Imersão no voluntariado

Universitários do Unasp dedicam férias para servir em 17 países e cinco estados brasileiros
Voluntários ajudaram na reconstrução de um prédio que servirá de centro comunitário na histórica cidade de Alexandria, no Egito. Foto: Marcos Lima

Alexandria, Egito. Missão: reconstruir prédio para sediar centro comunitário. História: os voluntários ficaram impactados ao ver mulheres de burca carregando seus filhos e idosos indo buscar ajuda de cristãos na feira de saúde. “As pessoas estão cansadas de ouvir falar de Jesus, elas querem ver Jesus”, declarou o professor Marcos Lima, um dos líderes da equipe do Unasp, campus São Paulo.

Bolívia, El Carmen. Missão: reforçar a presença adventista local. Contrastes: durante o evangelismo, a mãe Jasinta perde a filha de dez meses. No dia seguinte, nasce Oban, filho do casal Basilla e Martin. “Agora pertenço à família de vocês. Voltem para manter viva a esperança”, disse o pai, após o pastor Jetro Ortega, do campus Hortolândia, ter realizado a cerimônia de dedicação do bebê.

República do Niger. Missão: evangelismo. História: o aluno Abdoul-Aziz Hadja Wayou veio ao Brasil cursar Teologia, mas, ao participar do projeto evangelístico que resultou no batismo de 57 pessoas em seu país, decidiu retornar para sua terra natal a fim de servir, informou o pastor Marcelo Dias, coordenador do Núcleo de Missões do campus Engenheiro Coelho.

Em junho e julho, a odisseia envolveu 350 voluntários dos três campi do centro universitário adventista. Parcerias internacionais viabilizaram 30 projetos de saúde, evangelismo, educação e construção de capelas. No Brasil, o ministério Maranatha Internacional se uniu aos voluntários das Igrejas do campus Hortolândia (SP) e do Botafogo (RJ) para erguer em apenas seis dias um templo em Camaçari (BA).

De curta para longa duração

O voluntariado é o coração da missão, mas, sem o oxigênio da capacitação para servir, o coração deixa de bombear sangue vital para o mundo. É por isso que os centros de voluntariado do Unasp têm investido em treinamento. “Nesses cursos, o voluntário estuda sobre culturas e aprende a liderar projetos”, informa o pastor Antônio Braga Filho, diretor espiritual do campus São Paulo. A ideia é trabalhar com projetos consistentes e, aos poucos, mudar o paradigma de ações de curta duração (semanas ou meses) para projetos de longo prazo (anos ou décadas).

“Atuar em regiões interreligiosas exige mais preparo e permanência do voluntário, pois se trata de um contexto mais complexo e desafiador”, explica o pastor Samir Costa, diretor da AFM Brasil, uma agência missionária sediada no campus Engenheiro Coelho. “Vai além do aprendizado da língua. É preciso compreender o jeito de pensar, viver e crer da região”, completa Samir, que foi missionário por quatro anos em Chipre do Norte.

A transformação pessoal é o maior benefício do voluntariado. Carlos Henrique Andrade Filho, 16 anos, entendeu isso. Após presenciar o batismo de 16 pessoas no rio Maraú, na Amazônia, ele tomou a decisão: “Quero ser batizado também.” Agora ele estuda com seu próprio professor, pastor Dimas Santos Filho, do campus São Paulo.

Quando o arquiteto Rolf Maier, de Engenheiro Coelho, foi apresentado aos desafios dos ribeirinhos dos rios Andirá e Massauari, ele se encantou. “Amor à primeira vista”, confessa. Desde 2014 ele retorna duas vezes por ano ao local com equipe de alunos para ajudar na construção da Escola Técnica Adventista. “O segredo é manter projetos mais duradouros”, completa.

A cidade de Nova York (EUA) recebeu equipes dos campi Hortolândia e São Paulo. O trabalho dos voluntários nos bairros Queen e Bronx influenciou os líderes locais da igreja a planejar a compra de uma van especial para oferecer banho aos moradores de rua.
“O voluntariado tem atraído jovens porque eles desejam viver uma religião prática que lhes dê um sentido maior para a vida”, avalia o pastor Elber Kuhn, líder do Serviço Voluntário Adventista. Esse interesse da juventude deve resultar no lançamento de mais 20 projetos missionários no Unasp para 2018.

JAEL ENEAS é pastor e diretor-geral espiritual adjunto do Unasp

(Texto publicado originalmente na edição de agosto de 2017)

Veja também

Projetos humanitários

Conheça algumas iniciativas da ADRA que têm ajudado a promover o desenvolvimento social e econômico em países africanos e asiáticos.