Inimigo de todos

Uma vida equilibrada, com o uso harmonioso dos recursos naturais, é, sem dúvida, a melhor arma na luta contra o câncer
4 de fevereiro é o Dia Mundial de Combate ao Câncer. Créditos da imagem: Fotolia

Vivemos em um mundo cada vez mais dividido pela religião, orientação sexual, alimentação, vestuário, política, futebol, muros, etc. Todos divergem em tudo. As pessoas estão perdendo a capacidade de parar, ouvir, refletir e respeitar a opinião alheia. Cada vez mais a intolerância se manifesta nas relações sociais, seja por meio do preconceito ou da violência manifesta em suas variadas formas. Contudo, em momentos de ameaça coletiva ou perigo iminente de morte, mesmo os inimigos se unem contra o mal comum. Os dissidentes se apoiam, as facções se reúnem, os polêmicos se calam. Pois quando o inimigo é mais forte e o risco é para todos, a questão é de sobrevivência.

Assim, a humanidade vive sob o risco iminente de um inimigo de todos, que não faz acepção de pessoas, não escolhe raça, credo ou classe social, nem se importa com as opiniões sobre política ou futebol: o câncer. Responsável direto pela morte de mais de 8 milhões de pessoas todos os anos, no mundo todo, o câncer segue como um dos maiores vilões da atualidade. Portanto, estudá-lo, compreendê-lo, preveni-lo, enfrentá-lo e vencê-lo é, sem dúvida, um desafio e uma prioridade.

Ao contrário do que muitos podem imaginar, o câncer não é uma única doença. Na verdade, a palavra “câncer” representa um conjunto de mais de 100 doenças diferentes. Porém, os vários subtipos têm em comum uma característica fundamental: a multiplicação descontrolada, caótica e agressiva de células. Esse processo resulta em um tumor maligno, que se desenvolve e cresce, invadindo os órgãos adjacentes, podendo lançar células para outros lugares do corpo, que vão formar novos tumores. Chamamos isso de metástase.

Portanto, os diferentes tipos de câncer correspondem aos variados tipos de células do corpo. A depender da função e da localização das células originais que formaram o tumor, a doença irá causar diferentes sinais e sintomas, com graus variados de agressividade e tempo de evolução. Também é importante lembrar que existem diversos fatores responsáveis pelas alterações celulares que levam ao desenvolvimento do câncer. As causas externas estão relacionadas ao meio em que a pessoa vive, incluindo seu trabalho, hábitos e estilo de vida, próprios de sua relação social e cultural. Por outro lado, as causas internas são, na maior parte dos casos, de origem genética, e estão ligadas aos aspectos de imunidade (defesa natural do organismo). Todos esses fatores podem interagir de várias formas, aumentando a possibilidade de transformações malignas nas células normais.

Entre todas as formas de câncer, cerca de 80% a 90% estão diretamente relacionados ao estilo de vida e à consequente exposição a fatores ambientais. Alcoolismo, tabagismo, alimentação inadequada (alimentos processados, ricos em gorduras animais, embutidos e defumados), poluição ambiental e agentes químicos (agrotóxicos, derivados do petróleo, amianto), precocidade e promiscuidade sexual, exposição solar em excesso ou o uso indiscriminado de exames radiológicos são exemplos de fatores externos que promovem alterações celulares que induzem a formação de tumores malignos.

Por isso, o Inca (Instituto Nacional do Câncer) recomenda:

“Uma alimentação rica em frutas, legumes, verduras, cereais integrais, feijões e outras leguminosas, e pobre em alimentos ultraprocessados, como aqueles prontos para consumo ou prontos para aquecer e bebidas açucaradas, podem prevenir de 3 a 4 milhões de casos novos de câncer a cada ano no mundo. Caso a população adotasse uma alimentação saudável e a prática regular de atividade física, mantendo o peso corporal adequado, aproximadamente um em cada três casos dos tipos de câncer mais comuns poderiam ser evitados. Ou seja, para cada 100 pessoas com câncer, 33 casos poderiam ser prevenidos.”

Como sabemos, essas recomendações básicas de saúde já foram prescritas por Deus por meio dos oito remédios naturais: água, ar puro, luz solar (exposição adequada), exercício físico, alimentação saudável, repouso, temperança (uso equilibrado) e confiança em Deus. Como fonte da vida, Ele deseja que vivamos plenamente (Jo 10:10).

Uma vida equilibrada, com o uso harmonioso dos recursos naturais, com atitudes, hábitos e estilo de vida que promovam a adequada relação entre mente, corpo e espírito, é, sem dúvida, a melhor arma contra o câncer e outras doenças que acometem a humanidade.

MARCELLO NIEK LEAL é médico, escritor e coach em medicina e estilo de vida

LEIA TAMBÉM: Muito além da dieta

Veja também

Em rede nacional

Dr. Rodrigo Silva é convidado por emissora de TV para falar sobre evidências que confirmam a Bíblia.

  • Alfredo Wiirzler Neto

    A mensagem de saúde deveria ser uma ferramenta para quebrar preconceitos e auxiliar na pregação do evangelho na atualidade (EGW). Pena que, em muitos lugares ela é vivida mais fora que dentro da igreja. Precisamos de mais informações baseadas na Bíblia, Espírito de Profecia e ciência, apresentadas por pessoas equilibradas que inspirem mais pessoas a levar uma vida saudável.