Discipulado em debate

Simpósio sul-americano discute os fundamentos bíblicos de um tema vital para a igreja
ANDRÉ VASCONCELOS E MÁRCIO TONETTI
Com 510 inscritos, simpósio sobre discipulado ofereceu mais de cem plenárias e apresentações paralelas. Foto: UPeU

A cada dois anos, professores dos seminários adventistas, pastores e líderes da igreja se encontram no Simpósio Bíblico-Teológico Sul-Americano com o objetivo de refletir sobre temas de natureza teológica e eclesiológica. A 13ª edição do evento foi realizada na Universidad Peruana Unión, em Lima, nos dias 31 de julho a 3 de agosto.

O tema em pauta neste ano foi o discipulado. Atualmente, há muitas concepções sobre o assunto. No entanto, em uma das palestras, Carlos Flávio Teixeira, professor de Teologia do Unasp, campus Engenheiro Coelho (SP), observou que, “na maioria dos casos, as pressuposições macro-hermenêuticas não são bíblicas”.

Embora a literatura vetero e neotestamentária não mencione o termo “discipulado”, o princípio permeia o Antigo e o Novo Testamento. Deuteronômio 6:4-9, por exemplo, destaca a importância do discipulado no âmbito familiar. Como foi abordado pelos pastores Paulo Clézio dos Santos, professor de Teologia no Instituto Adventista Paranaense (IAP), e Alejandro Bullón, o conceito de discipulado do Antigo Testamento também inclui a ideia de “caminhar” ou “andar” com o Senhor, assim como Enoque (Gn 5:22, 24).

Já no que diz respeito ao Novo Testamento, talvez o texto mais importante sobre o assunto seja Mateus 28:18 a 20. O teólogo Leonardo Nunes, professor de Teologia na FADBA, argumentou que o particípio grego poreuthentes usado nessa passagem, o qual é traduzido como “ide”, está semanticamente subordinado à expressão “fazer discípulos” (matheteusate), por se tratar de uma circunstância atendente no idioma grego. Assim, o termo “ir” pega carona no verbo principal (matheteusate), que está no imperativo, indicando que os seguidores de Cristo devem ter uma atitude proativa no processo de discipulado. Ou seja, eles devem ir em busca de pessoas e discipulá-las.

O discipulado também é um tema recorrente nos escritos de Ellen G. White. Conforme mostrou o pastor Alberto R. Timm, outro convidado, a pioneira do adventismo deu forte ênfase no processo de discipulado através da família, da Escola Sabatina e do sistema educacional adventista.

Em sua definição do conceito, o teólogo Elias Brasil, diretor do Biblical Research Institute (BRI), disse que discipulado significa crescer em todas as áreas da vida. “Não é um programa, mas dá base para que os programas tenham o seu lugar”, ele enfatizou.

Para Ekkehardt Mueller, diretor associado do BRI, “discipular é uma tarefa emocionante que vai além do ministério pastoral”, pois deve envolver a todos os seguidores de Cristo.

Como ressalta o doutor Adolfo Suárez, diretor do Seminário Adventista Latino-Americano de Teologia (SALT) e organizador do simpósio, o objetivo é que as reflexões promovidas no evento cheguem à igreja local. Por essa razão, as palestras serão transformadas em livro, previsto para ser lançado no próximo encontro, em 2021, no Instituto Adventista Paranaense (IAP).

Além de aprofundar o debate, o simpósio também reafirmou as crenças adventistas sobre discipulado. A seguir, veja a Declaração de Consenso aprovada na ocasião. Mais detalhes sobre a programação você confere na edição de setembro da Revista Adventista.   

ANDRÉ VASCONCELOS é pastor e trabalha como editor de livros e periódicos na CPB; MÁRCIO TONETTI é jornalista e atua como editor associado da Revista Adventista

DISCIPULADO: TEOLOGIA E PRÁXIS

Declaração de Consenso

Nós, participantes do XIII Simpósio Bíblico-Teológico Sul-Americano realizado na Universidad Peruana Unión, em Lima (Peru), nos dias 31 de julho a 3 de agosto de 2019, depois de um estudo consciente e cuidadoso do tema “Discipulado: Teologia e Práxis”, apresentamos esta declaração de consenso, na qual, em harmonia com as crenças bíblicas defendidas pela Igreja Adventista do Sétimo Dia, reafirmamos as seguintes convicções:

  1. O discipulado tem seu fundamento tanto no Antigo como no Novo Testamento. Eles apontam para Jesus como mestre e modelo de cada discípulo (Gn 12:1-3; Dt 6:5, 6; Hb 5:8; 10:5-10; Jo 3:17; 4:34; 5:19).
  2. Discipulado é seguir a Jesus; é caminhar com Ele desde a conversão e ao longo de uma vida de crescimento e testemunho (Mt 16:24; Jo 15:1-8).
  3. O discipulado deve ser entendido à luz da criação e a restauração do ser humano à imagem divina, em conexão especial com os ensinos do santuário, do grande conflito e das mensagens dos três anjos (Hb 8:1-5; Ap 12; 14:6-12).
  4. Aqueles que são ensinados pelo Senhor e se convertem em discípulos Dele são comissionados a ir e fazer novos discípulos por meio do evangelismo em suas diversas modalidades, seja pessoal ou coletiva (Is 6:8; At 1:8; Ap 14:1-12).
  5. O discipulado inclui a participação na igreja, que é a comunidade pactual; o batismo é o sinal de aceitação e pertencimento à aliança (Jo 16:10; At 2:41-47; Cl 2:11-12).
  6. No processo de discipulado, interagem o poder de Deus e a vontade humana expressados na comunhão diária com o Senhor por meio do estudo da Bíblia e a oração, do relacionamento com os irmãos e da participação na missão (Lc 6:12-19; Jo 8:31; 13:35; 15:8).
  7. O Espírito Santo outorga dons ao discípulo para o cumprimento da missão de evangelizar e para a edificação do corpo de Cristo (At 2:38; 1Co 12:1, 7; Ef 4:11, 12).
  8. A família cristã é um elemento fundamental no processo de discipulado, na qual os pais transmitem os princípios bíblicos às novas gerações (Dt 6:4-9; Pv 22:6; 2Tm 3:15).
  9. O discipulado promove o desenvolvimento do caráter cristão, fortalece a fidelidade e diminui a apostasia (Ef 4:11-16; 2Tm 4:1-5; Hb 10:25-27).
  10. Os discípulos de Cristo reconhecem que vivem em uma sociedade desafiadora; no entanto, testemunham sendo guiados pela oração de Jesus, segundo a qual estão no mundo, mas não pertencem a ele (Jo 17:9-19; 1Jn 2:15-17).
  11. Os escritos de Ellen G. White enfatizam a importância do discipulado como estilo de vida e proveem orientações para a aplicação dele (2Cr 20:20; Ef 4:11-13; Ap 12:17; 19:10).

Portanto, assumimos o compromisso de viver e ensinar o discipulado bíblico. Convidamos os membros e a igreja, com suas instituições e programas, a uma vida de dependência de Deus, a fim de que sejam agentes de salvação. Reiteramos que o propósito da igreja é fazer discípulos aprofundando a comunhão com Deus, fortalecendo esse relacionamento e cumprindo a missão (Mt 4:23; Lc 9:23; Rm 1:16, 17; Fp 4:13).

UNIVERSIDAD PERUANA UNIÓN
Facultad de Teología
Km 19, Carretera Central, Ñaña, Lima – Peru
2 de agosto de 2019

Veja também

A luta contra o ebola continua

ADRA oferece apoio diante de novo surto da doença na República Democrática do Congo.