O voo da fé

Relatório apresentado por Blasious Ruguri, presidente da Divisão Centro-Leste Africana, no dia 5, mostra profissionalização da igreja numa das regiões em que o adventismo mais cresce

Alunos do ensino fundamental em uma escola adventista no Quênia. Crédito: departamento de comunicação da ECD. Foto: Adventist Review

Alunos do ensino fundamental em uma escola adventista no Quênia. Crédito: departamento de comunicação da ECD

Levantando-se das cinzas da guerra, da pobreza e do analfabetismo em admirável progresso e serviço cristão, uma grande história de missão continua a acontecer nessa região da igreja mundial. A Divisão Centro-Leste Africana (East-Central Africa Division — ECD), a mais nova da Igreja Adventista mundial, mesmo com imensos desafios a vencer, está entre as que crescem com maior rapidez.

O território tem uma população de mais de 350 milhões de habitantes, mas um total de membros de pouco mais de três milhões. Há muito trabalho a ser feito. Do ponto de vista humano, parece uma tarefa impossível. Contudo, além da fachada de aparente derrota e dos infindáveis desafios de um planeta assolado pelo pecado, os últimos cinco anos presenciaram o triunfo da missão nessa região como nunca antes. Desde o início do quinquênio, o projeto de Reavivamento e Reforma assumiu o palco central à medida que os líderes da igreja apresentaram um ambicioso plano estratégico que envolve tanto as iniciativas da igreja mundial quanto programas novos e ousados destinados a atender as necessidades e a realidade missionária local.

Mudança de imagem

Nós, cristãos, somos chamados não só para ser luz, mas também sal. Enquanto buscamos, vivemos e comunicamos a verdade encontrada em Jesus Cristo, reconhecemos que, sem visibilidade e sem encontrar as pessoas onde elas estão, fazemos pouco progresso. Nossa influência afeta o modo de transmitir a mensagem de esperança.

Por esse motivo, nossa sede criou um plano para tornar a igreja visível em suas comunidades. Essa ambiciosa iniciativa de branding incluiu a construção de novas estruturas e instalações, mas não se limitou a isso. Ela conta igualmente com o processo de conquista de pessoas, cuidado, cura e pregação. Isso se traduziu na fundação de novos templos e prédios administrativos, novos hospitais e novas estruturas em nossas instituições.

Temos a alegria de relatar progresso nessas áreas. Algumas se destacaram mais do que outras, porém todas tiveram avanços. Ainda superando a maré do genocídio, a União de Ruanda fez um progresso tremendo nesse aspecto.

A Universidade Adventista da África Central, em Kigali, Ruanda, concluiu importantes projetos, a começar por um auditório com capacidade para 2.500 pessoas sentadas, um moderníssimo prédio de Ciência e Tecnologia, e novos dormitórios, que estão em construção. Missões e associações locais construíram novos escritórios. Escolas e instituições da igreja se destacam como os melhores prédios nas áreas em que estão localizadas em todas as partes de Ruanda. Agradecemos a Deus por esse tamanho progresso.

De 2010 a 2015, foram fundadas 224 escolas adventistas. Mil professores foram acrescentados ao longo do mesmo período e 50 mil alunos. Em todo o território, templos modernos começaram a ser construídos, substituindo as antigas estruturas que serviam como casas de adoração. Nossos hospitais e instituições de saúde também passaram por reformas admiráveis. Estão sendo erguidos novos hospitais em Mwanza (Tanzânia), Bujumbura (Burundi) e Nairóbi (Quênia). Muitas outras instalações de saúde estão sendo construídas em nossa geografia, como a Clínica Adventista de Ruanda e o Centro de Esperança e Estilo de Vida em Kasese, Uganda.

Outros projetos notáveis concluídos incluem:

  • Auditório na Universidade Bugema, com capacidade para 5 mil pessoas sentadas.
  • Auditório multiuso e novo dormitório feminino na Universidade de Arusha.
  • Policlínica e dormitórios masculino e feminino na Universidade Adventista de Lukanga.
  • Estúdio com Centro de Mídia Adventista no campus Advent Hill.
  • Escritório da União-Missão Sul da Tanzânia.
  • Novo escritório da União e casa de hóspedes em Juba, Sudão do Sul (projeto).

info-relatorio-da-Divisão-Centro-Leste-Africana-foto-homeA Igreja Adventista nessa Divisão tem dado passos para conscientizar o público a respeito de sua existência e missão. Seguindo o programa do Dia Mundial do Jovem Adventista, liderado pelo Ministério Jovem, a visibilidade da igreja aumentou tremendamente nos dois últimos anos por meio de atos diversos de bondade e interação com a comunidade.

Foram organizadas atividades deliberadas para impactar a comunidade, incluindo serviço comunitário, doação de sangue, distribuição de literatura, serviços médicos, assistência em desastres, centros de resgate de crianças e muitas outras.

As iniciativas para aumentar a visibilidade da Divisão também foram impulsionadas com as visitas ao nosso território do presidente da Associação Geral, Ted Wilson. Elas despertaram a consciência acerca da existência da igreja nos países e nas cidades que ele visitou. Durante essas visitas, Wilson se reuniu com os presidentes de Burundi, Quênia, Ruanda e Tanzânia.

Foi investido mais de 1,5 milhão de dólares na capacitação de mais de 500 servidores em universidades locais. Entre eles, mais de 300 se graduaram na Universidade Adventista da África, no Kênia. Recursos dos “dízimos extraordinários” da Associação Geral auxiliaram na formação educacional de mais de 200 servidores da República Democrática do Congo, Burundi e Sudão do Sul, onde temos o menor número de pastores com diploma em Teologia.

Voando pela fé

O cerne das iniciativas da Divisão ao longo dos últimos cinco anos foi resumido no slogan “Destinados a voar”. Todos os ministérios e todas as instituições da Divisão concentraram seus esforços em cumprir a missão com agilidade, excelência e ousadia. Passamos a compreender esse conceito de missão como um voo de fé. Lançando mão dos métodos essenciais de pregação, ensino, cura e discipulado, cada programa e iniciativa foram projetados para alcançar resultados relevantes e significativos. Todos os departamentos e ministérios trabalharam em favor desse objetivo.

O Ministério da Mulher é um exemplo de programa de grande alcance evangelístico e, ao mesmo tempo, de cuidado que revolucionou nossa maneira de cumprir a missão daqui para frente nessa região. O tempo não é suficiente para relatar quanto foi feito nesse sentido.

O Ministério de Publicações continua prosperando, com um número de colportores-evangelistas que cresce a cada dia, todos eles concentrados em levar esperança a cada lar. A saúde e a educação têm sido, na maioria dos casos, portas de entrada bem-sucedidas. E as histórias de êxito são numerosas.

Líderes da Igreja Adventista se reúnem com o presidente de Ruanda. Crédito: departamento de comunicação da ECD

Líderes da Igreja Adventista se reúnem com o presidente de Ruanda. Crédito: departamento de comunicação da ECD

O total de membros da Divisão aumentou de 2.648.530, em 2010, para 3.046.313, em 31 de dezembro de 2014. As notáveis campanhas evangelísticas realizadas incluem:

Evento por via satélite “Chamas do Evangelho”. Com o apoio do ministério de comunicação e mídia em 2012, a Divisão realizou seu quarto evento via satélite com pregações de Blasious Ruguri, presidente da sede. A série evangelística intitulada “Chamas do Evangelho” foi gravada em Uganda e transmitida pelo canal de televisão Hope Channel.

Missão Urbana. Em 2013, mais uma grande campanha de missão urbana foi realizada em Kinshasa, República Democrática do Congo. Kinshasa é uma das cidades da Divisão com menos membros da igreja. A campanha, realizada por administradores e líderes de ministérios da Divisão, foi realizada em 14 pontos e resultou no batismo de 1.523 pessoas. Após o lançamento do projeto “Kinshasa para Cristo”, cada uma das doze Uniões identificou uma cidade para receber essa iniciativa e milhares de batismos ocorreram como resultado. O número total de membros continua a crescer.

Semanas e seminários de mordomia realizados anualmente em toda a Divisão são iniciativas que têm ajudado os membros a se transformarem em mordomos fiéis. O Ministério da Mordomia Cristã foi aperfeiçoado e, pela primeira vez, a Divisão conseguiu enviar à sede mundial um relatório dessa área. O percentual de membros dizimistas subiu de 19,5% em 2011 para 49% em dezembro de 2014. O alvo estratégico é alcançar 70% no fim de 2015.

Ministérios especiais

Ministério de surdos. Desde 2010, 503 surdos foram batizados. Cerca de 1.509 surdos frequentam a igreja regularmente na União Leste do Quênia. Um acampamento especial foi realizado em agosto de 2014. Cinco pastores surdos estão estudando Teologia na Universidade do Leste da África, em Baraton, e dez pregadores surdos leigos recebem um estipêndio mensal.

Programas de capelania. O ministério nas prisões do Quênia, da República Democrática do Congo, de Uganda e de Juba, no Sudão do Sul, tem obtido bons resultados missionários. No Quênia, 4.560 detentos foram batizados. Os membros adoram a Deus em 39 congregações dentro das prisões. Dez igrejas foram construídas e terrenos para outras vinte foram concedidos pelo governo à igreja.

Em Uganda, o ministério está pegando fogo em cidades como Amolatar, Jinja, Ishaka, Kasese e Kampala. O governo convidou a igreja para estender o ministério aos encarcerados a outras prisões do país. Em algumas delas, a denominação doou equipamentos de satélite para permitir aos detentos que assistam aos programas da igreja.

O cuidado dispensado aos estudantes das universidades públicas nunca foi tão bom, sobretudo no Quênia, onde o governo continua a remunerar capelães escolhidos pela igreja. Em alguns campi de universidades seculares, os administradores doaram terra para a construção de locais de adoração.

Ministério aos portadores do HIV/AIDS. As Uniões nomearam coordenadores para as vítimas de HIV/AIDS. Vários grupos de apoio aos portadores dessa doença foram organizados. Foram criadas associações de adventistas com HIV/AIDS e algumas estão registradas como organizações comunitárias, que oferecem uma série de programas.

Como parte dos esforços para transformar a própria comunidade em um local melhor para se viver, adventistas pintam uma delegacia na Tanzânia. Crédito: departamento de comunicação da ECD

Como parte dos esforços para transformar a própria comunidade em um local melhor para se viver, adventistas pintam uma delegacia na Tanzânia. Crédito: departamento de comunicação da ECD

Resultados

Neste quinquênio, a igreja na Divisão vivenciou o seguinte:

Os membros da igreja cresceram espiritualmente graças ao envolvimento comunitário em atos de compaixão e bondade. Muitas pessoas foram levadas a Cristo, reavivando a esperança.

O público geral se tornou mais ciente da presença da Igreja Adventista em seu meio e está procurando conhecê-la melhor. A mudança de percepção é vista com clareza em várias partes do território da Divisão.

Em uma área com mais de 350 milhões de habitantes, a igreja tem avançado com mensagens de esperança pelos meios de comunicação. A presença da igreja se faz sentir em lugares distantes e de difícil acesso. Vidas são positivamente transformadas todos os dias.

Sentimos alegria por pertencer a essa família global da fé e assumimos nossa posição com paixão e humildade. O processo de levar pessoas a Cristo — por meio do cuidado, ensino, da pregação e do discipulado — deve continuar enquanto aguardamos ansiosos a vinda de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Até esse dia chegar, lutaremos para nos unir na missão de preparar o mundo para o grande dia de reunião de todos os povos neste território da igreja mundial. [Fonte: Adventist Review / Tradução: Cecília Eller Nascimento]

Assista também à apresentação do relatório no vídeo abaixo

Márcio Tonetti View more

Márcio Tonetti
Editor associado da Revista Adventista