Legado evangelístico

A história do pregador adventista que foi destaque na mídia americana

c d brooks slider - 1
Segundo biografia, C. D. Brooks levou mais de 20 mil pessoas ao batismo. Crédito: ASI/ Breath of Life

Conhecido por pregar a mensagem adventista para milhões de pessoas, o evangelista itinerante pastor Charles Decatur Brooks, conhecido como C. D. Brooks, faleceu no dia 5 de junho em Laurel, Maryland (EUA). Brooks foi vítima de um câncer no pâncreas, diagnosticado no início deste ano. O legado do missionário foi destaque nos jornais The New York Times e Washington Post.

Considerado um dos oradores mais dinâmicos da Igreja Adventista no século 20, o Washington Post o destacou como “uma força propulsora no púlpito”. O foco particular de Brooks era compartilhar o evangelho com a comunidade negra, cerca de 37% dos 1,2 milhão de adventistas que vivem nos Estados Unidos e Canadá. De seus 85 anos de vida, seis décadas foram dedicadas ao evangelismo, influenciando a decisão pelo batismo de 20 mil pessoas e no estabelecimento de 15 congregações em várias cidades americanas. Ele deixou a esposa de 63 anos, Walterene Wagner, dois filhos e três netos.

O início

C. D. Brooks nasceu em Greensboro (Carolina do Norte, EUA), em 24 de julho de 1930, sendo o décimo filho do casal Marvin Brooks e Mattie Reaves. Seis meses depois de seu nascimento, sua mãe quase morreu ao passar por uma cirurgia. Foi quando ela relata ter tido uma visão em que ouviu uma voz pedindo para guardar os mandamentos bíblicos. Uma luz brilhante encheu seu quarto do hospital durante a noite, e uma voz disse: “Mattie, eu quero que você guarde os meus mandamentos”, C. D. Brooks relatou à Adventist Review em 2006.

A mãe, uma fiel metodista filha de pastor, ficou confusa. “Senhor, qual não estou guardando?”, perguntou. Ela não ouviu resposta. Mas, de repente, o quarto mandamento lhe veio à mente: “Lembra-te do dia de sábado, para o santificar” (Êx 20:8). A partir disso, ela observou por dez anos o sábado da meia-noite sexta-feira até a meia-noite de sábado, sem ter contato com outros sabatistas.

Embora os membros da Igreja Metodista tentassem mudar sua concepção acerca do sábado, ela manteve firme sua decisão. Um dos diáconos metodista a presenteou com uma cópia do livro O Grande Conflito, de Ellen G. White. Passados os dez anos, um evangelista de literatura adventista bateu à porta da família Brooks com alguns livros. No sábado, seguinte a família entrou em uma igreja adventista pela primeira vez.

Chamado

Na biografia C.D.: The Man Behind the Message (Editora Review & Herald, 2013), os autores Harold L. Lee e Benjamin Baker narram o despertar espiritual de um garoto da fazenda na Carolina do Norte, que parecia destinado a uma carreira de dentista até que participou de uma campanha com E.E. Cleveland, um evangelista adventista e líder de direitos civis, pioneiro em batismos em massa. No fim daquelas reuniões, ele relata ter tido uma “impressão” muito forte vinda do Senhor que dizia: “Isto é o que eu quero que você faça e vou ajudar você a tornar a verdade clara.”

No início, Brooks que achou aquilo um “pensamento vago”, mas ouviu a voz novamente enquanto andava do ponto de ônibus até sua casa, à noite, no escuro. Seu primeiro pensamento ao despertar na manhã de domingo foi tornar-se um evangelista, impressão que se repetiu na segunda-feira. Finalmente na terça-feira, ele disse à sua mãe sobre o que estava acontecendo. “Eu não sabia o poder das orações de uma mãe”, relata. “Minha mãe disse estas palavras para mim: Filho, quando você nasceu, eu te dei ao Senhor. Agora ele está chamando você.”

Com o apoio financeiro inesperado de seu pai, que anteriormente não tinha mostrado interesse na mensagem adventista, ele se inscreveu no Oakwood College, (hoje Universidade de Oakwood), uma instituição adventista no Alabama que historicamente tem atendido a comunidade negra. Após a formatura, a Associação de Allegheny o contratou como um “professor de tendas”, auxiliando o ex-presidente da conferência J. Dasent, que estava atuando como evangelista em Delaware. Foi quando Dasent pediu para Brooks pregar o seu primeiro sermão. “Acho que foi um teste”, disse Brooks, numa entrevista para a Adventist Review em 2009. “Mas o Senhor abençoou, e quando concluímos a campanha e estávamos retornando para a sede, Dasent teve a gentileza de me dar a recomendação mais elevada.”

Carreira missionária

c d brooks - 2
O evangelista dedicou 23 anos ao programa Breath of Life. Crédito: Walter Arties

O pregador passou a década de 1960 visitando várias regiões dos Estados Unidos e outros países em campanhas evangelísticas. Brooks foi solicitado a realizar sua primeira série evangelística completa no verão de 1952, na Pensilvânia. Discursou na posse do presidente dos Estados Unidos Ronald Reagan, em 1981, e serviu como pastor em Delaware, Pensilvânia, Nova Jersey e Ohio. Brooks muitas vezes conduziu grandes  batismos, como em 1978, no Teatro Warner, em Washington, quando 300 pessoas foram batizadas.

O pastor continuou a liderar reuniões evangelísticas, tendo-o feito em todos os continentes. “Eu não queria ir para a Antártida”, disse Brooks, “porque não havia ninguém para pregar.” Aceitou um cargo administrativo como secretário-geral de campo da Conferência da União Columbia, mas continuou a liderar grandes reuniões evangelísticas em metrópoles como Chicago, Cleveland e Filadélfia.

Brooks se destacou também como televangelista. Durante 23 anos ele foi o orador do programa Breath of Life, talvez a primeira produção televisiva de evangelismo para negros. Em 1997, ele se aposentou por questões de saúde, mas continuou a pregar por muitos anos. “Evangelismo é o elixir que aquece uma igreja fria”, apontou. “É a força que move os membros a se manter firmes sobre as promessas.”

“Se você já ouviu falar Brooks pregar, foi certamente uma experiência inesquecível”, escreveram Baker e Lee na biografia do evangelista. “Sua voz distinta soa como trombetas, conferindo à verdade uma autoridade raramente vista em púlpitos de hoje. As histórias que ele habilmente tece empolgam a imaginação e trazem convicção ao coração. Amando ainda firmemente, Brooks entrega a mensagem adventista sem apologias. Seus apelos para aceitar Jesus ecoam na mente muito tempo depois que o sermão termina”.

O livro ainda menciona que Brooks era “um explorador dos meios de comunicação, espalhou o evangelho por meio de todas as mídias disponíveis, incluindo cassete, rádio, televisão e internet”

Em 2007, a Universidade Oakwood nomeou o Bradford-Cleveland-Brooks Leadership Center (Centro de Liderança) em homenagem a ele, Earl E. Cleveland e Charles Bradford, ex-presidente da Divisão Norte-Americana. Por fim, em 2013, Brooks foi nomeado capelão da Divisão Norte-Americana da igreja.

Legado

O New York Times destaca o prefácio do livro de Lee e Baker, escrito pelo pastor Ted Wilson, presidente da sede mundial da igreja: “Em vez de cuidar das bocas de outras pessoas [sonho de ser dentista abandonado por Brooks], Deus tem usado a boca de Brooks para proclamar as verdades eternas da Palavra de Deus e para restaurar mentes e corpos inteiros para a preparação para a Nova Terra.”

brooks tendas - 3
Brooks preferia realizar encontros evangelísticos em tendas do que em auditórios. Crédito: Archives Adventist Review

Daniel R. Jackson, presidente da Divisão Norte-Americana, disse que observava Brooks com admiração enquanto andava pelos corredores da sede administrativa. “Ele era um grande pregador e um dos verdadeiros santos de Deus”, pontuou. “EU o via caminhas pelos corredores do nosso escritório e costumava repetir comigo mesmo: ‘Ele é um princípe entre os homens.’ Vou sentir falta dele, mas um dia, em breve ele terá eterna juventude e viverá para sempre com sua querida esposa e família”, completou.

Ted Wilson, presidente mundial da igreja, também prestou homenagem. “Ele era um evangelista altamente dedicado e bem-sucedido pregador bíblico. O pastor Brooks amava o Senhor, sua igreja profética e a mensagem do advento”, ressaltou. Wilson disse que Brooks e sua esposa, Walterene, são amigos de longa data da família dele. Brooks trabalhou com Neal Wilson, quando o pai do pastor Ted atuou como líder mundial dos adventistas entre 1979 e 1990. “Ele e sua esposa influenciaram de forma dinâmica, literalmente, milhares e milhares de pessoas em todo o mundo. O pastor Brooks tem sido um grande incentivo para mim pessoalmente”, frisou. O atual orador do programa Breath of Life, Carlton Byrd, declarou que “o pastor C. D. Brooks manteve a luz brilhando”, fazendo referência ao texto de Mateus 5:16. Byrd disse que vai lembrar por muito tempo do exemplo de Brooks, especialmente do modo como lutou contra o câncer. “A magnitude da sua fé em face da adversidade é o que eu considero mais notável”, salientou. [Com informações de Sam Roberts, Matt Schudel e Andrew McChesney / Tradução e adaptação: Camila Torres]

Check Also

A-privatização-da-fé-slider

A privatização da fé

Entenda por que ela foi confinada à vida particular e de que maneira pode voltar a exercer maior relevância na esfera pública.