Mundo em Revista

Fatos que repercutiram ao longo da semana no mundo adventista

Márcio Tonetti

Há 75 anos, a cidade de Hiroshima, no Japão, era devastada pela bomba nuclear lançada pelos Estados Unidos no dia 6 de agosto de 1945. Coincidentemente, na mesma semana em que o mundo lembrou o trágico evento, o Líbano também entrou para a história como palco de uma das maiores explosões não nucleares já registradas em uma área urbana.

A explosão da última terça-feira (4), provocada provavelmente pelas 2.750 toneladas de nitrato de amônio, produto químico usado na fabricação de explosivos e fertilizantes, estocadas numa região portuária de Beirute, deixou dezenas de mortos e milhares de feridos.

Ao que se tem notícia, nenhum adventista morreu, mas alguns edifícios da igreja foram danificados. Segundo a ANN, no campus da Universidade do Oriente Médio (MEU, na sigla em inglês), em duas escolas de educação básica, no escritório da ADRA e em um centro de atendimento a refugiados portas e janelas de vidro foram estilhaçadas e tetos chegaram a desabar.

Apesar disso, segundo o pastor Rick McEdward, presidente da igreja para o Oriente Médio e o Norte da África, a maior preocupação da igreja tem sido buscar formas de ajudar o povo do Líbano. “Queremos mostrar o amor de Deus para este país em um momento em que muitos perderam a esperança”, ele enfatizou.

No Twitter, a ADRA divulgou que, embora seu escritório também tenha sido afetado, a agência humanitária está oferecendo assistência à população. “Estamos entregando água e equipamentos essenciais para bombeiros e trabalhadores da Defesa Civil”, disse Gunther Wallauer, brasileiro que há seis anos coordena o escritório da agência humanitária para o Oriente Médio e o Norte da África. Segundo ele, a ONG também está fornecendo artigos essenciais para os milhares de desabrigados. “As pessoas precisam de itens como berços, tendas e geradores de luz, pois falta eletricidade na maior parte da cidade. Sabemos que há devastação em vários bairros próximos ao epicentro da explosão. Por isso, nossas equipes estão avaliando rapidamente a situação para fornecer ajuda imediata”, ele informou ao site da Adventist News Network (ANN). Confira mais detalhes sobre as ações da ADRA no relato a seguir, que o pastor Gunther fez à RA.

A tragédia desta semana tende a agravar a situação do país, que já estava mergulhado em uma crise política e econômica que se intensificou nos últimos meses com a pandemia. “A explosão deu mais um golpe em nossas instituições aqui no Líbano”, ressaltou o pastor McEdward. “Por favor, ore pela igreja nesse país, pois ela busca ser uma bênção e trazer boas notícias para a nação”, apelou McEdward.

NÚMEROS EXPRESSIVOS

Na América do Sul, a agência humanitária continua fazendo a diferença na vida de muitas pessoas. De acordo com um relatório divulgado nesta quarta-feira (5), nos últimos cinco meses, ela já atendeu mais de 768 mil pessoas de oito países por meio de 85 projetos. O total de recursos destinados para a resposta à crise sanitária no subcontinente já totaliza 8,1 milhões de dólares.

O CAMINHO DE VOLTA

Estima-se que cerca de 80 mil venezuelanos que haviam migrado para a Colômbia nos últimos anos tenham voltado para o país de origem. A principal razão que tem levado muitos deles a fazerem o caminho de volta é a onda de desemprego provocada pela pandemia. Buscando ajudar essas pessoas, a ADRA colombiana está atendendo com sua unidade móvel nos principais pontos de parada dos viajantes que seguem rumo à fronteira com a Venezuela.

VÍTIMA DA COVID

Jeremías Ramos, um renomado anestesiologista de El Salvador, morreu no dia 14 de julho, aos 51 anos, vítima da Covid-19. O médico, que trabalhou no Hospital Nacional de Rosales, na capital, San Salvador, foi pioneiro nesse país da América Central na modernização de técnicas para administrar anestesia.

MUDANÇAS NO CAMPUS

Embora as 11 instituições de ensino superior adventistas da América do Norte estejam prevendo a possibilidade de retorno ao ensino presencial no próximo ano letivo (que tradicionalmente começa no outono, entre meados de agosto e início de setembro), as mudanças serão significativas. Além das medidas sanitárias, elas irão rever o número de alunos por sala e trabalhar em um modelo híbrido, que combina aulas in loco e a distância (saiba mais aqui).

CONCURSO GLOBAL

Neste ano, o Ministério da Criança completa 25 anos de existência. E para marcar a data, a sede mundial adventista lançou um concurso global que irá envolver meninos e meninas de cinco a doze anos. Eles poderão demonstrar seus dons em três categorias: arte, poesia e produção midiática. Os 20 finalistas terão seus trabalhos publicados em um livro digital comemorativo. Para saber como participar e ter acesso ao regulamento do concurso de talentos, clique aqui.

NOMEAÇÕES

A galeria está na ordem em que os nomes aparecem no texto

Nesta semana, o boletim também destaca algumas nomeações, a começar pela indicação de Michael Hogue, diretor da Escola de Farmácia da Universidade de Loma Linda (EUA), para compor o grupo de trabalho responsável por avaliar as vacinas para a Covid-19 nos Estados Unidos. Os 45 profissionais nomeados para essa tarefa também irão fazer recomendações ao Comitê Consultivo em Práticas de Imunização (ACIP, na sigla em inglês) quanto ao uso e políticas de distribuição desses produtos.

Já por aqui houve mudanças no quadro administrativo da igreja, votadas pela Comissão Diretiva da Divisão Sul-Americana. O pastor Stanley Arco, que ocupava o cargo de presidente da sede administrativa da igreja para os estados da Bahia e Sergipe, foi nomeado vice-presidente da Divisão Sul-Americana. Ele substitui o pastor Helder Róger, que irá se aposentar.

Por sua vez, o pastor André Dantas assume a presidência da União Leste Brasileira, sede administrativa em que ele atuava como secretário-executivo. Para ocupar essa função, a igreja elegeu o pastor Davi França, que entrega o cargo de assistente da presidência da Divisão Sul-Americana ao pastor Rafael Rossi, atual líder do departamento de comunicação para o subcontinente.

OS ADVENTISTAS E A POLÍTICA

Por fim, falamos de política. Apesar de a pandemia ter alterado o calendário eleitoral brasileiro, a previsão é de que o primeiro turno das eleições municipais ocorra no dia 15 de novembro. Tendo esse cenário em vista, a sede administrativa adventista sul-americana aprovou nesta semana alterações no documento votado em 2017 que trata da relação dos adventistas com a política institucional.

A nova versão estabelece que pastores e outros servidores que se envolverem direta (concorrendo a cargos eletivos) ou indiretamente (como assessores ou publicitários, por exemplo) na política partidária devem se desvincular do trabalho na organização. O documento também define que, ao lançar candidatura, pastores jubilados tenham sua credencial especial suspensa enquanto durar o pleito e ou o mandato.

Considerando o clima de polarização que tem marcado o momento atual, a nova versão do documento também traz orientações sobre manifestações nas redes sociais e sugere que líderes e membros da igreja hajam com responsabilidade ao exercer o direito à liberdade de expressão. “A livre expressão do pensamento, especialmente em relação às questões políticas, implica profunda responsabilidade, podendo gerar consequências indesejáveis decorrentes da veiculação de conteúdos inadequados. Ainda que as postagens e opiniões de seus membros não reflitam necessariamente o pensamento da igreja, muitas vezes as manifestações individuais são tidas como se fossem o posicionamento oficial da organização adventista sobre o assunto”, expressa a seção 4, sobre “os adventistas e as manifestações nas redes sociais”. Para ler na íntegra a versão atualizada da declaração, clique aqui.

IMAGENS DA SEMANA

Em parceria com a Cruz Vermelha e outras organizações humanitárias, desde maio a unidade móvel da ADRA da Colômbia já atendeu gratuitamente mais de mil imigrantes venezuelanos que tem feito o trajeto de volta por causa da onda de desemprego gerada pela pandemia. Foto: ADRA Colômbia

 

Equipes da ADRA auxiliam autoridades locais no socorro às vítimas da explosão que atingiu uma área portuária da capital libanesa nesta semana. Foto: ADRA Lebanon

 

Rajeev Sigamoney ministra aula ao ar livre no Pacific Union College (EUA), seguindo protocolos de distanciamento social. Classes menores e um modelo híbrido de educação serão algumas medidas adotadas pelas universidades adventistas norte-americanas daqui para frente. Foto: Bruno de Oliveira

 

Reação do médico peruano Daniel Quispe Mamani, depois de passar duas semanas internado no Hospital Nacional Edgardo Rebalgiati. Lá, ele diz que foi confortado pelas mensagens que a Rádio Nuevo Tiempo tem veiculado nos alto-falantes de unidades de saúde espalhadas pelo país. Foto: EsSalud

 

Forma como foi realizada a 17ª Festa das Primícias, em 1º de agosto, na comunidade rural adventista de Mamborê (PR). Neste ano, a tradicional celebração que costuma receber cerca de 3 mil participantes todos os anos reuniu apenas as igrejas do distrito e a programação foi acompanhada de dentro dos carros. Foto: IASD de Mamborê Sítio

MÁRCIO TONETTI é jornalista e atua como editor associado da Revista Adventista (Com colaboração de Briana Pastorino, Chanmin Chug, Felipe Lemos, Laura Acosta, Mylon Medley, Nafri Machado, Rosmery Sánchez, Silvia Tapia e Vanessa Arba)

Veja também

O poder da influência

O fenômeno dos influenciadores chegou às igrejas. Isso é bom ou ruim?