Pregando para os poderosos

Nos Estados Unidos, pastor adventista é convidado para falar em evento que reuniu líderes políticos e outras figuras públicas

Barry Black, capelão adventista que exerce a função há 14 anos no Senado norte-americano, foi um dos convidados para falar no National Prayer Breakfast (Café da Manhã de Oração Nacional), realizado em Washington, capital federal dos Estados Unidos. O evento, que acontece todos os anos na primeira quinta-feira de fevereiro, reúne cerca de 3,5 mil pessoas, entre líderes políticos e militares, executivos de grandes corporações e representantes de mais de cem países.

Em um discurso de quase meia hora, bastante aplaudido pelo auditório, Black disse que o apóstolo Paulo aconselhou os cristãos a orar pelas autoridades. Seguindo a recomendação bíblica, ele afirmou que tem orado pelo presidente americano, Donald Trump, e seu vice, Michael Pence. “Estou orando para que a mão de Deus esteja com vocês”, frisou.

Black também destacou a importância que a Bíblia exerceu em sua vida. De acordo com o pastor adventista, ele e seus irmãos foram incentivados pela mãe, “uma mulher com pouco estudo, mas com visão ilimitada”, a memorizar trechos das Escrituras.

Conforme disse às  autoridades, um dos textos que memorizou foi o de 1Pedro 1:18-20, que diz: “Pois vocês sabem que não foi por meio de coisas perecíveis como prata ou ouro que vocês foram redimidos da sua maneira vazia de viver que lhes foi transmitida por seus antepassados, mas pelo precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro sem mancha e sem defeito, conhecido antes da criação do mundo, revelado nestes últimos tempos em favor de vocês” (NVI).

“Mesmo com dez anos de idade, eu tinha capacidade analítica suficiente para saber que o valor de um objeto se baseia no preço que alguém está disposto a pagar”, recordou Black. Para ele, pensar sobre o fato de que Deus enviou Seu único filho para morrer pela humanidade foi o que resolveu definitivamente o sentimento de inferioridade que teve em alguns momentos.

Depois de servir a Marinha por 27 anos, Barry Black se tornou o primeiro adventista e o primeiro afro-americano a ocupar o cargo de capelão do Senado americano. Porém, ele não foi o único membro da igreja convidado para discursar no tradicional café da manhã de oração, realizado pela primeira vez em 1953. O neurocirurgião Ben Carson já discursou duas vezes no encontro. A participação mais recente foi em 2013, quando proferiu um discurso que viralizou na internet [Equipe RA, da Redação / Com informações de Mark Kellner, da Adventist Review].

ASSISTA AO DISCURSO NA ÍNTEGRA (EM INGLÊS)

LEIA TAMBÉM

Entrevista com Barry Black: Pastor no meio de Lobos

Veja também

A marca da igreja

Manual traz orientações gerais de como apresentar a igreja em cartazes, sites, outdoors e em qualquer peça de comunicação.