Doador de longa data

Enfermeiro de Loma Linda que doa sangue há 45 anos é homenageado nos Estados Unidos
Janelle Ringer, Universidade de Loma Linda Health e Adventist Review
Foto: Loma Linda University Health

No dia 6 de novembro, o enfermeiro Dexter Emoto, da Universidade de Saúde de Loma Linda, se tornou conhecido nacionalmente ao entrar para o “Hall da Fama da Doação” da Fresenius Kabi, empresa de assistência médica global especializada em tecnologias para infusão, transfusão e nutrição clínica. O motivo: ele doa sangue há 45 anos, desde quando cursava a graduação no Pacific Union College (PUC), instituição educacional adventista do sétimo dia na região de Napa Valley, Califórnia, Estados Unidos.

“Eu sempre tive paixão por ajudar as pessoas e, na época, simplesmente esperava que alguém pudesse se beneficiar com minha doação”, ele disse, relembrando o início de sua jornada de doação de sangue.

Como um dos maiores doadores do oeste dos Estados Unidos, Emoto já ajudou quase 1,5 mil pacientes, de acordo com uma estimativa da Lifestream, empresa que fornece produtos e serviços de sangue que salvam vidas no sul da Califórnia.

O enfermeiro começou a doar sangue rotineiramente em 1982. “Percebi que poderia beneficiar os pacientes em meu hospital local”, diz Emoto. “Quase todas as minhas doações foram para o Centro Médico da Universidade de Loma Linda, onde ficam os pacientes dos quais eu cuido diariamente”, o enfermeiro acrescenta.

Desde que se graduou na escola de Enfermagem, em 1977, Emoto trabalhou como enfermeiro e também como mentor de estudantes de Enfermagem na Loma Linda University Health. “Quero que os futuros enfermeiros e enfermeiras saibam que o sangue que eles depositam vem de voluntários”, frisa Emoto. “As pessoas que doam sangue fazem isso porque têm paixão por ajudar o próximo. Essas doações podem salvar um amigo ou um membro de uma família ”, o profissional conclui.

Matéria publicada originalmente no site de notícias da Loma Linda University Health

Veja também

História do adventismo na Europa

Novo livro mostra como a igreja no Velho Continente desempenhou um papel importante no envio de missionários para várias partes do mundo.