Nova roupagem

Projeto inova conceito de Pequenos Grupos com o intuito de atrair novos participantes e fortalecer o discipulado e a vida em comunidade
PG FIT
Pequeno Grupo de Manaus foi a porta de entrada da advogada Kelly de Souza para o adventismo.

Há dois anos e meio, Kelly de Souza, de 27 anos, começou a fazer parte de um grupo de 13 pessoas que se reúne semanalmente para estudar a Bíblia e desenvolver os relacionamentos. Desde que foi convidada por uma amiga para participar do Pequeno Grupo Fit, ela se sentiu abraçada pelos integrantes do projeto e não deixou mais de frequentar as reuniões. “Pequeno Grupo é sinônimo de amor. Podemos sempre contar uns com os outros”, conta. Para a advogada, o engajamento na iniciativa foi fundamental para que ela se sentisse um verdadeiro discípulo de Cristo.

Possibilitar que outras pessoas tenham a mesma experiência é o objetivo do projeto I Live PG (Eu Vivo Pequeno Grupo), lançado neste mês pela Igreja Adventista na região norte e centro-oeste do Amazonas.

Com o intuito de fortalecer o programa na região, incentivando os membros a fazer dele um estilo de vida, o projeto ganhou novo nome e logo que comunicam o conceito que pretende ser transmitido. “Trata-se de um conceito que desejamos que seja difundido entre nossos irmãos, famílias e amigos: a igreja que se reúne durante a semana nos lares, escolas, parques, empresas ou no trabalho com o objetivo de evangelizar, discipular, confraternizar, edificar e servir”, explica o pastor José Ivan Jr., líder da área nessa região.

I Live PG - foto 1
Com intuito de fortalecer programas de Pequenos Grupos, igreja investe em conceito diferenciado

Na opinião dele, os Pequenos Grupos ajudam a desenvolver a amizade e o senso de comunidade. “Assim, o propósito é modernizar o conceito dos Pequenos Grupos, aproximando mais as pessoas umas das outras, usando como ênfases principais o amor, o relacionamento e a relevância da igreja na comunidade. O mais importante no pequeno grupo não é o programa e sim as pessoas”, o pastor acrescenta.

Ivan Jr. ainda explica que o projeto surgiu da necessidade de expandir a rede de PGs na região norte e centro-oeste do Amazonas (Associação Central Amazonas). “Queremos que esta nova roupagem atraia mais pessoas. Desejamos inspirar adultos, jovens e crianças a viver em Pequenos Grupos e experimentar os benefícios de viver em comunidade”, o líder conclui.

Dia da multiplicação

O último sábado, 6 de agosto, foi o dia da ênfase na multiplicação de Pequenos Grupos para a igreja na América do Sul. A meta da Divisão Sul-Americana é passar de 80 mil PGs para mais de 100 mil nos próximos anos.

No Brasil, diversas ações marcaram a data. Nos Estados do Pará e Amapá, foram realizadas programações em diversas igrejas com o objetivo de homenagear, motivar e capacitar líderes de Pequenos Grupos. A meta da igreja na região é chegar a 1,7 mil Pequenos Grupos (para ler mais clique aqui).

multiplicação de PGs em BH
Evento realizado na capital mineiro no dia 6 de agosto enfatizou integração da Escola Sabatina e Pequenos Grupos. Foto: Fernanda Beatriz

Já em Belo Horizonte (MG), o Catre (Centro Adventista de Treinamento e Recreação) foi palco de um congresso que reuniu professores da Escola Sabatina e líderes do Ministério Pessoal. Intitulado Multiplique Esperança, o evento enfatizou a formação de Pequenos Grupos a partir das unidades da Escola Sabatina. “A intenção de transformar classes da Escola Sabatina em Pequenos Grupos parte do desejo de revitalizar essas unidades a partir da missão”, explica o pastor Marcos Santiago, líder de Escola Sabatina e Ministério Pessoal para a região central de Minas Gerais e o Triângulo Mineiro (Associação Mineira Central). [Priscila Baracho, equipe RA / Com informações de Leonardo Leite e Fernanda Beatriz]

Check Also

A-privatização-da-fé-slider

A privatização da fé

Entenda por que ela foi confinada à vida particular e de que maneira pode voltar a exercer maior relevância na esfera pública.