Documentário sobre refugiados mostra que há esperança em meio a dor

De acordo com a Acnur, a Agência das Nações Unidas para Refugiados, existem no mundo 19,5 milhões de pessoas nesta situação. Refugiado é alguém que está fora de seu país buscando proteção, muitas vezes por sofrer perseguição política, religiosa ou étnica.

Em homenagem ao Dia Mundial do Refugiado (20 de junho), a Igreja Adventista do Sétimo Dia na Europa produziu um documentário mostrando o trabalho que a denominação realiza nos campos de Petra e Oinofyta , localizados na Grécia.

O vídeo retrata tanto a realidade dos refugiados, que foram para os campos porque não tinham escolha, quanto o dos voluntários que escolheram ajudar essas pessoas.

I feel I make a difference! (Sinto que faço a diferença) conta de forma rápida e interessante as perspectivas, frustrações e sonhos de quem espera a abertura de novas fronteiras.

O vídeo apresenta ainda motivos para crer que há esperança, apesar dos traumas, dores e medos. Um exemplo é o que diz um poema escrito em uma parede no campo de Petra: “O povo iraquiano nunca vai ser feliz se ver o povo sírio com sede ou com fome”. [Márcio Basso Gomes, equipe ANN]

Check Also

slider

Livro deixado na garagem de uma casa em Rio Branco muda a história de advogada criminalista

Veja a reação dela ao descobrir, seis meses depois, quais foram as pessoas que deixaram a literatura que lhe trouxe paz e esperança num momento de crise existencial.