Viagem ao passado

Primeira igreja organizada na América do Sul recebe visitantes de vários países 
No prédio da igreja que foi organizada há mais de 120 anos hoje funciona um museu que preserva a memória do adventismo no país.

A região de Crespo, na província de Entre Ríos, foi uma das portas de entrada do adventismo na Argentina. Estabelecida nessa localidade em 9 de setembro de 1894, a primeira igreja organizada oficialmente na América do Sul permanece aberta para visitação. No dia 29 de abril, participantes do 12º Simpósio Bíblico-Teológico, realizado na Universidade Adventista del Plata, aproveitaram a oportunidade para conhecer um pouco mais sobre a história adventista no continente.

LEIA TAMBÉM: Cem anos de uma missão

Localizado numa área rural, o templo de Crespo hoje funciona como museu, cujo acervo reúne diversas fotos e objetos antigos que pertenceram aos pioneiros. No fim do século 19, Jorge Riffel e outras três famílias russo-alemãs que haviam aceitado a mensagem adventista nos Estados Unidos, decidiram ir para a Argentina a fim de compartilhar a fé com parentes e amigos que viviam na colônia alemã.

Reinhardt Hetze, que havia tido contato com o adventismo na Europa, foi o primeiro fruto do trabalho evangelístico realizado por esses missionários de sustento próprio. Posteriormente, Jorge e Reinhardt foram chamados por Frank Westphal, primeiro pastor adventista enviado ao continente, de “apóstolos do adventismo na América do Sul”.

Na primeira igreja, que começou com 36 membros e chegou a ter mais de 200 fiéis, os visitantes também puderam conversar com alguns descendentes dos pioneiros, a exemplo de Nilde Hetze, bisneta de Reinhardt. Ela é uma das 30 pessoas que congregam na igreja ao lado, inaugurada em 1944, por ocasião das comemorações dos 50 anos de adventismo na região. Estima-se que ao longo de mais de um século de história tenham saído de Crespo mais de 600 descendentes e mais de 100 missionários.

À esquerda, o segundo templo inaugurado na região, em 1944. Atualmente, 30 pessoas frequentam a comunidade.

Guiados pelo pastor Daniel Plenc, professor do seminário teológico da Universidade Adventista del Plata, o grupo também visitou o Cemitério Aldeia Jacobi, onde estão sepultados Jorge Riffel, Reinhardt Hetze e familiares deles, bem como Thomas Davis, primeiro missionário enviado pela Igreja Adventista à América do Sul. [Márcio Tonetti, equipe RA / Fotos: Vlad Zubkov Leandro Ezequiel Ojeda Ariel Cevora]

VEJA MAIS IMAGENS

Veja também

Projetos humanitários

Conheça algumas iniciativas da ADRA que têm ajudado a promover o desenvolvimento social e econômico em países africanos e asiáticos.