Bíblia escrita à mão

Voluntária dedica de uma a duas horas por dia para produzir cópias manuscritas do livro sagrado
Josiéli trabalha atualmente na segunda cópia manuscrita da Bíblia. Foto: William de Moraes
Josiéli trabalha atualmente na segunda cópia manuscrita da Bíblia. Foto: William de Moraes

Copiar manualmente o texto bíblico foi a maneira que Josiéli Nóbrega encontrou de ter uma experiência mais profunda com a Bíblia. Embora ela sempre tenha cultivado amor pelos livros, especialmente pelas Escrituras, o fato de precisar ler muito no trabalho não a ajudava a desfrutar da meditação na Bíblia como uma atividade devocional e diferente.

A ideia de transcrever pelo menos um capítulo do livro sagrado por dia mudou sua rotina espiritual. A revisora de textos da Casa Publicadora Brasileira (CPB) percebeu que copiar manualmente a Bíblia em vez de somente lê-la seria muito mais proveitoso para ela.

Há seis anos ela emprega de uma a duas horas diárias na atividade. “Escrevo antes de sair para o trabalho ou à noite, antes de dormir”, conta Josiéli. Os benefícios dessa prática foram tantos que ela faz atualmente a segunda cópia manuscrita da Bíblia e pretende repetir a experiência indefinidamente.

“Para minha vida espiritual, tem sido marcante e proveitoso esse tempo em que me dedico a escrever a Bíblia. Minha oração constante é que Deus imprima em meu coração Sua Palavra, assim como estou registrando-a com tinta em papel. Em plena era do clique, parar para transcrever com caneta é um exercício e tanto para relaxar, descansar o cérebro e ter mais comunhão com Deus”, ressalta.

Voluntário costuma transcrever um capítulo das Escrituras por dia. Foto: William de Moraes
Voluntária costuma transcrever um capítulo das Escrituras por dia. Foto: William de Moraes

Além disso, ela afirma que transcrever as palavras inspiradas tornou seu relacionamento com Deus mais interativo. “Tenho a sensação de que o Mestre me observa enquanto copio suas palavras inspiradas”, sublinha.

Segundo Josiéli, a iniciativa também a ajudou a memorizar textos bíblicos com mais facilidade. “Não tenho habilidade de memória para os números, mas sinto que escrever a Bíblia tem me ajudado a fixar muitos textos e deles me lembrar com mais facilidade, mesmo sem conseguir saber onde se encontram”, garante.

Para quem deseja cultivar hábito semelhante, ela dá a dica: “Escolha um livro de sua preferência e escreva-o em atitude de meditação e oração”. [Fernando Dias, equipe RA]

Veja também

Clássica e moderna

Lançada em novembro, Nova Almeida Atualizada chega aos leitores numa linguagem mais compreensível, mas sem perder características que a tornaram uma das traduções mais lidas pelos cristãos brasileiros.