Advogada muda de vida depois de ter contato com literatura adventista

Livro missionário jogado por cima do muro alcançou Mirian Késia. Testemunho e batismo da professora universitária marcaram a abertura do Concílio Anual da Divisão Sul-Americana
Emocionada, a advogada Mirian Késia é batizada pelo pastor José Carlos de Lima, diretor-geral da CPB. Foto:
Emocionada, a advogada Mirian Késia é batizada pelo pastor José Carlos de Lima, diretor-geral da CPB. Foto: Liane Prestes

Nem mesmo os altos muros da casa em que mora impediram Mirian Késia, advogada e professora universitária, de receber um exemplar do livro Esperança Viva, literatura que foi distribuída no Brasil e em outros sete países do continente. No dia 14 de maio, sábado em que os membros da igreja saíram às ruas para entregar o livro missionário de porta em porta, Mirian havia saído para fazer compras e almoçar fora. No entanto, ao retornar, se deparou com a literatura no quintal de casa.

Apaixonada por livros, ela pegou o presente e foi impactada pelo título. No mesmo dia, postou um comentário no Facebook, agradecendo o esforço de quem havia deixado o material. “Não sei quem jogou esse livro na minha varanda, mas quero agradecer. Quem arremessou tinha certeza que iria fazer a diferença na minha vida, porque meu muro é muito alto. Obrigada pelo esforço! Poucas páginas lidas e já me sinto abençoada por um ensinamento cristão de profundidade. Em meio às inúmeras situações do dia a dia, a expectativa daqueles que têm esperança em Deus é tremendamente positiva”, expressou por meio da rede social.

Poucas horas depois, a postagem havia registrado milhares de compartilhamentos. Sem saber a razão de tamanha repercussão, a professora universitária que mora em Rio Branco, capital do Acre, foi informada por uma aluna adventista do curso de Direito que a iniciativa fazia parte do projeto Impacto Esperança, campanha desenvolvida há alguns anos pela denominação.

Aproximadamente seis meses depois de ter recebido a literatura jogada por cima do muro, a advogada decidiu selar seu compromisso com Cristo através do batismo. A cerimônia realizada na última sexta-feira, 4 de novembro, emocionou o público durante abertura do Concílio Anual da sede sul-americana da igreja, que reúne cerca de cem líderes de oito países até a próxima terça-feira em Brasília (DF).

Quem a batizou foi o pastor José Carlos de Lima, diretor-geral da Casa Publicadora Brasileira, editora que imprimiu o livro. Além de ter a vida transformada pela literatura, Mirian promove a distribuição do livro missionário em um presídio feminino da região em que mora.

“Eu senti que deveria entregar esse livro para outras pessoas, da mesma forma que foi feito comigo. Porém, meu coração me dizia para distribuí-lo para alguns presos. Por isso, solicitei à igreja por meio do próprio Facebook que disponibilizasse alguns exemplares para que ficassem à disposição da população carcerária. E já pude testemunhar experiências muito emocionantes de presos que receberam esse livro através das minhas mãos e viveram experiências parecidas com a minha a partir da leitura do Esperança Viva”, relatou em um vídeo que foi apresentado aos participantes do concílio antes do batismo. [Márcio Tonetti, equipe RA]

CONHEÇA OUTROS DETALHES DA HISTÓRIA NO VÍDEO

Check Also

A-privatização-da-fé-slider

A privatização da fé

Entenda por que ela foi confinada à vida particular e de que maneira pode voltar a exercer maior relevância na esfera pública.