Como nasce um leitor

Saiba o que os pais e educadores podem fazer para que a criança aprenda a gostar de ler bons livros
Incentivar as crianças a ler bons livros ajuda no desenvolvimento moral e espiritual delas. Créditos: Fotolia

Com a tecnologia em alta, incentivar a leitura é um desafio para pais e professores. Porém, não há tecnologia que substitua o encantamento produzido pelo ato de ler. A leitura é uma atividade importante e traz inúmeros benefícios. Ela promove expansão das ideias, desenvolve a criatividade e a imaginação, instiga a sede de conhecimento, estimula a memória, aumenta a concentração e a atenção, acalma e relaxa.

Além disso, amplia e atualiza o vocabulário tanto em relação à comunicação oral quanto em relação à comunicação escrita e auxilia no processo de alfabetização. A lista de benefícios é grande e não pode faltar nela o fato de que um bom livro é capaz de evocar emoções positivas e ampliar o conhecimento das verdades da Palavra de Deus. Então, o que os pais e educadores podem fazer para que a criança aprenda a gostar de ler bons livros?

Comece quanto antes

Nunca é cedo demais para começar a vivenciar uma experiência de leitura. Ao contrário do que algumas pessoas pensam, uma criança não precisa estar alfabetizada para ter contato com os livros. A criança não está lendo somente quando decodifica as letras; ela também “lê” ao analisar as imagens, imaginar e interagir com o adulto mediador. Desde a gestação, os pais podem ler para os filhos. Estudos indicam que os bebês identificam a voz dos pais, se acostumam com o som que a leitura produz e criam um vínculo afetivo mediado pelo livro. Modular a voz, fazer gestos, manter o contato visual e pronunciar as palavras de maneira clara e carinhosa são atitudes importantes quando se lê para uma criança pequena.

Estabeleça uma rotina

Cada família precisa avaliar o momento ideal para incentivar a prática da leitura: antes de dormir, ao acordar ou após o jantar, por exemplo. O importante é que o momento seja agradável, aguardado pela criança e sem imposições. A leitura deve ser parte da rotina da família e não somente da criança. A frequência da leitura tornará essa prática familiar à criança, e um hábito será formado para a vida toda.

Escolha livros interessantes e de qualidade

Apesar de existirem obras indicadas para todas as idades, o ideal é que o livro esteja relacionado ao estágio do desenvolvimento em que a criança se encontra. Os pais devem ficar atentos às necessidades individuais dos filhos. Em geral, crianças de até dois anos se interessam por livros-brinquedo, cartonados e com sons. Crianças em fase de alfabetização aproveitam a leitura de livros em que as imagens predominam sobre os textos. A partir dos oito anos, os leitores têm maior domínio da língua e conseguem ler com maior fluência e concentração quantidades maiores de texto.

Independentemente do grupo de leitores a que se destina, um bom livro infantil não pode subestimar a inteligência da criança. Por isso, deve ter qualidade literária. Apostar em livros que estimulem a inteligência e apresentem histórias interessantes, ricas em aventuras, questionamentos e situações típicas do universo infantil contribui para que a criança leia com prazer e desenvolva um bom repertório. Entretanto, expor os filhos a livros que produzam medo ou façam aflorar sentimentos e comportamentos negativos prejudica o desenvolvimento do caráter e da espiritualidade.

Incentive a leitura

Presenteie a criança com bons livros. Leve seu filho às livrarias, feiras e exposições de livros. Faça uma seleção de livros que evoquem bons sentimentos e aproximam a criança de Deus. Organize uma biblioteca em casa. Dê um lugar de destaque aos livros e os mantenha ao alcance das crianças. Acima de tudo, seja o exemplo. As crianças precisam ver seus pais e educadores lendo e interessados em adquirir bons livros para os membros da família.

Sugestões de livros para diferentes faixas etárias

0 a 2 anos – Minha Primeira Bíblia traz uma seleção de histórias bíblicas com textos curtos e objetivos, além de ilustrações coloridas e atrativas para o bebê.

3 a 6 anos – O Pequeno Salomão, a Formiga e Outros Bichos pretende despertar competências empreendedoras em crianças.

7 a 10 anos – Sabor do Céu ensina a importância do fruto do Espírito. Além disso, o livro tem preciosas dicas aos pais que os ajudarão a explicar a importância de se desenvolver um caráter cristão.

11 a 16 anos – O Milionário da Caverna relata a história de um jovem infeliz que passou grande parte da vida procurando o propósito de sua existência. Porém, um milagroso processo de transformação teve início quando ele encontrou um “tesouro” numa caverna.

ARIANE M. OLIVEIRA, editora de livros infantojuvenis da CPB, é autora de As Grandes Aventuras da Bíblia e do recém-lançado Guerra no Céu

Veja também

Todos são anjos

Ao ajudar os outros, atuamos como mensageiros de Deus e causamos um impacto positivo.