Choi considera que a contratação de professores que não compartilham da visão educacional adventista tenha sido um dos fatores que desencadearam esse processo. Ele lembra que isso aconteceu principalmente durante um período de rápido crescimento pelo qual passou a escola, quando houve a necessidade de contratar mais professores. Entretanto, a carência de profissionais adventistas forçou a instituição a absorver outros candidatos. Hoje, dos 107 docentes do instituto, 39 professam outra fé. “São bem qualificados para ensinar, mas não têm preocupação com a missão”, observa Choi.

No entanto, o decréscimo nas matrículas também teve que ver com as próprias mudanças verificadas no país, como a entrada de outras escolas de idiomas no mercado, a redução do número de filhos e a ampliação dos investimentos do governo em escolas públicas na tentativa de minimizar a força das instituições privadas.

Mas, embora esses aspectos sociais e políticos tenham se refletido na procura pela escola de inglês, a direção do Instituto de Língua Sahmyook acredita que resgatar a ênfase nos valores da educação adventista é um passo fundamental para voltar a crescer em número de alunos. E, na opinião dele, ter professores que compartilhem dessa visão será essencial para alcançar esse objetivo.

Segundo Gil Ho Choi, no auge de sua trajetória, o instituto chegou a batizar mil alunos por ano. No entanto, a média dos últimos anos tem ficado em torno de cem. “A língua inglesa é uma ferramenta poderosa para espalhar o evangelho”, ele enfatiza ao falar sobre o potencial evangelístico do instituto.

Restrições legais

O Instituto de Língua Sahmyook teve dificuldade para atrair professores adventistas nos últimos anos por conta, principalmente, de mudanças na legislação. Muitos de seus ex-professores eram norte-americanos que trancavam a matrícula na faculdade para ensinar inglês durante um ano. Porém, o governo sul-coreano passou a exigir que os professores tenham, pelo menos, concluído a graduação. Outro requisito é ser falante nativo dos Estados Unidos, do Canadá, da Austrália, da Nova Zelândia, da Grã-Bretanha ou da África do Sul.

Proposta atrativa

Para professores com idade entre 21 e 35 anos, o contrato tem duração de 12 meses, mas pode ser estendido por mais um ou dois anos. Antes de entrar em sala de aula, todos os candidatos passam por um treinamento de duas semanas.

De acordo com o reitor acadêmico do instituto, professores não adventistas estão fazendo fila para trabalhar na escola, atraídos por um pacote de benefícios que inclui moradia, uma bolsa mensal de 2 mil dólares, auxílio passagem aérea no valor de 700 dólares para cada seis meses de trabalho e, após um ano, indenização equivalente ao salário de um mês.

Interessados em atuar como professores de inglês podem preencher formulário no site do instituto.
Interessados em atuar como professores de inglês podem preencher formulário no site do instituto.

Na tentativa de atrair mais candidatos adventistas, o instituto, que também dirige um centro de línguas nas Filipinas, pretende usar algumas estratégias. Por exemplo, a diretoria da escola vê no projeto Um Ano em Missão, que incentiva jovens a dedicar um período para projetos missionários em outro país, uma forma de compensar o déficit. “Pode ser um importante caminho para conseguirmos mais professores adventistas cheios do espírito de missão”, acredita Gil Ho Choi. [Equipe RA, da redação / Com informações de Andrew McChesney / AR]

Check Also

A-privatização-da-fé-slider

A privatização da fé

Entenda por que ela foi confinada à vida particular e de que maneira pode voltar a exercer maior relevância na esfera pública.

  • Ruben Francisco Orellana Aizpr

    Excelente! Oro para que Deus envie aos candidatos. Eu já estou pela casa dos 45, não dá mais para eu ir. 🙁