O apóstolo do caminho

Livro ajuda a entender a passagem de Paulo por sete cidades do 1º século e como a jornada espiritual dele pode inspirar a nossa
Glauber Araújo

Conhecido como fariseu irrepreensível e perseguidor implacável, Paulo se transformou em um dos maiores propagadores da mensagem cristã durante os primeiros anos do cristianismo. Convertido por meio de uma experiência dramática, o inimigo dos cristãos se tornou o maior defensor do “Caminho” (At 9:2; 19:9, 23; 22:4).

Hoje, quase 2 mil anos após seu martírio em Roma, Paulo é considerado por muitos o maior teólogo e missionário de todos os tempos, tendo sua influência superada unicamente por Cristo. Ao descrevê-lo, Ellen White atestou que “o coração do apóstolo ardia em amor aos pecadores, e ele punha todas as suas energias na obra de ganhar as pessoas. Não existiu jamais um obreiro mais abnegado e perseverante” (Obreiros Evangélicos, p. 59).

Muitos dos versos bíblicos mais conhecidos e estimados por cristãos saíram da mente de Paulo. Suas palavras transformaram a vida de milhões e mudaram o curso da história. Gigantes da teologia como Agostinho, Martinho Lutero, João Wesley, Karl Barth e C. S. Lewis beberam de sua produção literária. Milhares de livros já foram escritos sobre o apóstolo, e muito ainda continua sendo descoberto e escrito a respeito de Paulo.

É por isso que a CPB lançou no fim do ano passado o livro De Tarso a Roma (2017, 112 p.). A obra do pastor, evangelista e educador neozelandês Rex D. Edwards descreve a impressionante jornada de Paulo, desde suas origens, em Tarso, até sua morte, em Roma. Conhecido por sua habilidade de relacionar descobertas arqueológicas contemporêneas e o mundo da Bíblia, o autor estruturou sua obra em sete capítulos que relatam a passagem do apóstolo por sete cidades da época: Damasco, Antioquia, Filipos, Bereia, Atenas, Cesareia e Roma.

O livro oferece uma descrição detalhada dos tempos em que Paulo viveu e as principais características das cidades por onde ele passou. A obra é enriquecida pelas contribuições de especialistas que dedicaram a vida para estudar o contexto em que Paulo viveu, bem como o pensamento e a influência do “apóstolo aos gentios”.

Contudo, a maior contribuição desta obra é o olhar pastoral que lança para a vida de Paulo. Vivemos quase dois milênios depois dos eventos relatados na Bíblia. Muito daquele cenário desapareceu. As religiões que predominavam na época se extinguiram. No entanto, as necessidades e os conflitos do ser humano continuam sendo os mesmos. Por isso, entender o processo de transformação e amadurecimento pelo qual Paulo passou é de extrema importância para aqueles que também sonham com a coroa incorruptível (1Co 9:25).

Trilhar o “caminho” não é fácil, porque envolve lutas e decepções, mas em Paulo encontramos o exemplo de alguém que prosseguiu para o alvo, em direção ao prêmio de sua soberana vocação em Cristo Jesus (Fp 3:14).

TRECHO

“Fé requer viver. É mais do que professar e entender a teologia. No fim, envolve compromisso com a vontade de Deus. A fé tem um conteúdo que enche a mente e move o coração até o momento em que a vida transformada se torna evidente. O objetivo da fé é a fidelidade a Jesus
Cristo” (p. 49).

GLAUBER ARAÚJO é pastor, mestre em Ciências da Religião e editor de livros denominacionais na CPB

(Resenha publicada originalmente na edição de fevereiro de 2018 da Revista Adventista)

Veja também

Além do sofrimento

Nos piores momentos, Deus costuma dar as melhores recompensas.