35 anos depois

Unasp, campus Engenheiro Coelho, relembra o início desafiador, avalia sua influência na igreja e comemora nota
A fazenda de laranjas se tornou um centro universitário nota 5 no MEC e com o maior internato do Brasil: 2 mil alunos residentes. O desafio agora é investir em pesquisa acadêmica. Foto: Fábrica Visual do Unasp-EC

O lugar era conhecido por ser uma fazenda de laranjas a 165 km de São Paulo. Com ruas de barro e difícil acesso, abrir um campus do então Instituto Adventista de Ensino (IAE) no interior foi a saída para minimizar a perda de terreno que houve no campus da capital, por causa da grande desapropriação realizada pela prefeitura paulistana no início da década de 1980.

De 1983, quando a Igreja Adventista comprou a fazenda no bairro Lagoa Bonita, até hoje, a instituição se tornou o maior internato do Brasil, com 5 mil alunos, sendo 2 mil deles internos; e um dos centros universitários mais bem avaliados pelo MEC, transformando-se num polo de ciências humanas e engenharias.

“Gosto muito de conversar com aqueles que viveram os primeiros desafios desta instituição, os sonhos que eles tiveram sobre este lugar e que hoje se concretizam. Para uma instituição universitária, completar 35 anos é pouco tempo, mas já podemos celebrar nossa maturidade em várias áreas, como na música, nos eventos, nas estratégias missionárias e em programas de voluntariado”, avalia o pastor Paulo Martini, diretor-geral da instituição desde 2004.

Em 2018, as celebrações ocorreram ao longo do ano e tiveram como destaque o lançamento do DVD do grupo Novo Tom, do aplicativo Vitrine Unasp, que reúne toda a produção musical e de conteúdo do campus, concertos musicais e a apresentação do cantor Steven Green, nos dias 11 e 12 de agosto. Ele, que havia cantado no 15º aniversário do campus, voltou ao Brasil para a comemoração dos 35 anos da instituição.

Por ser um dos principais polos difusores da música e da teologia da igreja no Brasil, pelas alamedas do campus passaram muitos alunos que hoje influenciam o adventismo no país. O pastor Odaílson Fonseca é um deles. Ele já trabalhou como líder de jovens nas regiões Sul e Nordeste do Brasil, foi diretor da TV Novo Tempo e agora é o diretor do departamento de comunicação da sede paulista da igreja. Para Odaílson, a influência positiva do Unasp é multiplicada pela atuação de seus ex-alunos.

Atualmente, o Unasp campus Engenheiro Coelho oferece 16 cursos de graduação, com abertura de quatro novos para 2019 (Psicologia, Veterinária, Farmácia e Odontologia), 22 cursos de pós-graduação e MBAs, um mestrado profissional em Educação, além do ensino básico e médio. Em agosto, o centro universitário recebeu a nota máxima do MEC, classificando a instituição como uma das melhores do país.

“Nosso desafio agora é investir ainda mais em projetos de pesquisa, extensão, em infraestrutura e na abertura de programas de mestrado e doutorado. Todo esse esforço é para receber jovens e instruí-los de forma integral, formando profissionais preparados e fiéis a Deus”, finaliza Martin Kuhn, reitor do Unasp.

MAIRON HOTHON é jornalista e assessor de comunicação da reitoria do Unasp

(Publicada na edição de setembro de 2018 da Revista Adventista)

Veja também

Menos é mais

Apesar da pressão da sociedade consumista atual, o que possuímos não deve nos possuir nem nos definir.