O Natal e as profecias

O evento mais celebrado no Ocidente foi profetizado com séculos de antecedência
Fernando Dias
Crédito: Fotolia

O pinheiro adornado com guirlandas, estrelas e bolas coloridas alegra a sala de estar. Cartões de Natal, impressos ou eletrônicos, tocam o coração com o sentimento de que alguém nos considera. Presentes empacotados com laços coloridos, brincadeiras de amigo-secreto e uma permissão especial para degustar por um dia as guloseimas que não foram provadas durante o ano, tudo isso faz do Natal a mais marcante celebração do mundo ocidental. Apesar da euforia crescente que muda a rotina de todos conforme se aproxima a data de 25 de dezembro, a razão de ser da data às vezes permanece tão discreta como o pequeno bebê deitado na manjedoura entre os magníficos anjos, os majestosos reis, os animais, pastores e demais personagens que adornam os presépios.

Sim, o nascimento de Jesus Cristo, o Salvador do mundo, Deus feito homem, é a razão de ser de toda a celebração natalina. Pelo menos deveria ser. Mesmo que a cultura tenha transformado o Natal mais em um evento folclórico e em um incentivo ao consumismo do que numa festa religiosa, a data ainda é, e deve sempre ser, uma ocasião para anunciar Jesus como o grande presente de Deus ao mundo.

LEIA TAMBÉM: A SECULARIZAÇÃO DO NATAL

Se muita gente celebra o Natal sem atentar que a data foi instituída para relembrar o nascimento do Salvador, poucas sabem que a vinda do Messias Salvador foi anunciada e detalhada com séculos de antecedência por intermédio de profetas inspirados por Deus. Se hoje ninguém pode saber quem será eleito em 2018 como o próximo presidente da República, o que dizer de um livro (o Antigo Testamento), concluído em 425 a.C., descrever em 332 profecias fatos sobre a vida de uma pessoa que nasceria apenas em 4 a.C, portanto com mais de 400 anos de antecedência! Alguém por acaso consegue descrever 332 fatos sobre qualquer pessoa que ainda vai nascer daqui a quatro séculos?

Qualquer um pode palpitar que o próximo presidente do Brasil será paulista ou pernambucano. Existe uma possibilidade de isso acontecer e as chances de acertar são grandes conforme o conhecimento dos fatos e circunstâncias for maior. Mas arrisque-se qualquer previsão para um futuro distante, e as probabilidades de acerto diminuem drasticamente. Logo, acertar com antecedência de séculos o local em que uma pessoa vai nascer, a data, várias de suas atividades e seu papel para o mundo é virtualmente impossível. O teólogo William Hendricksen calculou a probabilidade matemática de todas essas 332 profecias se cumprirem na vida de uma única pessoa e chegou ao astronômico número de 84 × 1097. Esse número com 97 zeros é muitos milhões de vezes maior do que o número de átomos do universo conhecido, que é de 3 × 1074.

Foi profetizado que Jesus nasceria na vila de Belém da Judeia (Mq 5:2), fato cumprido (Mt 2:1, 2); que teria um ministério de 3 anos e meio que se iniciaria exatamente 483 anos após o decreto para a reconstrução de Jerusalém (Dn 9:24-27; Ed 7; Lc 3:1); que nasceria da tribo de Judá (Gn 49:10; Mt 1:3) e da família de Davi (2Sm 7:12; Mt 1:1); nasceria de uma virgem em idade de se casar (Is 7:14; Mt 1:23), nobres lhe ofereceriam presentes (Sl 68:29; Mt 2: 1-11), uma estrela indicaria seu nascimento (Nm 24:17-19; M 2:2). Muito mais detalhadas são as predições referentes a Sua morte, evento que deu propósito ao Seu nascimento e pagou o preço do pecado de todos aqueles que aceitam a Jesus Cristo como único e suficiente salvador (para ver uma lista mais completa de profecias a respeito da primeira vinda de Jesus, clique aqui).

Ao reconsiderar o Natal, lembre-se que esta data não é somente para diversão. A vinda de Jesus Cristo foi anunciada e aguardada com tanta antecedência porque no Menino nascido em Belém seriam atendidas todas as esperanças da humanidade. Jesus não é somente a razão de uma festa, Ele é a razão da vida, da vida em abundância e eterna que Deus prometeu.

Feliz Natal!

FERNANDO DIAS é pastor e editor da Casa Publicadora Brasileira

Veja também

Os adventistas e as eleições

Conselhos que podem ajudar você a se manter fiel aos valores cristãos sem deixar de exercer a cidadania.