Brilhando até Jesus voltar

Relatório apresentado por Alberto C. Gulfan, então presidente da Divisão do Pacífico Sul-Asiático, no dia 8, enfatizou o trabalho pessoal das famílias e o investimento feito pela igreja nos centros de influência

relatorio Divisão do Pacífico Sul-Asiático - foto 1

Durante o último quinquênio, a Divisão do Pacífico Sul-Asiático (SSD, em inglês) se uniu à igreja mundial na ênfase sobre o reavivamento e a reforma como o coração da missão e do evangelismo. O slogan motivador, “Reavivamento, Reforma e Além” se tornou a base de programas e atividades em toda a região. A lógica para essa adaptação do slogan da igreja mundial é que, no passado, houve chamados ao reavivamento e à reforma que começaram com grande zelo e entusiasmo. Depois de um tempo, porém, o movimento minguou e desapareceu. Logo, a palavra “além” foi acrescentada para enfatizar o objetivo abrangente do reavivamento e do convite à reforma: o término da proclamação do evangelho, abrindo caminho para o retorno de Jesus.

Os programas da sede mundial foram contextualizados a fim de que os membros passassem a ser mais intencionais em sua vida de oração, no estudo da Bíblia e no testemunho pessoal. Os diretores de departamentos da SSD desenvolveram programas para suas áreas e garantiram o envolvimento de todos os ministérios, serviços e agências da igreja. A participação em semanas de oração anuais, e nas campanhas “Dez Dias de Oração” e “777”, bem como o estudo diário da Bíblia, foram encorajados em todos os níveis da organização da igreja.

Estilo de vida de evangelismo integrado

Foi concebido o plano de “Estilo de Vida de Evangelismo Integrado” (Evei) como guarda-chuva para cobrir todas as iniciativas de reavivamento e reforma da Divisão. Usando uma abordagem familiar, cada membro batizado é encorajado a se envolver de maneira pessoal em um ministério de amor e cuidado no lar e na sua vizinhança imediata, em parceria com a igreja local. Em essência, esse programa de longo prazo se concentra no testemunho pessoal e no cuidado aos novos membros da congregação.

Com essa abordagem familiar ao evangelismo, o Evei progride em três etapas ao longo do ano. Dois componentes principais tornam a iniciativa eficaz, quando conduzidos de maneira apropriada: a FI (família intercessora) e a FC (família cuidada). A FI é uma família adventista que dedica tempo em estudo da Bíblia e oração, experimentando reavivamento pessoal, ao mesmo tempo em que desenvolve bons relacionamentos no local em que vive. Embora o foco original sejam as famílias tradicionais, qualquer membro da Igreja Adventista pode convidar outros adventistas de seu círculo social para juntos formarem um grupo familiar.

Cuidado: um grupo de apoio da região central das Filipinas enfatiza a abordagem familiar, que inclui aspectos voltados especialmente para as crianças. Crédito: Kiona Costello/SSD

Cuidado: um grupo de apoio da região central das Filipinas enfatiza a abordagem familiar, que inclui aspectos voltados especialmente para as crianças. Crédito: Kiona Costello/SSD

Uma FI faz amizade com uma família que não faz parte da igreja, a fim de que se torne sua FC. O vínculo entre a FI e a FC derruba as barreiras à medida que a amizade cresce. Isso incentiva conversas abertas sobre vida familiar, saúde e questões espirituais. Um grupo de estudos semanal se forma entre essas duas famílias ou grupos familiares, usando materiais sobre saúde e família como ponto de partida.

Com o tempo, o grupo passa desses assuntos para o estudo da Bíblia. Enquanto isso, a igreja local realiza atividades comunitárias amistosas, com o objetivo de atender as FCs. Com o tempo, a FC é convidada para assistir a uma série evangelística. O objetivo dessa colaboração de longo prazo entre a FI e a congregação local é que a Igreja Adventista se torne um lar para a FC. Após o batismo, os novos membros continuam a se reunir semanalmente com seu grupo de cuidado para receber apoio e discipulado. Quando esse programa é colocado em prática de maneira apropriada, as Missões e Associações vivenciam um crescimento extraordinário.

A fim de chegar ao nível ideal de execução do programa, desde a instância local até os administradores tiveram acesso ao conceito de diversas maneiras. Os membros receberam materiais para usar nas igrejas locais. Sessões de treinamento sobre cuidado foram realizadas nas Uniões, Missões, Associações e instituições, bem como para os pastores distritais. Além disso, os administradores da igreja na região aceitaram o desafio de ser exemplos pessoais do programa.

Como resultado, os membros se fortaleceram espiritualmente e se envolveram mais. Ex-adventistas voltaram para a igreja e novos membros chegaram. Graças a isso, mais de 200 mil novos membros foram acrescentados no desafiador território da Divisão do Pacífico Sul-Asiático ao longo do último quinquênio.

Meios de comunicação

Além da ênfase no testemunho pessoal e nos relacionamentos individuais, a Divisão também se concentrou no uso da tecnologia para alcançar as pessoas em grande escala. Embora o método tradicional de compartilhar as boas-novas ainda seja eficaz, o uso da mídia impressa, da internet, do rádio e da televisão foram vigorosamente promovidos nas áreas em que se tem acesso a eles.

Em outubro de 2013, o Hope Channel Filipinas foi oficialmente inaugurado com a aquisição de uma franquia nacional de televisão e frequências nas principais cidades de todo o país. O Hope Channel Filipinas também é transmitido via satélite. Hoje há estações da emissora em três grandes cidades filipinas: Manila, Cebu e Cagayan de Oro. Mais de 20 rádios adventistas FM e AM veiculam programas positivos para todo o arquipélago. São produzidos programas nos quatro principais dialetos do país: tagalog, cebuano, hiligaynon e ilocano. A fim de apoiar a continuação das atividades, os membros da igreja se comprometeram a doar no mínimo 50 centavos a cada sábado.

Um sorriso amigável: funcionário do restaurante vegetariano Manna, no Laos, dá as boas-vindas aos clientes. Crédito: Teresa Costello/SSD

Um sorriso amigável: funcionário do restaurante vegetariano Manna, no Laos, dá as boas-vindas aos clientes. Crédito: Teresa Costello/SSD

Em 8 de agosto de 2014, o Hope Channel Indonésia também foi oficialmente inaugurado em Jacarta. Hoje milhões de indonésios assistem ao canal no próprio idioma. Uma pequena estação de rádio adventista FM foi inaugurada em Manado, North Sulawesi, Indonésia. Ela transmite as boas-novas do reino vindouro a cerca de meio milhão de pessoas.

Missão urbana

As regiões urbanas da Divisão consistem nos principais públicos de nossos ministérios tecnológicos. No entanto, também é necessária uma abordagem mais pessoal. A fim de atender a essa demanda, os adventistas que moram nas cidades da Divisão desenvolveram programas singulares de evangelismo em suas comunidades.

A iniciativa de evangelismo nas cidades conhecida como “Missão Urbana” foi completamente abraçada por aqui e lançada em caráter oficial no metrô de Manila, com a presença do presidente da igreja mundial, Ted Wilson, como orador principal. Além disso, 75 reuniões por satélite foram realizadas simultaneamente em diferentes partes de Manila ao longo da série de duas semanas.

Nos meses que antecederam a série evangelística, os membros e líderes da igreja se engajaram em diversos programas comunitários de evangelismo nas áreas de saúde e bem-estar, criação dos filhos, crianças e jovens, e atos de bondade. O projeto Um Ano em Missão, na Divisão do Pacífico Sul-Asiático, se concentrou no evangelismo da amizade no setor comercial de Manila, levando o estudo da Bíblia aos jovens profissionais da região.

Com mais de 3 mil pessoas batizadas durante a série evangelística de maio e 7 mil batismos resultantes dos programas comunitários relacionados, oferecidos pelas igrejas locais, Esperança Manila 2014 resultou em mais de 10 mil batismos.

Foi oferecido treinamento sobre evangelismo urbano em escolas de campo para os líderes de nove Uniões e duas Missões. Essa capacitação permitiu que iniciassem programas de missão urbana nas cidades da Malásia, de Mianmar, da Indonésia e de outras partes das Filipinas.

Centros de influência

Outra iniciativa de longo prazo de missão urbana corresponde aos centros de influência. Eles consistem em estabelecimentos de ministério holístico localizados em áreas urbanas populares, que oferecem serviços de acordo com as necessidades locais. Na Divisão do Pacífico Sul-Asiático, eles incluem restaurantes, escolas de música e de idiomas. Também têm o propósito de ser locais em que as pessoas possam desenvolver relacionamentos e encontrar uma sensação de pertencimento em meio aos novos amigos.

No Laos, um restaurante vegetariano localizado na capital, Vientiane, oferece alimentação saudável e aulas de melhoria de estilo de vida. Na Tailândia, os membros ofereceram aulas de saúde, culinária e música como programação prévia em 25 pontos de série evangelística. Após a série, o interesse pelas aulas de música continuou tão grande que foi aberto um conservatório para alcançar a comunidade. Existe até mesmo um centro móvel de influência em Kuala Lumpur, Malásia. Proveniente de um ministério urbano de saúde já consolidado, uma unidade médica móvel leva cuidados de saúde a regiões extremamente carentes da cidade.

Educação

Os cuidados com a saúde continuam a ser um método prático de atender as necessidades comunitárias. Todos os anos, incontáveis missões médicas são realizadas em muitos dos países da Divisão, proporcionando cuidados gratuitos de saúde às comunidades necessitadas.

Uma campanha universitária de doação de sangue realizada no campus da Universidade Internacional da Ásia e do Pacífico recebeu reconhecimento governamental depois de realizar uma clínica móvel de cirurgias oculares para a Cruz Vermelha da Tailândia.

Após 30 anos de sonhos, planejamento e oração, o programa educacional da Divisão deu uma grande virada depois da aprovação governamental para a abertura da primeira faculdade de Medicina adventista da Ásia. A Faculdade de Medicina da Universidade Adventista das Filipinas começará as aulas em agosto de 2015. Será o sexto curso de Medicina do sistema adventista de educação mundial.

Apoio a grupos marginalizados

Com mais de 70 grupos étnicos e centenas de dialetos em nosso território, temos um rico espectro cultural. Dentro dessa diversidade, contamos com uma série de grupos marginalizados, os quais procuramos alcançar ao longo dos últimos cinco anos.

Por exemplo, na região montanhosa das Filipinas, mais de 70 líderes protestantes do mesmo grupo tribal se converteram ao adventismo. O cuidado dispensado a esse grupo especializado continuou ao longo do quinquênio com centros culturais de comunhão e treinamento, e programas profissionalizantes. Graças a essas iniciativas, o número de conversos continua a crescer, ao passo que a conservação dos membros permanece estável. Em outras áreas da Divisão, adventistas dedicados ministram a grupos étnicos minoritários por meio de programas de alfabetização, projetos profissionalizantes e cuidados médicos.

ADRA Vietnã: agência humanitária continua a levar esperança para todas as partes do país. Crédito: ADRA Vietnã

ADRA Vietnã: agência humanitária continua a levar esperança para todas as partes do país. Crédito: ADRA Vietnã

ADRA

A Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA) continua a manter uma presença fundamental nos países da Divisão. Durante períodos de desastre, os voluntários da agência levam esperança e os suprimentos necessários para as pessoas mais afetadas. Após eventos trágicos, projetos de reabilitação e profissionalizantes cooperam para recuperar e manter o bem-estar das comunidades.

Em muitas regiões do sudeste da Ásia, existe um longo histórico não só desse apreciado serviço, mas também de melhoria das condições de vida. A ADRA Vietnã celebrou recentemente 25 anos de serviço no país e já iniciou mais de 200 projetos em meio a grupos marginalizados. Com o foco na saúde, na profissionalização, em questões ambientais e na educação, os últimos projetos envolveram prevenção de doenças, criação de microempresas, saneamento básico e bolsas estudantis.

Conclusão

Com quase 1 bilhão de habitantes nos 14 países no território da Divisão do Pacífico Sul-Asiático, a maioria deles não cristãos, os desafios são muitos. A liberdade religiosa tem sido desafiada em algumas dessas nações, ao mesmo tempo em que portas anteriormente fechadas estão se abrindo em outros.

Problemas sociais, como a pobreza e o secularismo, são avassaladores em algumas áreas. Mas nossos membros doam e servem com generosidade, da maneira que podem, apesar de tudo isso. Inquietações civis fazem parte da história em partes da região, mas nossas igrejas procuram ser centros de paz e de influência positiva.

Às vezes, parece uma tarefa quase impossível cumprir a missão da igreja nesta parte do mundo. No entanto, o serviço alegre, a atitude altruísta e a fé resiliente de nossos membros nos inspiram. Eles andam com Jesus por vilas pequenas, bairros lotados e labirintos metropolitanos levando palavras de ânimo, esperança por meio de seminários de saúde e entusiasmo pela melhoria do estilo de vida em longo prazo.

Com o poder do Espírito Santo, nós, da Divisão do Pacífico Sul-Asiático, acreditamos que, no tempo de Deus, a missão será concluída. Por tudo aquilo que foi realizado ao longo dos últimos cinco anos, atribuímos glória, honra e louvor a Deus. Nós agradecemos a ele pela suas bênçãos e sua orientação. Também somos gratos à Associação Geral e às outras organizações e instituições irmãs de todo o mundo pelo auxílio prestado no apoio à obra no território da Divisão. [Fonte: Adventist ReviewTradução: Cecília Eller Nascimento]