Pela primeira vez na história

Igreja Adventista passa de 20 milhões de membros
A denominação chegou a 20.008.779 de adeptos em 31 de dezembro de 2016. Foto: Jason Silva

A Igreja Adventista do Sétimo Dia passou de 20 milhões de membros em todo o mundo, de acordo com o novo relatório divulgado pelo Escritório de Arquivos, Estatísticas e Pesquisa da sede mundial da denominação. Em 2016, a igreja obteve um crescimento líquido de 4,6% em relação ao ano anterior, o que resultou no ganho de 882.332 adeptos.

A liderança mundial da igreja vê os números como reflexo do maior envolvimento dos membros na evangelização, o que vem sendo incentivado pelo programa Envolvimento Total do Membro (TMI, na sigla em inglês).

“Cada vez mais, os membros estão se esforçando de maneira considerável no alcance de pessoas para Deus”, atesta David Trim, diretor do departamento de Arquivos, Estatísticas e Pesquisa.

Ele lembra que esses esforços incluem a entrega de livros missionários, feiras de saúde, evangelismo público, entre outros ministérios exercidos segundo os mais variados dons.

As estatísticas mostram que a Igreja Adventista, que foi fundada em 1863 com apenas 3,5 mil membros, atingiu recordes de batismos nos últimos três anos. Em 2014 foram 1.167.506, passando a 1.260.880 em 2015 e chegando a 1.314.950 em 2016.

Batismo histórico realizado em Ruanda no ano passado. Foto: Reprodução da Adventist Review

Somente numa campanha evangelística realizada no ano passado em Ruanda, na África, mais de 100 mil pessoas experimentaram o novo nascimento num dos maiores batismos da história do adventismo.

LEIA TAMBÉM

O renascer de uma nação

A Divisão Centro-Leste Africana foi a região administrativa que obteve o maior crescimento no período: 338.638 novos conversos, chegando a 3.502.462 fiéis no total.

Novas congregações

Outro número que chama a atenção é a taxa de abertura de novas congregações. Uma nova igreja é plantada a cada 3,3 horas. Em 2016, houve um acréscimo de 2.665 tempos.

“As estatísticas mostram que o foco da Missão Global sobre o plantio de igrejas está frutificando. Eu diria que o plantio de igrejas continua sendo um dos fatores principais, se não o principal, na capacitação do crescimento sustentado à medida que os novos crentes são nutridos no companheirismo enquanto se tornam discípulos”, acredita Gary Krause, diretor da Missão Adventista.

No mundo todo, a denominação tem 154.710 congregações, incluindo igrejas organizadas e grupos.

Conservação

Apesar do crescimento, o pastor G.T. Ng, secretário-executivo da sede mundial adventista, chama a atenção para a necessidade de um trabalho mais efetivo na conservação dos membros, já que o percentual dos que abandonam a igreja ainda é expressivo.

No ano passado, 352.722 pessoas deixaram de fazer parte da igreja, número que também inclui óbitos e desaparecimentos. A média desde 2006 é de 584 mil pessoas removidas por ano. Felizmente, o número atual é o menor da última década.

Mesmo assim, a preocupação com as saídas não pode ser deixada de lado. “Devemos lembrar que a conservação e o fortalecimento são o outro lado da mesma moeda”, alerta o pastor G.T. Ng.

Para Trim, os índices de crescimento não devem “cegar” as pessoas para a necessidade de exercer, de fato, o fortalecimento pelo “discipulado ativo”. [Willian Vieira / Com informações de Andrew McChesney, da Adventist Review]

DAVID TRIM FALA SOBRE OS FATORES QUE MOTIVARAM O CRESCIMENTO NUMÉRICO DA IGREJA

Veja também

Pela primeira vez no Brasil

Fórum mundial adventista de novas tecnologias da comunicação está com as inscrições abertas.

  • Carolina Dutra

    Convertem 900 mil e desviam outros 900 mil…

  • Luiz San’Ro

    Interessante! E parabéns.
    Tenho uma observação sobre a reportagem, porém se desejar entrem em contato!

  • Daniel Azevedo

    Ficamos felizes pelo fato de, cada vez mais, novas pessoas estarem conhecendo a Palavra de Deus e tomando a decisão de fazer parte da IASD. No entanto, fico triste pois sei (como líder local de igreja) que esses números são irreais. Não me refiro à quantidade de pessoas batizadas, mas à quantidade de adventistas que seria de 20 milhões. O que acontece é que a quantidade de membros nas igrejas locais é muito inferior à quantidade de membros registrados no sistema. E, para fazer a atualização, é bem burocrático. Em nossa região temos igrejas que, no sistema, possuem 290 membros, quando na realidade só existem 80 membros ativos. Isso acontece há vários anos. Sugiro que os líderes das sedes administrativas façam um esforço para, de fato, se inteirar da verdadeira quantidade de membros nas igrejas. Assim conheceriam também as dificuldades das igrejas locais e certamente veriam que o número de membros é quase 40% menor do que o que consta no sistema.