35 anos depois

Unasp, campus Engenheiro Coelho, relembra o início desafiador, avalia sua influência na igreja e comemora nota
A fazenda de laranjas se tornou um centro universitário nota 5 no MEC e com o maior internato do Brasil: 2 mil alunos residentes. O desafio agora é investir em pesquisa acadêmica. Foto: Fábrica Visual do Unasp-EC

O lugar era conhecido por ser uma fazenda de laranjas a 165 km de São Paulo. Com ruas de barro e difícil acesso, abrir um campus do então Instituto Adventista de Ensino (IAE) no interior foi a saída para minimizar a perda de terreno que houve no campus da capital, por causa da grande desapropriação realizada pela prefeitura paulistana no início da década de 1980.

De 1983, quando a Igreja Adventista comprou a fazenda no bairro Lagoa Bonita, até hoje, a instituição se tornou o maior internato do Brasil, com 5 mil alunos, sendo 2 mil deles internos; e um dos centros universitários mais bem avaliados pelo MEC, transformando-se num polo de ciências humanas e engenharias.

“Gosto muito de conversar com aqueles que viveram os primeiros desafios desta instituição, os sonhos que eles tiveram sobre este lugar e que hoje se concretizam. Para uma instituição universitária, completar 35 anos é pouco tempo, mas já podemos celebrar nossa maturidade em várias áreas, como na música, nos eventos, nas estratégias missionárias e em programas de voluntariado”, avalia o pastor Paulo Martini, diretor-geral da instituição desde 2004.

Em 2018, as celebrações ocorreram ao longo do ano e tiveram como destaque o lançamento do DVD do grupo Novo Tom, do aplicativo Vitrine Unasp, que reúne toda a produção musical e de conteúdo do campus, concertos musicais e a apresentação do cantor Steven Green, nos dias 11 e 12 de agosto. Ele, que havia cantado no 15º aniversário do campus, voltou ao Brasil para a comemoração dos 35 anos da instituição.

Por ser um dos principais polos difusores da música e da teologia da igreja no Brasil, pelas alamedas do campus passaram muitos alunos que hoje influenciam o adventismo no país. O pastor Odaílson Fonseca é um deles. Ele já trabalhou como líder de jovens nas regiões Sul e Nordeste do Brasil, foi diretor da TV Novo Tempo e agora é o diretor do departamento de comunicação da sede paulista da igreja. Para Odaílson, a influência positiva do Unasp é multiplicada pela atuação de seus ex-alunos.

Atualmente, o Unasp campus Engenheiro Coelho oferece 16 cursos de graduação, com abertura de quatro novos para 2019 (Psicologia, Veterinária, Farmácia e Odontologia), 22 cursos de pós-graduação e MBAs, um mestrado profissional em Educação, além do ensino básico e médio. Em agosto, o centro universitário recebeu a nota máxima do MEC, classificando a instituição como uma das melhores do país.

“Nosso desafio agora é investir ainda mais em projetos de pesquisa, extensão, em infraestrutura e na abertura de programas de mestrado e doutorado. Todo esse esforço é para receber jovens e instruí-los de forma integral, formando profissionais preparados e fiéis a Deus”, finaliza Martin Kuhn, reitor do Unasp.

MAIRON HOTHON é jornalista e assessor de comunicação da reitoria do Unasp

(Publicada na edição de setembro de 2018 da Revista Adventista)

Veja também

Igreja responde dúvidas sobre documento de conformidade

Diretrizes de como lidar com instituições que não estiverem em conformidade com a Igreja Adventista mundial foram aprovadas nesta semana em reunião administrativa nos EUA.