Companhia diária

Editora adventista lança os devocionais que irão edificar os membros da igreja no próximo ano
Pr. Erton Köhler, líder da igreja no continente, durante o programa de lançamento dos devocionais para 2019. Foto: Daniel de Oliveira e William Moraes

Intitulado Minha Consagração Hoje, o primeiro devocional impresso pela Casa Publicadora Brasileira foi lançado em 1953. Na época, ele tinha formato de calendário e era, portanto, bem diferente do modelo atual. Foi somente três anos mais tarde que o material passou a ser editado no formato de livro.

Das 65 Meditações Diárias produzidas até agora, 31 foram escritas por estrangeiros, sendo que 21 consistiram em compilações dos escritos de Ellen G. White. O primeiro brasileiro a entrar para a lista de autores do devocional foi o pastor Enoch de Oliveira, em 1990, com a publicação da obra intitulada Bom Dia, Senhor. Na época, o ex-presidente da igreja no continente já havia se aposentado.

Pr. José Carlos de Lima, diretor-geral da CPB, mostra exemplar da primeira meditação publicada pela igreja no Brasil, em 1953. Foto: Daniel de Oliveira e William Moraes

Quase trinta anos depois, outro brasileiro entra para a história da publicação. Autor das Meditações Diárias do próximo ano, o pastor Erton Köhler é o primeiro líder da igreja no continente a escrever o devocional ainda no exercício da função, como destacou o pastor José Carlos de Lima, diretor-geral da Casa Publicadora Brasileira, numa programação que reuniu os servidores da CPB e diversos líderes da igreja na sede da editora na última quinta-feira (6).

Presente no programa de lançamento das Meditações Diárias, da Inspiração Juvenil e da Meditação da Mulher para 2019, o pastor Erton Köhler falou sobre o desafio de conciliar a produção do material e as diversas responsabilidades administrativas. Desde que recebeu o convite para escrever o devocional, há três anos, o líder adventista começou a reunir materiais e a fazer anotações, mas escreveu o primeiro texto somente em fevereiro deste ano. “Quando eu olho para o livro, eu mesmo tenho dificuldade de entender como foi que tudo isso ficou pronto. Por isso, o sentimento é de realização por ver o livro impresso e de gratidão a Deus por ter me dado a oportunidade de escrevê-lo”, expressou o pastor Erton.

Num momento de entrevista com o autor, dirigido pela jornalista Betina Pinto durante o evento, ele disse que ao levantar informações para o devocional foi impressionado por histórias como a do casal Ignacio e Cecilia Kalbermater. Eles viveram dias difíceis no campo missionário. Enquanto serviam no Paraguai, perderam o primeiro filho, Ismael, com apenas um ano e oito meses de idade. Por conta de uma viagem, Ignacio só soube do falecimento do filho cinco dias depois. Mais tarde, trabalhando na Bolívia, o casal recebeu outro duro golpe com a perda da segunda filha, que morreu sufocada com a própria fralda quanto tinha nove meses. Apesar do sofrimento extremo, a família não desistiu, mas continuou fazendo grandes sacrifícios pela missão nesses países. “Me emocionei ao ver como Deus dirigiu os rumos dessa história. A igreja cresceu e, décadas depois, o neto do casal retornou ao Paraguai para ser presidente da igreja para todo o país. O que antes havia sido o distrito do avô tornou-se uma União, presidida por seu neto, também chamado Ignacio Kalbermatter. Além disso, desde o fim de 2017, o bisneto de Ignacio e Cecilia, Hiram Kalbertmatter, é o presidente da Igreja Adventista para toda a Bolívia. Seus filhos foram sepultados naqueles países, mas seus descendentes voltaram para continuar a obra”, relatou.

Outra história que irá inspirar os leitores no ano que vem é a que está relatada na página 330 do devocional intitulado Nossa Esperança. Ao falar sobre os milagres de Deus em favor do Seu povo, o pastor Köhler conta como um folheto entregue por um garoto de 13 anos a um senhor embriagado levou 25 membros da família Godinho ao batismo, incluindo Paulo, que é pastor, e mais oito amigos que também foram conduzidos a Cristo pela influência dessa família.

Autor das Meditações Diárias tem encontro surpresa com Ivan, personagem cuja história é contada no livro. O folheto entregue por ele foi o ponto de partida para que 25 membros de uma mesma família aceitassem a mensagem. Foto: Daniel de Oliveira e William Moraes

Foi por meio do pastor Paulo que o autor ouviu o testemunho e decidiu registrá-lo no livro. No entanto, o pastor Erton Köhler não esperava a surpresa preparada pelos organizadores do programa. Além de seu Leontino, o homem alcoolizado que recebeu o folheto, e dona Rosinha, a primeira a tomar a decisão de se tornar adventista, o autor do devocional também pôde conhecer pessoalmente Ivan, hoje com 56 anos. Para encerrar a festa, o pastor Paulo Godinho entrou no tanque para realizar mais um batismo, símbolo dos frutos que continuam sendo colhidos como resultado da semente que foi plantada no passado por um adolescente.

Além do devocional Nossa Esperança, também foi lançada a Meditação da Mulher, intitulada Toques de Alegria, e a Inspiração Juvenil, obra escrita pelo pastor e jornalista Francisco Lemos que está sendo republicada com o título Natureza Viva.

Saiba +

Como é produzido um devocional

Saiba como são escolhidos os autores dos devocionais e quais são os critérios que eles precisam seguir.

  •  Os autores das meditações são escolhidos por uma comissão da Casa Publicadora Brasileira e referendados pela Comissão Diretiva da sede sul-americana.
  • Em geral, os autores são convidados com três a cinco anos de antecedência.
  • A partir de então, o autor escolhe um tema central, envia uma proposta ou amostra para os editores e começa a escrever as reflexões.
  • Entre outras coisas, o autor deve abordar assuntos relevantes para a vida espiritual do dia a dia; usar a criatividade ao abordar os tópicos; escrever um texto leve e inspirador; evitar temas polêmicos ou negativos; terminar a reflexão de cada dia com algo positivo, surpreendente e inspirador; tirar uma lição ou fazer aplicação em cada texto.
  • A ideia principal de cada reflexão deve ser abordada de forma breve e objetiva a fim de que o leitor consiga entender e reter o conteúdo com facilidade.
  • O texto bíblico precisa ser ajustado à ideia ou fato em questão, e a aplicação deve resgatar o texto bíblico, de forma que a ideia e o texto bíblico estejam entrelaçados.
  • Cada meditação deve conter alguns elementos essenciais: texto bíblico, ideia-chave, desenvolvimento e aplicação.
  • O objetivo é colocar o leitor em contato com Deus, a fonte da vida, a fim de que receba uma porção da graça divina para cada dia.

Fonte: Editoria de livros denominacionais da CPB

VEJA MAIS IMAGENS DO PROGRAMA DE LANÇAMENTO DOS DEVOCIONAIS PARA 2019

Veja também

Teste para a unidade

A igreja é uma família com espaço para diferenças de cultura e opinião, desde que não comprometam  a teologia, o estilo de vida e a missão.