Racismo em debate

Unasp realiza fórum e lança livro sobre diversidade étnica e combate à discriminação racial
Crédito: Herbert Ferreira

Em agosto, Monalysa Alcântara, jovem negra eleita Miss Brasil 2017, foi alvo de uma onda de comentários racistas nas redes sociais. Tendo em vista o crescimento do número de casos como esse, o Unasp, campus São Paulo, realizou no dia 27 de agosto o Fórum Para Questões Afro-Indígenas na Contemporaneidade.

Por meio de reflexão e incentivo à pesquisa, o evento tem contribuído para promover a diversidade étnica e os direitos da população negra e indígena no país. Um dos pontos principais discutidos neste ano foi a implementação da lei 11.645/08, que regulamenta a obrigatoriedade do ensino da História e Cultura Afro-brasileira e Indígena em todos os níveis da educação.

“Vejo que a população em geral precisa conhecer um pouco mais sobre a cultura, as formas de pensar, os modos de sobrevivência e a violência praticada contra indígenas”, ressaltou Emerson de Oliveira Sousa, sociólogo de origem guarani convidado para falar no evento.

Em um painel sobre as questões raciais no Brasil, Issaka Mainassara Bano, mestrando em Sociologia da Educação pela Unicamp, também apresentou uma análise das experiências de africanos e afrodescendentes.

Já Stephanie Ribeiro, colunista da revista Marie Claire, falou sobre os desafios da mulher negra na sociedade brasileira. “É muito importante discutir a questão do racismo e oferecer espaço para que pessoas prejudicadas falem a esse respeito. Esse é o papel das universidades”, a convidada enfatizou.

“O combate ao racismo, a valorização e o respeito à diversidade étnica e cultural não se resolvem apenas com ações pontuais ou datas comemorativas”, observou a doutora Romilda Motta, coordenadora do fórum.

Como nas edições anteriores, o evento contou com diversas apresentações culturais. O grupo African Melody, quarteto formado por universitárias angolanas, cantou na abertura e no encerramento do fórum. Já o artista plástico Isidro Sanene expôs as obras e telas do trabalho intitulado “Camadas de Nossa Gente”.

A sétima edição do Fórum Para Questões Afro-Indígenas na Contemporaneidade também foi marcada pelo lançamento do livro Diversidade Étnico-Cultural. Publicada pela Unaspress no formato e-book, a obra é voltada especialmente para educadores (para baixar gratuitamente o livro, clique aqui).

“O objetivo dessa obra é levar os leitores a repensar o papel da comunidade acadêmica diante de situações e temas que merecem reflexões mais profundas do que as que circulam no contexto do senso comum”, explica Romilda, organizadora da publicação. [Murilo Pereira, assessor de comunicação do Unasp, campus São Paulo]

Veja também

Projetos humanitários

Conheça algumas iniciativas da ADRA que têm ajudado a promover o desenvolvimento social e econômico em países africanos e asiáticos.