A didática da redenção

Saiba como os materiais produzidos pela igreja no Brasil têm se tornado um modelo para outros sistemas de ensino
Thiago Basílio
A CPB Educacional produz também materiais didáticos e paradidáticos para mais de 160 escolas que não são da rede adventista. Foto: Divulgação CPB

Ao longo dos anos, a rede educacional adventista tem buscado preservar a tradição do ensino integral e, ao mesmo tempo, aprimorar práticas pedagógicas, o sistema de gestão e, principalmente, a proposta didática.

A produção de livros escolares na Casa Publicadora Brasileira (CPB) teve início em 1983. Três décadas depois, o portfólio reúne 102 títulos didáticos e 202 paradidáticos, somando quase 50 milhões de unidades impressas, que chegam a mais de 220 mil alunos brasileiros e a estudantes de países como Argentina, Coreia do Sul, Espanha e Estados Unidos.

LEIA TAMBÉM:

Prêmio da educação

Embora os livros didáticos e paradidáticos produzidos pela igreja tenham o objetivo de atender os alunos da rede, seu alcance tem ido além da educação adventista. Nos últimos anos, várias instituições de ensino particulares adotaram esses materiais. “Atualmente, atendemos 648 escolas. Se fôssemos comparar, esse número supera o de escolas da rede estadual do Espírito Santo, por exemplo. Dessas unidades, 164 são instituições que não fazem parte da rede adventista de ensino, mas que se identificam com a nossa filosofia educacional. Essa é uma forma de divulgar os valores cristãos além dos limites das nossas escolas”, destaca Alexander Dutra, gerente da CPB Educacional, setor responsável pela produção dos didáticos e paradidáticos no país.

Uma dessas instituições é o Colégio Portinari, de Boituva (SP). “O que chamou a atenção foram os valores que o material da CPB proporciona, dando auxílio à educação”, argumenta Renata Marcondes, diretora da escola.

Outro exemplo é a Escola do Pensar. Localizada em São Paulo (SP), a unidade utiliza os livros didáticos da CPB há mais de 30 anos. Ali, cerca de mil estudantes, da pré-escola ao ensino médio, têm contato com os ensinamentos cristãos. “Eu sempre fui muito exigente com o material didático e, de todos os que conheci, o da CPB é o melhor”, avalia Guy José Leite, diretor da instituição, que enxerga na abordagem criacionista o grande diferencial da educação adventista. Tal interesse pelos projetos da CPB Educacional ajuda a levar sua filosofia de ensino cristão a mais estudantes.

É essa característica que conquista a credibilidade de tantas instituições em todas as regiões do país. “Ao ter contato com centros de ensino que utilizam nossa proposta, algo que me surpreendeu foi como as pessoas amam o nosso material. Falando da minha região, outra coisa que me chamou muito a atenção é que quase 100% das escolas que atendo adotam o livro de ensino religioso”, comenta Elisângela Peixoto de Almeida Souza, divulgadora da CPB Educacional na Bahia.

Os dados corroboram a importância missionária que os livros didáticos adventistas exercem na formação consciente, completa e redentora de todos os que utilizam esses materiais em seu cotidiano acadêmico.

THIAGO BASÍLIO, jornalista e mestre em Divulgação Científica e Cultural, é editor web na CPB Educacional

VEJA TAMBÉM

Veja também

Oito décadas de Vida e Saúde

Conheça a história de pioneirismo e a filosofia da revista que tem promovido o estilo de vida adventista há várias gerações.