Evangelismo público ganha força na Europa

Igreja está atuando em 4,3 mil pontos de pregação espalhados por oito países
Romenos respondem ao apelo do pastor Ted Wilson em Floresti, nas imediações da capital, Bucareste. Créditos: arquivo pessoal / Facebook

A resposta dos europeus à campanha evangelística iniciada pela igreja em oito países há pouco mais de uma semana tem surpreendido a liderança da denominação. Nem mesmo a efervescência política na Romênia, onde milhares de manifestantes têm ido às ruas para protestar contra o governo, reduziu o público que acompanha a série evangelística nos 1,3 mil pontos de pregação.

May-Ellen Colón palestra em escola de música na cidade de Slavyansk, no leste da Ucrânia. Créditos da imagem: arquivo pessoal

Semelhantemente, os 500 locais de evangelismo na Ucrânia continuam recebendo centenas de pessoas, inclusive na região leste do país, imersa em conflitos desde 2014. May-Ellen Colón, diretora do Serviço Comunitário Adventista Internacional e porta-voz da Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA), lidera quatro pontos de pregação e conta que, apesar de as tensões políticas terem aumentado nos últimos dias na região, “mais de 200 visitantes, além dos membros da igreja e crianças, estão assistindo às reuniões regularmente”.

LEIA TAMBÉM

Resistência na Ucrânia: Psicóloga conta como seus pais e avós enfrentaram perseguição e pregaram o evangelho atrás da cortina de ferro

As reuniões também estão ganhando força na Armênia, Bielorrússia, Bulgária, Geórgia, Moldávia e Rússia.

O pastor Ted Wilson, que está evangelizando em Floresti, perto de Bucareste, capital da Romênia, se mostrou entusiasmado com a frequência do público no país predominantemente ortodoxo. “Como me disse o líder de uma sede administrativa local, isso é como uma bola de neve, pois está ficando cada vez maior”, relatou o presidente mundial da Igreja Adventista.

Duane McKey, que atuou como assessor do pastor Ted Wilson para o programa Total Member Involvement (TMI) e recentemente foi nomeado diretor da Rádio Mundial Adventista, classificou o fato como algo inimaginável! “Esse é um modelo para toda a Europa”, ressaltou.

Em centenas de lugares, as programações vêm sendo dirigidas por voluntários de todas as idades. E esse é um dos principais objetivos dos líderes mundiais da denominação ao realizar grandes campanhas como esta: incentivar a participação de todos os membros na missão.

Na Romênia, dois adolescentes integram a lista de palestrantes. No mesmo país, o aposentado Bruce Parrish, que trabalhou no sistema carcerário dos Estados Unidos, tem pregado todas as noites para um grupo de aproximadamente 50 detentos.

Na região central da Ucrânia, o brasileiro Tiago Leão relata que passa o dia todo preparando suas apresentações para as reuniões da noite, em Uman, uma cidade com 87 mil habitantes. “A resposta da igreja está sendo fantástica! Essa é a experiência mais surpreendente da minha vida”, ele sublinha.

O plano é dar tempo para que os interessados estudem mais profundamente a Bíblia. Por isso, em países como a Romênia, as cerimônias batismais estão previstas somente para o mês de junho.

Embora seja cedo para dimensionar os resultados dos esforços evangelísticos na Europa, os líderes adventistas do continente, como um todo, estão olhando com atenção para o que a igreja está realizando nesses países altamente secularizados. Como noticiou o site da Adventist Mission, trata-se de “um campo experimental para a expansão do [programa] Total Member Involvement no restante do continente”.

“O que Deus vai fazer na Europa Oriental ao longo das próximas semanas vai inspirar um avivamento espiritual em todo o continente”, acredita o pastor Ted Wilson. [Equipe RA, da Redação / Com informações de Andrew McChesney, da Adventist Mission e da Adventist News Network]

Para saber +

Conheça o Seminário Adventista de Teologia da Ucrânia

Veja também

Clássica e moderna

Lançada em novembro, Nova Almeida Atualizada chega aos leitores numa linguagem mais compreensível, mas sem perder características que a tornaram uma das traduções mais lidas pelos cristãos brasileiros.