Empreendedor da missão

John Dodd Freeman, fundador da Maranatha Volunteers International, morre aos 95 anos
Por ocasião de sua morte, a família de John pediu que aqueles que desejassem homenageá-lo doassem recursos para a construção de igrejas em vez de comprar flores. Uma dessas igrejas deve receber o nome do fundador da Maranatha. Créditos: reprodução do site da Maranatha Brasil

John Dodd Freeman, fundador da Maranatha Volunteers International, um dos ministérios de apoio mais importantes no cenário adventista atual, morreu na última segunda-feira (22), aos 95 anos, em Salem, capital do estado norte-americano do Oregon.

Durante vários anos, ele e a esposa, Ida Mae, com quem foi casado por 74 anos, viajaram por todo o mundo liderando o projeto e recrutando voluntários. A última ação da qual participou ativamente ocorreu no México, em 2009. “Mesmo aos 88 anos, ele era apaixonado por missões e disposto a servir”, noticiou o site da Maranatha Brasil.

Admirado por muitas pessoas, John deixou cinco filhas, dez netos, 14 bisnetos e um enorme legado para a missão adventista. “Deus não só o usou para começar esse ministério, Ele o escolheu para mudar o mundo”, expressou Don Noble, atual presidente da Maranatha.

Para Noble, 48 anos depois de ter sido fundada por Freeman, a Maranatha Volunteers International se tornou mais do que uma organização missionária. “É um modo de vida, uma comunidade e um compromisso de compartilhar o evangelho por meio do serviço”, completou.

Como tudo começou

Nos anos 1960, o empresário John Dodd Freeman trabalhava com fotografia. Porém, sua paixão era voar. E foi como piloto que ele deu asas à missão. Inicialmente, John desejava levar a família para uma viagem missionária. Porém, o plano foi além. Ele também convenceu  um grupo de aviadores a apoiar projetos evangelísticos, fomentando, assim, missões de curta duração. Como resultado, um grupo de 28 voluntários ajudou a construir a Igreja Adventista do Sétimo Dia de Eight-Mile Rock, na ilha de Grand Bahama, na costa da Flórida. A história  chegou a ser contada anos mais tarde no livro Here Comes Adventure (Review & Herald, 1984), escrito por Robert Pierson, ex-presidente mundial da igreja.

O projeto inspirou a criação da Maranatha Flights International, organização que reunia voluntários que voavam em seus próprios aviões para estabelecer igrejas ao redor do mundo. Uma das maiores mobilizações ocorreu em 1973, quando mais de 20 pequenas aeronaves aterrissaram em Yellowknife, no Canadá, levando voluntários dispostos a plantar uma igreja na região. A ação deu visibilidade ao trabalho da organização.

Em 1989, a Maranatha Flights International, liderada desde 1982 por Don Noble, fundiu-se com a Volunteers International, organização humanitária com sede na Virgínia. A organização foi renomeada e passou a se chamar Maranatha Volunteers International. No mesmo ano, a sede da Maranatha mudou-se de Berrien Springs, no estado do Michigan, para a região de Sacramento, na Califórnia.

A mudança de endereço foi seguida da ênfase na multiplicação dos projetos de construção de templos. Em 1992, cerca de 1,2 mil voluntários se concentraram em Santo Domingo, capital da República Dominicana, a fim de levantar 25 igrejas em um curto período de tempo.

Desde 1969, a Maranatha já trabalhou em mais de 80 países. “Todos os sábados, há centenas de milhares de grupos e congregações se reunindo em locais impróprios para adoração. As pessoas se reúnem em casas, em galpões, ou mesmo debaixo de árvores. Um espaço de má qualidade pode fazer uma congregação diminuir quando os membros tornam-se desanimados e os visitantes relutam em participar. A missão da Maranatha é dar a esses grupos um lugar apropriado de adoração, um edifício que é simples, forte e eficaz”, informa o site oficial da entidade.

Diante da significativa demanda, nos últimos anos a entidade também encontrou maneiras de construir templos de maneira mais rápida e eficiente. É o caso das Igrejas de Um Dia, estrutura de aço galvanizado com um telhado, que permite que ela seja entregue a partes remotas do mundo, onde a construção tradicional seria quase impossível.

Além da construção de igrejas, hoje a Maranatha apoia fortemente a educação adventista, construindo escolas e campus escolares completos, especialmente na Índia e na África. No continente africano, a Maranatha também expandiu o poio para a perfuração de poços, buscando atender as comunidades próximas das igrejas construídas pelo ministério de apoio. [Equipe RA, da Redação / Com informações do site maranathabrasil.com.br, da Adventist Review e de Lisandro Staut]

Veja também

Para a melhor hora do dia

Conheça os novos devocionais que fortalecerão a espiritualidade das famílias em 2018.