Segundo o coração de Deus

Novo livro lançado pela CPB mostra que o culto familiar é o propósito divino para as famílias
Imagem: Divulgação

De acordo com a escritora Ellen G. White, se há um tempo em que cada casa deve ser um lugar de oração, esse tempo é hoje (Orientação da Criança, p. 517). Para fortalecer os lares nesse propósito e facilitar tal prática, a CPB acaba de lançar a obra O Altar da Família (2019, 204 páginas). Em linguagem acessível, o livro reúne métodos e técnicas para o estudo da Bíblia em grupos familiares. Os autores o fundamentaram em pesquisas e na experiência deles como auxiliadores de relacionamento de casais. O material é dividido em quatro capítulos, que apresentam um tema central dividido em tópicos. Na sequência de cada tópico, é disponibilizada uma ficha com perguntas que orientam a reflexão e a oração em família.

LEIA TAMBÉM:

Cuidado da família

Os autores apontam os desafios enfrentados pela família do século 21: nem todos os membros da família tomam as refeições no mesmo horário, tampouco têm os mesmos horários de saída e chegada em casa; falta tempo para os membros da família se reunirem para o culto familiar; falta conhecimento para elaborar e dirigir o culto familiar; falta preparação adequada para esse momento; muitos têm dificuldades para orar em voz alta e apresentar as reflexões de forma interessante; existe a ideia de que o culto familiar seja responsabilidade da mulher; nota-se um sentimento de vergonha perante os jovens, as crianças e outros.

A fim de se contrapor a esses desafios, o livro apresenta vários recursos:

• Planilhas para a realização do culto familiar.

• Planejamento de textos bíblicos para meditações temáticas.

• Textos bíblicos para estudo utilizando o método pictórico-indutivo.

• Plano de leitura da Bíblia e do Espírito de Profecia.

• Modelos de meditações bíblicas ilustradas.

• Recursos e métodos para contação de histórias ou parábolas rabínicas.

• Guia para utilizar trabalhos manuais e artísticos no culto familiar.

Entretanto, o livro está longe de ser apenas um manual. Indispensável para os que desejam superar os desafios e reunir a família para erigir um altar a Deus, ele mostra que o culto familiar é o propósito divino para as famílias. Os autores enfatizam que o plano original de Deus, desde o Éden, era estabelecer comunicação direta com o ser humano, tendo um encontro diário com o casal “pela viração do dia” (Gn 3:8). Por meio desse encontro, Deus tinha a oportunidade de instruir Seus filhos. Em nossos dias, é ainda maior a necessidade de conhecer a vontade divina e ter nosso caráter moldado por Seus ensinos.

ADRIANA SERATTO, formada em Letras, é pós-graduada em Estudos Adventistas e trabalha como revisora de livros na CPB

(Resenha publicada na seção Estante da edição de maio de 2019 da Revista Adventista)

TRECHO

“Marido, olhe hoje para a sua esposa lembrando-se do desígnio de Deus para o seu casamento, deixando esse pensamento se transformar em sentimentos de alegria: ‘Esta, afinal, é osso dos meus ossos e carne da minha carne’ (Gn 2:23). Esta é uma parte de mim. Uma pessoa sobre quem não tenho direitos de posse, mas de quem conquisto diariamente os afetos unificadores, pela partilha do amor de Deus. Uma pessoa unida à minha pessoa, formando nessa partilha espiritual, física e emocional ‘a unidade’ segundo o desígnio de Deus.

Esposa, imagine a força dessa certeza do desígnio de Deus para o seu relacionamento conjugal em plena simetria de pensamento, atitude e ação. Numa lógica de paridade, procure também construir e atingir esse relacionamento harmonizador e unificador.

Veja também

Nova versão da Bíblia de Estudo Andrews

Universidade adventista norte-americana anuncia o lançamento da edição na Nova Versão Internacional (NVI).