Mundo em Revista

Os fatos que repercutiram na imprensa adventista ao longo da semana  

Márcio Tonetti

Agnotologia. Você já ouviu falar nessa palavra? O termo não é novo, mas ganhou popularidade mais recentemente, no contexto das mídias sociais. Desenvolvido a partir do estudos de Robert Proctor, professor da Universidade Stanford (EUA), a partir do fim da década de 1960, o conceito define o chamado fenômeno da produção da ignorância. E se na época o que mais chamou a atenção do historiador norte-americano foi o discurso da indústria tabagista que negava as pesquisas que apontavam para os malefícios do cigarro, hoje são os movimentos anti-vacina, a politização em torno de medicamentos como a cloroquina e a defesa de teorias como a da terra plana, só para citar alguns exemplos, que têm colocado a ciência em dúvida.

Foi sobre os reflexos dessa crise de confiança na ciência que tratou o 13º episódio do Entenda. O podcast da Revista Adventista, que já está disponível no 7cast.com, recém-lançado portal de áudios da igreja que já reúne mais de mil produções sobre diversos temas, também analisou como ciência e fé podem caminhar de mãos dadas.

OUÇA O EPISÓDIO

É o que também procura mostrar o projeto “Creation Lab.10”, iniciativa promovida pelo departamento da Criança e do Adolescente da União Espanhola e o Geoscience Research Institute (GRI). Usando experimentos divertidos feitos em laboratório, a série voltada para alunos da educação básica ensina sobre os dias da criação. A apresentadora dos dez episódios, que começaram a ser divulgados no início de julho, é a bióloga Noemí Durán, diretora da sede europeia do GRI. Doutora em Biologia pela Universidade de Loma Linda (EUA), ela estudou ecologia e conservação de tartarugas marinhas, sendo a primeira diretora de educação do L’Oceanografic de Valência, maior aquário da Europa. Posteriormente, a educadora adventista foi responsável pelos programas educativos e de conservação do El Parc de les Aus, um zoológico especializado em aves que fica perto de Barcelona.

ASSISTA AO PRIMEIRO EPISÓDIO

BOLETIM CIENTÍFICO

A 14ª edição do boletim produzido pelos professores do Mestrado em Promoção da Saúde do Unasp destaca um estudo que trata de políticas de distanciamento social no caso de um potencial segundo pico de Covid-19 no país. Conforme analisaram pesquisadores do Centro Brasileiro de Pesquisa Física, do Rio de Janeiro, dependendo da política de isolamento social e do período em que se adota a medida, o segundo pico pode ser atenuado ou intensificado. Por essa razão, o acompanhamento do número de casos dia após dia se torna imprescindível para os cenários futuros. Conforme sugere o estudo, um dos grupos que afetam diretamente o comportamento da curva da pandemia é formado por prestadores de serviço que não podem parar de trabalhar. Para os pesquisadores, é fundamental que essas pessoas sigam as normas de isolamento social para se evitar um segundo, e talvez mais intenso, pico da doença. Mas para isso, segundo eles, serão necessárias políticas econômicas e sociais que subsidiem verdadeiramente essas pessoas.

O boletim também traz informações a respeito de oficinas on-line sobre empreendedorismo, da campanha do agasalho promovida pelo governo do estado de São Paulo e de sites que permitem o download gratuito de e-books.

WEBSÉRIE

Os dados do Google Trends mostram que as buscas na internet por termos como “coronavírus” caíram nas últimas semanas. Mas a igreja tem identificado o interesse das pessoas por outros temas. Foi com base nos dados gerados pela plataforma que o departamento de Comunicação da sede administrativa adventista para o estado de São Paulo produziu uma série de seis vídeos que trata de problemas que estão em alta: pornografia, transtornos alimentares, masturbação, doenças emocionais, finanças e suicídio. Os três primeiros episódios de #Quarenteners já estão disponíveis no canal Adventistas SP no YouTube e os demais serão divulgados nas próximas quintas-feiras.

ASSISTA AO PRIMEIRO VÍDEO DA SÉRIE

CULTOS PRESENCIAIS

Depois de um período de três meses de cultos on-line, as igrejas do Uruguai foram autorizadas a reabrir as portas gradualmente. Lá, os adventistas voltaram a ter reuniões presenciais no fim de junho. Porém, assim como em outras partes do mundo, os templos estão tendo que funcionar com capacidade reduzida, ter reuniões mais curtas (de até 45 minutos) e adotar medidas de segurança, como distanciamento entre as pessoas, uso de máscaras e de álcool em gel. Na comunidade adventista de Paso de la Arena, o retorno ao templo foi celebrado com o batismo de três pessoas da mesma família.

IGREJA VIRTUAL

Mais do que uma necessidade circunstancial durante a pandemia, ministrar às pessoas no mundo virtual é uma tendência que parece ter vindo para ficar. Ciente dessa realidade, a igreja pretende fortalecer cada vez mais sua presença na internet. Na Nova Zelândia, por exemplo, a sede nacional adventista vem realizando conferências sobre discipulado digital desde agosto de 2019 e agora vai investir em capacitação técnica para um trabalho mais amplo no pós-pandemia. No dia 18 de julho será lançado um curso de cinco semanas sobre modelos de igrejas digitais, formação de equipes para realizar esse trabalho e estratégias para conectar os internautas como as comunidades presenciais (veja mais aqui).

MODELO HÍBRIDO

A integração entre o presencial e o virtual também deve determinar os rumos da educação daqui para frente. No Brasil, o Centro Universitário Adventista de São Paulo apresentou recentemente um plano de reestruturação que vai nortear as ações de seus três campi até 2030. Umas das principais mudanças, conforme explicou o doutor Martin Kuhn, reitor do Unasp, é um modelo híbrido de ensino, no qual 25% das aulas da graduação serão realizadas na modalidade a distância.

Mudanças estruturais também estão previstas para acontecer na educação adventista da Austrália nos próximos anos. Lá, o Avondale University College anunciou que está buscando um modelo mais “sustentável”, que ajude a instituição a equilibrar as finanças e fortalecer a área acadêmica. Isso deve implicar em mudanças significativas em seu sistema de governança e em análises mais acuradas da viabilidade dos cursos. Os primeiros passos nessa direção vão envolver a reestruturação do corpo docente, redução de duas faculdades (que atualmente se dividem em Educação, Administração e Ciências e Artes, Enfermagem e Teologia) para uma e a criação de uma bolsa de pesquisa.

RECURSOS PARA A EDUCAÇÃO

Nos Estados Unidos, um programa do Departamento de Saúde e Serviços Humanos do governo federal irá financiar o doutorado de 42 alunos afro-americanos e hispanos do Departamento de Psicologia da Universidade de Loma Linda. No total, serão distribuídos 2,97 milhões de dólares em bolsas de estudos nos próximos cinco anos (saiba mais aqui).

A mesma universidade também anunciou nesta semana que receberá uma verba federal no valor de 3,5 milhões de dólares ao longo dos próximos cinco anos, destinada ao programa de recuperação de dependentes químicos. Nos últimos 25 anos, a instituição se tornou referência na formação de médicos especializados no combate aos vícios (leia mais aqui).

No Brasil, quem também está ajudando no combate à dependência química é a ADRA. De acordo com uma reportagem divulgada pela Agência Adventista Sul-Americana de Notícias (ASN) no dia 7 de julho, há 14 anos a Comunidade Terapêutica Pró-Vida, em Cachoeirinha (BA), auxilia pessoas a se libertarem do vício.

AÇÕES SOLIDÁRIAS

A resposta da igreja aos vendavais que atingiram o Sul do país recentemente chamou a atenção da imprensa catarinense . Em Blumenau, voluntários adventistas montaram um guarda-roupa solidário em uma das avenidas da cidade. A ação tem beneficiado famílias mais atingidas pelo temporal e pela queda na temperatura. No mesmo estado, uma das sedes adminstrativas da denominação decidiu ligar para seus mais de 20 mil fiéis durante o período de isolamento social. O objetivo foi oferecer apoio e identificar necessidades dos adventistas que vivem na região (leia mais aqui).

Já no Rio Grande do Sul, destaque para a iniciativa dos alunos do Colégio Adventista de Santa Maria, que reconheceram o serviço prestado pelos jornalistas da cidade durante a cobertura da pandemia. Os estudantes do terceiro ano do ensino fundamental foram incentivados pelas professoras a escrever cartas que foram entregues na Redação do Diário de Santa Maria.

Ainda no Rio Grande do Sul, um grupo de 30 jovens se mobilizou para repor os estoques do hemocentro do Hospital da Universidade Luterana do Brasil. E no estado do Mato Grosso, voluntários da igreja produziram 150 jalecos descartáveis que foram entregues pela Secretaria Municipal de Saúde de Campo Novo do Parecis para profissionais que atuam no combate à Covid-19. A iniciativa partiu de Elaine Aparecida da Silva, adventista que coordena o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) na região.

Mais de 13 mil mexicanos foram beneficiados com doações de alimentos durante a pandemia. Foto: reprodução do boletim da ANN

No México, mais de 13 mil membros da igreja que enfrentaram dificuldades financeiras por causa da quarentena receberam doações de alimentos em oito estados (veja mais no boletim da ANN desta semana).

Já em Roma, na Itália, uma parceria entre a Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA) e o ministério de apoio Officina, criado em 2013, beneficiou cerca de mil pessoas que sofrem com os efeitos econômicos da crise sanitária.

NOMEAÇÕES

E é também da Itália que vem a notícia da nomeação de Ronny Nalin como novo diretor do Geoscience Research Institute (GRI). Doutor em Ciências da Terra pela Universidade de Pádua, o jovem pesquisador exercia a função de vice-diretor do órgão e substituirá James Gibson, que se aposentou depois de mais de três décadas à frente do instituto sediado em Loma Linda, na Califórnia (EUA).

Pastor Glenward Alexander Bryant (à esq.) e Daniel Jackson: transição da liderança da Divisão Norte-Americana. Foto: Pieter Damsteegt / North American Division Communication

Na mesma data, 9 de julho, o Comitê Executivo da Associação Geral também votou o nome de Glenward Alexander Bryant para o cargo de presidente da Divisão Norte-Americana. O pastor Bryant, que atuava como secretário da sede administrativa da denominação para a América do Norte e secretário associado da Associação Geral, irá substituir o pastor Daniel R. Jackson, que presidia a Divisão Norte-Americana desde 2010 e se aposentou no início do mês.

FRASES DA SEMANA

“As vacinas são altamente seguras, pois passam por vários testes clínicos que atentam para sua segurança e não toxicidade. Alterações no sistema imunológico e características individuais podem levar a algumas reações adversas. Mas as vantagens da vacinação são extremamente mais significativas que os efeitos adversos que elas possam causar.”

Ed Wilson Santos, doutor em Imunologia pela USP, em entrevista ao Portal Adventista sobre o processo de produção e testagem de vacinas

“O Avondale University College possui o único curso de pós-graduação em Medicina do Estilo de Vida da Australásia. Há cinco anos, também incluímos a educação para o bem-estar em nossos cursos de graduação. Como resultado, publicamos vários artigos em revistas científicas, mostrando o impacto positivo que isso causa na vida dos estudantes.”

Darren Morton, diretor do Lifestyle Medicine & Health Research Center e autor do livro Live More Happy, em entrevista ao site da Adventist Record

“Há os que parecem perfeitamente bem, os que se recuperam, os que morrem e os que sobrevivem, mas que nunca mais serão os mesmos.”

Stephen Scheffler, enfermeiro adventista que atuou no combate à epidemia de ebola em 2015, em Serra Leoa (África), e ao novo coronavírus em Nova York (EUA), relatando à Adventist Review os diferentes impactos da Covid-19 na população

“O racismo é real e doloroso. Somente se entendermos a profundidade do problema e como ele está incorporado em nossa sociedade, estruturas e instituições, poderemos começar a construir pontes que unam as pessoas, em vez de muros que as separam.”

Darren Garlett, primeiro pastor nativo a liderar o Ministério dos Aborígenes na Austrália, em artigo no qual falou sobre os reflexos da onda de discriminação racial em seu país e do preconceito que enfrentou na escola durante a adolescência

MÁRCIO TONETTI é editor associado da Revista Adventista (Com reportagem de Brenton Stacey, Douglas Pessoa, Felipe Lemos, Gabriela Porto, Juan Hilario, Kimberly Luste Maran, Larry Becker, Lina Ferrara, Maijo Roth, Nathan Brown, Rachel Aitken e Silvia Tapia)

Veja também

Brincadeira de criança

Saiba por que brincar é um direito e uma necessidade humana.