Tarefa compartilhada

O papel da escola na formação dos filhos é importante, mas não substitui a responsabilidade dos pais na formação do caráter 
Crédito da imagem: Fotolia

Ensino de qualidade, infraestrutura tecnológica, instalações modernas, segurança. Esses são fatores que muitos pais levam em conta na hora de escolher a melhor escola para matricular os filhos. Instituições que prezam a transmissão de valores também estão entre as primeiras na lista de opções de muitas famílias.

Buscar o melhor ambiente para a formação dos filhos é muito importante. Mas o que parece estar ocorrendo hoje é que muitos pais esperam da escola algo que ela não pode oferecer: a responsabilidade total pela educação de uma pessoa em formação. Educar deve ser uma tarefa compartilhada, não terceirizada. A nobre tarefa de moldar um caráter passa pela escola, mas começa e precisa continuar no lar ao longo das fases de desenvolvimento da criança. As responsabilidades no trabalho ou qualquer outro compromisso não justificam que pais e mães terceirizem ou transfiram essa importante responsabilidade.

Para que nossos filhos realmente se desenvolvam de maneira completa – intelectual, emocional, física, social e espiritualmente -, é preciso que escolas e pais trabalhem em parceria. Um não substitui o outro, mas se complementam.

Seria interessante que pais e mães se inteirassem do que diz a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), documento que norteia a organização da educação formal, a fim de compreender melhor o que a escola deve desenvolver no ensino e refletir em quais aspectos seu papel difere da função da escola.

Aos pais, cabe não apenas acompanhar as atividades educacionais dos filhos, mas prover a base da formação do caráter. Precisamos amar e impor limites. Quantas crianças há que ainda nem pronunciam palavras e já estão “dominando” seus pais? Criança necessita da orientação de um adulto responsável para se desenvolver, o que não quer dizer que não possamos aprender com ela também.

Da mesma forma que as escolas devem se responsabilizar pelo que é de sua competência, igualmente os pais necessitam fazer a lição de casa, sendo presentes no direcionamento das ações familiares, ensinando como tratar as pessoas e como se comportar em público, além de valores como o respeito a todas as pessoas. Educação começa em casa e, para que ela tenha uma boa continuidade no ambiente escolar, os pais não podem negligenciar seu papel.

Além de transmitir conhecimentos construídos socialmente, a escola ensina o aluno a estabelecer bons relacionamentos entre seus pares, incentivando a boa convivência. Porém, sabemos que no ambiente escolar o aluno geralmente repete comportamentos apreendidos no lar. Portanto, incentive o diálogo, a expressividade, o respeito às regras, o saber viver bem.

Certamente escola e o lar podem estabelecer uma parceria duradoura quando ambas se auxiliam e buscam o melhor para o educando. Quando os pais são presentes em casa também são presentes na escola. E isso faz toda a diferença na formação integral dos nossos filhos. Seja presente! 

NÁDIA TEIXEIRA, mestre em Educação e especialista em Teologia e Psicopedagogia, atua como coordenadora pedagógica da Universidade Corporativa da educação adventista no Brasil

Veja também

Prêmio da educação

Projetos diferenciados desenvolvidos por professores da rede adventista são premiados.

  • ida farias

    A família tem papel fundamental na criação e educação dos filhos, a escola é uma parceira que tem um papel importante.
    Mas a base é a família e sempre será.

    • Nádia Teixeira da Silveira

      Exatamente. Educação com responsabilidade, assumindo a parte que lhe compete.