Ministério do ensino

Coordenador do seminário do Instituto Adventista Paranaense fala sobre as perspectivas que se abrem com a implantação da Licenciatura em Teologia, novo curso aprovado recentemente pelo MEC
Márcio Tonetti
Pastor Fabiano Mendes, coordenador da graduação em Teologia no Instituto Adventista Paranaense. Foto: Portal Adventista

A partir deste ano, o Instituto Adventista Paranaense (IAP) deve oferecer a licenciatura em Teologia. Além de atender a rede adventista, o novo curso também abrirá possibilidades para a formação de professores de ensino religioso para escolas públicas, já que, em algumas regiões do país, faltam profissionais com formação pedagógica e teológica para atuar em sala de aula. Inicialmente, a ideia não é ter turma exclusiva, mas oferecer a opção aos alunos que ingressarem no bacharelado. Nesta entrevista, o pastor Fabiano Mendes, coordenador da graduação em Teologia no seminário do IAP, apresenta mais detalhes sobre a graduação inédita no contexto adventista brasileiro.

Quando terá início a licenciatura em Teologia no IAP?

O curso já foi autorizado pelo MEC, mas a publicação no Diário Oficial da União ainda não ocorreu. Esperamos começar a oferecer a licenciatura já no primeiro semestre de 2020.

Quantas vagas serão abertas incialmente?

Teremos até 35 vagas. O plano neste momento é que os alunos do bacharelado em Teologia também cursem a licenciatura e recebam o diploma nas duas graduações.

Que perspectivas se abrem para a igreja com a aprovação do novo curso? Acreditamos que ela possibilitará maior capacitação pedagógica para os pastores que trabalham na educação adventista. No bacharelado em Teologia existem pelo menos 10 créditos em educação. Na licenciatura, teremos 80 créditos em disciplinas da área de educacional. É um tremendo ganho em capacitação pedagógica para o egresso. Isso vai se refletir na qualidade das aulas de ensino religioso nas unidades escolares da rede adventista.

Qual é a demanda hoje na rede educacional adventista de professores de ensino religioso? Dependendo da quantidade de turmas de uma escola, a carga horária de ensino religioso pode dispor de um, dois ou até três professores. Estamos falando de 512 unidades escolares no Brasil. Portanto, existe uma grande demanda.

Um curso dessa natureza tende a incentivar mais pessoas a seguir carreira nessa área, deixando talvez de ver a educação apenas como um ponto de passagem no ministério? Com certeza! Estamos trabalhando para formar um perfil de pastor com vocação permanente para atuação na área educacional. Precisamos de excelência no pastorado escolar e investir na base formativa desse profissional é crucial.

Os egressos também terão a possibilidade de atuar na rede pública?

Sim. A legislação brasileira regulamentou o ensino religioso como obrigatório no país. A licenciatura em Teologia vai preparar educadores também para a atuação na rede pública. É importante lembrar que esse profissional também pode atuar em espaços não escolares, como associações, ONGs, entre outras entidades.

Atualmente, nas escolas estaduais há falta de professores de ensino religioso com formação pedagógica e teológica?

No estado do Paraná não há professores concursados para o ensino religioso. Os docentes são temporários e tem formação na área de humanas, como filosofia ou sociologia. Hoje esses profissionais precisam passar por um curso de capacitação que é oferecido por uma organização conveniada à Secretaria Estadual de Educação. Portanto, existe a necessidade de professores com formação específica para o ensino religioso na rede pública.

Como foi estruturada a grade curricular?

A grade curricular da licenciatura em Teologia inclui disciplinas de teologia bíblica, teologia sistemática e teologia aplicada, além de disciplinas instrumentais como línguas bíblicas. Além disso, a grade contempla disciplinas pedagógicas que são essenciais para a formação de um educador.

Além das disciplinas pedagógicas/didáticas, vocês vão oferecer alguma formação mais geral sobre religião (além da visão confessional) para que esses profissionais atuem no contexto secular e plural da rede pública de ensino? Sim. Essas disciplinas já existem no bacharelado em Teologia. São disciplinas como Panorama Religioso Brasileiro, Sociologia da Religião, Antropologia Bíblica e Missiologia (que inclui temas como cultura e contextualização).

Fale sobre o plano de incentivar outros profissionais a cursar a nova graduação como segunda licenciatura ou como área de especialização.

A ideia é oferecer esse incentivo porque entendemos que, para os alunos da licenciatura em Pedagogia, cursar também a licenciatura em Teologia seria de grande auxílio, especialmente para aqueles que irão atuar na rede confessional como professores da educação infantil e do fundamental I. Nesses ciclos, o professor regente é quem apresenta os conteúdos religiosos para os alunos. Portanto, esse profissional estaria mais bem preparado para o ensino religioso.

Veja também

Apelo do presidente

Em meio à crise do coronavírus, líder mundial adventista pede oração, serviço e confiança em Deus.  

  • Milton Panetto Junior

    Parabéns pela visão, pois como docente da Educação Adventista sei quão necessário é capelães e professores de Ensino Religioso que tenham seus corações na obra educacional, e não como trampolim para outras áreas ministeriais. Que Deus abençoe esse novo curso e projeto!!!

  • Epaminondas

    Sou formado em Geografia e gostaria de saber se posso fazer o curso como segunda graduação, e se o curso será oferecido por meio de EAD, já que vivemos em pleno século XXI. Sempre tive interesse em fazer um curso de Ensino Religioso em uma Instituição Adventista.

    • Olá. O coordenador do curso disse na entrevista que “o plano neste momento é que os alunos do bacharelado em Teologia também cursem a licenciatura e recebam o diploma nas duas graduações.” No entanto, talvez haja perspectivas de abertura de vagas para alunos de outros cursos. Para se informar a respeito disso, você teria que fazer contato diretamente com a instituição. Agora, quanto à licenciatura na modalidade EAD, ao que sabemos, ainda não há essa possibilidade.