Celebrações da esperança

Atividades marcam primavera do adventismo no continente sul-americano

Erton Köhler

Foto: Alexandru Tudorache

A chegada da primavera faz de setembro um mês especial. O início da estação torna os dias mais longos e estimula os seres vivos à reprodução, trazendo nova vida à natureza e multiplicando a beleza das flores. Essa renovação é tão marcante que foi capaz de influenciar a identidade de movimentos políticos e sociais. Em 1968, a busca por transformações na então Checoslováquia foi chamada de “Primavera de Praga”. Mais recentemente, em 2010, os movimentos de transformação no Oriente Médio e Norte da África foram chamados de “Primavera Árabe”.

Este mês, com a chegada da primavera, também é marcante para a Igreja Adventista na América do Sul. É o tempo das Celebrações da Esperança, com muitos movimentos e forte ênfase em nossa unidade, identidade e especialmente na missão.

A primeira dessas celebrações enfatiza voluntariado e missão para novas gerações, através do projeto I Will Go (Eu Irei). O encontro, que será realizado na Universidad Peruana Unión, nos dias 11 a 14, vai integrar universitários sul-americanos e de outras partes do mundo que buscam uma intensa experiência missionária. Além da troca de experiências com voluntários que estão em regiões desafiadoras, os participantes receberão capacitação, inspiração e novas oportunidades de missão em projetos locais e mundiais.

As novas gerações continuarão no centro das celebrações, no sábado 14, com o Dia do Desbravador. É a oportunidade de fortalecer um movimento que prepara nossos adolescentes para que sejam sólidos na fé, comprometidos com a igreja e ativos na missão. Estamos cada vez mais perto de ter um clube em cada igreja organizada, dando um grande passo para discipular e salvar nossos meninos e meninas.

Em seguida, vamos celebrar os 125 anos da primeira igreja organizada no território da Divisão Sul-Americana, em Crespo Campo, Argentina. A cerimônia especial será no dia 20, no mesmo local em que tudo começou e foi plantada a semente de um movimento que já passou de 2,5 milhões de membros e 28 mil igrejas e grupos. Queremos ser inspirados pelo exemplo dos pioneiros, mas também renovar nosso compromisso de fortalecer o discipulado com ênfase na missão, trabalhando por uma igreja cada vez melhor, apesar de estarmos em um mundo cada vez pior.

Investindo ainda mais fortemente na missão, vamos celebrar a Semana da Esperança, nos dias 21 a 28. Um exército de pastores e evangelistas voluntários estará pregando, apelando e batizando em cada uma de nossas igrejas porque “o coração que está repleto da bendita esperança […] não pode ser silenciado” (Ellen G. WhitePerto do Céu, p. 154). Será o momento de decisão para muitas pessoas que vêm estudando a Bíblia desde o evangelismo da Semana Santa.

Em cada celebração, aproveitando o clima de vida nova do mês de setembro, será realizado o Batismo da Primavera. Este é o período de maior crescimento da igreja e, para que ele seja ainda mais forte, desde o início do ano estamos orando e trabalhado para envolver a igreja com um milhão de estudos bíblicos, alcançando familiares, vizinhos, amigos, interessados da Novo Tempo e de outras iniciativas missionárias.

Como resultado das Celebrações da Esperança e de tantas outras iniciativas deste ano, sonhamos em entregar a Jesus a vida de 250 mil pessoas através do batismo. É um sonho ousado que vai além dos números, pois precisamos crescer não só em quantidade, mas especialmente em qualidade. Com o poder do Espírito Santo, teremos a multiplicação de discípulos.

ERTON KÖHLER é presidente da Igreja Adventista para a América do Sul

(Artigo publicado na seção Bússola da edição de setembro da Revista Adventista)

LEIA TAMBÉM:

Meta ambiciosa

Veja também

O impacto da paternidade

Novas pesquisas sugerem que pais carinhosos podem beneficiar a saúde dos filhos.