Saldo positivo

Apesar das turbulências na economia global, as finanças da igreja têm se mantido equilibradas
No relatório apresentado no Concílio da Primavera, Juan Prestol-Puesán, tesoureiro da sede mundial adventista, ressaltou o aumento das arrecadações de dízimos e, por outro lado, a diminuição das despesas do escritório da Associação Geral. Foto: ANN

Apesar da instabilidade no mercado financeiro e da desvalorização de algumas moedas estrangeiras em 2018, a igreja fechou o ano com saldo positivo. Nas palavras de Juan Prestol-Puesán, tesoureiro da sede mundial adventista, os indicadores refletem a benção Deus, a fidelidade dos membros e o maior controle das despesas.

Em seu relatório apresentado nesta terça-feira (9) durante o Concílio da Primavera, em Silver Springs, Maryland (EUA), ele informou que a denominação contabilizou aumento de 3,6% nas entradas de dízimos. Isso representou um acréscimo de 89 milhões de dólares nas arrecadações. O dízimo no período totalizou 2,5 bilhões, sendo que quase metade (1,077 bilhão de dólares) veio da Divisão Norte-Americana.

O relatório de Prestol-Puesán também chamou a atenção para o fato de as ofertas missionárias terem alcançado mais de 88 milhões, cifra que não inclui as contribuições dos membros para as igrejas locais.

Por outro lado, pelo segundo ano consecutivo a igreja tem cortado gastos. Somente com despesas de viagem, o escritório da Associação Geral economizou 1,1 milhão de dólares no ano passado. Ray Wahlen, tesoureiro associado, observou que as despesas operacionais totais ficaram significativamente abaixo do máximo votado pela igreja. “Em termos percentuais, as despesas operacionais reais do escritório foram de apenas 85,64% do teto”, ele informou.

Projeções

Embora os indicadores dos últimos doze meses tenham sido positivos, a liderança da denominação acredita que a desvalorização cambial ainda possa impactar as finanças da igreja em 2019 e nos anos seguintes. “Por isso, continuaremos fazendo o melhor que pudermos para minimizar o impacto negativo da flutuação cambial. Despesas e alocações serão cuidadosamente monitoradas”, enfatizou Prestol-Puesán.

Ao fim da prestação de contas, o tesoureiro da sede mundial manifestou gratidão à contínua providência de Deus e à fidelidade dos membros. “Agradecemos a Deus por suas bênçãos e aos nossos membros por sua generosidade”, ele fez questão de ressaltar. E acrescentou: “Se formos fiéis e administrarmos bem os recursos, o Senhor nos abençoará. Ele entende nossas estações, nossos tempos e nossas necessidades; e nos guiará e proverá o que for melhor para nós”. [Equipe RA, da Redação / Com informações da Adventist Review e da Adventist News Network]

Veja também

Onda de desemprego

Saiba o que fazer se você estiver entre os 12 milhões de brasileiros que perderam o trabalho.