Em nome da paz

Foto: Vicenzo Pinto (AFP)

Numa visita histórica aos Emirados Árabes Unidos, em 4 de fevereiro, o papa Francisco disse num encontro inter-religioso que as grandes tradições de fé precisam se unir para resistir à lógica da guerra. “Não há alternativa: construiremos o futuro juntos ou não haverá futuro”, discursou o pontífice para centenas de líderes islâmicos e judeus. No fim do encontro, Francisco e o xeique Ahmed el-Tayeba, líder sunita, assinaram uma declaração conjunta sobre fraternidade humana e luta pela paz mundial. Ambos lançaram também a pedra angular de uma nova igreja e mesquita que serão construídas lado a lado em Abu Dhabi. No dia seguinte, o papa celebrou uma missa para 135 mil fiéis. Estima-se que 9% dos 9 milhões de habitantes dos Emirados sejam cristãos. De algum modo, esse passo amplia as perspectivas do ecumenismo [Wendel Lima, equipe RA].

Veja também

125 anos depois

Data histórica é comemorada no “berço” do adventismo no continente.