Encontro de editores

Brasileiros e argentinos se reúnem na sede sul-americana da Igreja Adventista para discutir desafios comuns do trabalho editorial
Cerca de 70 brasileiros e argentinos participaram do 4º Encontro Sul-Americano de Editores realizado na sede continental da igreja, em Brasília (DF), nos dias 21 a 23 de março. Foto: Jorge Márcio de Oliveira

O mundo tem mudado bastante e novas tendências culturais, sociais e teológicas surgem a cada momento. Essas questões emergentes representam, evidentemente, um grande desafio para o trabalho editorial na atualidade. Por isso, a cada dois anos as editoras adventistas do Brasil e da Argentina e a sede continental da denominação têm promovido o Encontro Sul-Americano de Editores, evento que discute tendências editoriais e teológicas, visando manter a relevância e identidade do trabalho editorial.

Na quarta edição do evento, realizada em Brasília (DF) nos dias 21 a 23 de março, o auditório da sede administrativa sul-americana recebeu um grupo de cerca de 70 servidores da Casa Publicadora Brasileira (CPB) e da Asociación Casa Editora Sudamericana (ACES). “O tema que escolhemos,  A Palavra Eterna em uma Sociedade em Mudança, reflete bem o momento em que vivemos e a mensagem que queríamos destacar”, comenta o pastor Marcos De Benedicto, editor-chefe da CPB.

Foram discutidos assuntos de natureza mais teológica, mas também questões ligadas à prática editorial. Num dos painéis, os convidados falaram de suas preferências literárias e do estilo que procuram seguir na hora de transcrever as ideias para o papel ou o computador. Em outro momento, a pauta tocou em questões mais preocupantes, como o futuro da indústria gráfica. Um dos pontos da discussão foi a necessidade de encontrar meios de integrar a mídia física e a digital. Apesar de a maioria das pessoas ainda preferir ler livros em papel, os hábitos de consumo de informações estão mudando e é preciso encontrar novos meios de tornar o conteúdo atrativo especialmente para as novas gerações no mundo virtual, como explorou o pastor e jornalista Diogo Cavalcanti, coordenador da editoria de livros denominacionais da CPB.

Bill Knott, diretor executivo da Adventista Review e da Adventist World: “Se fizermos bem o nosso trabalho, vamos minimizar a importância da mídia alternativa”. Foto: Márcio Tonetti

Por sua vez, o editor associado da Adventist Review, Gerald Klingbeil, trouxe a debate a importância da sensibilidade aos temas do momento. Isso implica pensar mais na realidade dos leitores, conforme ele ressaltou. Ao mesmo tempo, discutiu-se a necessidade de equilíbrio nas publicações ao tratar de temas sensíveis, como ressaltou Bill Knott, editor executivo da Adventist Review e da Adventist World.

Já o pastor Erton Köhler, líder sul-americano da igreja, exortou os participantes a escreverem mais sobre aquilo que a igreja não está acostumada a ouvir. “Escrever sobre o que eles já ouvem, falar sobre o que eles já conhecem para dar um pouco mais de profundidade é bom. Mas falar sobre o que eles não estão ouvindo em outro lugar é uma necessidade. Nossos materiais precisam dar o que, infelizmente, nossos púlpitos não estão dando”, ele sublinhou ao falar sobre a necessidade de publicações que reforcem as crenças fundamentais do adventismo.

Temas de natureza mais teológica, que incluíram reflexões sobre reinterpretações da Bíblia e a radicalização no adventismo, ficaram a cargo dos teólogos Alberto Timm e Artur Stele. “As palestras tiveram um bom nível e tocaram em temas importantes para a formação do editor”, avalia Wendel Lima, editor associado da Revista Adventista e editor da Conexão 2.0.

“Nunca aprendi tanto em tão pouco tempo. Foi realmente um privilégio poder assistir às palestras e absorver todo o conteúdo que estava sendo apresentado!”, acrescenta Edna Vieira, revisora associada da área de didáticos.

Editoras adventistas sul-americanas e sede continental da igreja têm investido na formação de editores. Foto: Márcio Tonetti

A possibilidade de reunir editores das duas instituições da igreja a cada dois anos permite ver que há desafios comuns a ser enfrentados e discutir soluções conjuntas, conforme destaca Estela de Aranda, que trabalha com didáticos e é editora da revista Mis Amigos (versão hispana da Nosso Amiguinho) na ACES. “Apesar de as editoras terem públicos diferentes e trabalharem em idiomas distintos, a missão é a mesma”, conclui o pastor Marcos Blanco, chefe de Redação da editora adventista da Argentina.

Para saber mais a respeito do que foi discutido no 4º Encontro Sul-Americanos de Editores, leia a matéria que será publicada na versão impressa em abril.

MÁRCIO TONETTI é editor associado da Revista Adventista

VEJA OUTRAS IMAGENS DO EVENTO

Veja também

Revista premiada

Periódico mais antigo da igreja em circulação recebe prestigiado prêmio nos Estados Unidos.