Fiéis praticam ações de solidariedade depois de massacre em Manaus

Voluntários auxiliaram parentes das vítimas da chacina no complexo penitenciário da capital do Amazonas
Fiéis praticam ações de solidariedade depois de massacre em Manaus - foto 6
Membros da igreja em Manaus montaram tenda em frente ao IML para atender amigos e familiares das vítimas do massacre. Foto: Tatiane Virmes

Oferecer garrafas de água, lanches e exemplares do livro Em Busca de Esperança foi a maneira que voluntários da Igreja Adventista encontraram de demonstrar apoio aos familiares das vítimas do massacre registrado em Manaus (AM) no dia 1º de janeiro. A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas confirmou pelo menos 60 mortes, sendo 56 no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) e outras quatro na Unidade Prisional de Puraquequara (UPP). O número de vítimas é o maior desde a chacina do Carandiru, em 1992, quando 111 detentos morreram.

A ação dos voluntários aconteceu na última quarta-feira (4) em frente ao Instituto Médico Legal, onde parentes aguardavam informações ou esperavam para reconhecer os corpos.

LEIA TAMBÉM: Voluntários oferecem apoio para familiares, torcedores e profissionais da imprensa no estádio da Chapecoense

“Além do abalo emocional, muitas pessoas estavam sem se alimentar direito. Por isso, fomos até o local com o objetivo de oferecer assistência, demonstrar solidariedade e transmitir esperança”, declara o pastor Fabiano Denardi, líder do Ministério de Publicações da sede adventista para a região.

Tobson da Silva, outro voluntário, relata que o clima era de tristeza, dor e angústia. Afinal, de acordo com ele, muitos não sabiam ao certo se o familiar estava na lista dos 184 detentos que fugiram do Compaj e do Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat) ou se estava entre os mortos. A mobilização dos fiéis repercutiu na imprensa local e ganhou visibilidade no site da Folha de S. Paulo (veja mais clicando aqui). [Texto e fotos: Tatiane Virmes/ASN]

VEJA MAIS IMAGENS

Veja também

Fortalecendo o coração da igreja

Dicas para dinamizar as classes da Escola Sabatina e incentivar o contato diário dos membros com o guia de estudos da Bíblia.