Presidente mundial da Igreja Adventista é reeleito

Em discurso após a reeleição, Ted Wilson convocou pastores e membros para se unirem na missão

reeleicao-ted-wilson

Wilson disse que estava preparado para qualquer tipo de decisão que fosse tomada na assembleia. Foto: reprodução Adventist Review

O pastor Ted Wilson continuará exercendo a função de líder máximo dos 18,5 milhões de adventistas no mundo durante os próximos cinco anos. Com a aprovação de cerca de 90% dos delegados, ele foi reeleito na tarde desta sexta-feira, 3, após um momento histórico de observações no plenário da assembleia que durou aproximadamente 40 minutos. Ao ser reconduzido ao cargo, ele foi aplaudido pelo auditório.

Após a decisão, acompanhado da esposa Nancy, Wilson fez um breve discurso no qual convocou pastores e membros para se unirem na missão. O pastor Ted Wilson também prometeu buscar diariamente a direção de Deus para liderar a igreja, assim como procurou fazer ao longo da primeira gestão.

Depois disso, ele seguiu para a tradicional coletiva de imprensa. Na conversa com os jornalistas, destacou que a oração e a missão devem continuar sendo as principais ênfases da igreja no próximo quinquênio.

O homem por trás da função

Até quem discorda da posição do líder mundial adventista sobre a ordenação de mulheres, reconhece que o pastor Ted Wilson é um homem bondoso e apaixonado pelo evangelismo. Quem o descreve assim é o pastor Chad Stuart, líder da Igreja de Spencerville, que fica a 10 km da sede mundial adventista, em Silver Spring, Maryland (EUA).

A entrevista feita por Chad e publicada no site da Adventist Review procura retratar um pouco do homem que está por trás da função. O jovem ministro diz que o presidente da igreja é conhecido por orar com os funcionários do escritório mesmo em meio à sua agenda lotada e de deixar cartões pessoais e flores sobre a mesa de um servidor que está enlutado ou que ficou afastado do trabalho por causa de uma doença. Atitudes como essa mostram a sensibilidade do líder em demonstrar compaixão, cristianismo autêntico e até respeito por quem pensa diferente dele.

Na conversa com Chad, Ted Wilson falou do que sentiu quando foi eleito em 2010 e dos valores que recebeu do pai Neal Wilson, que presidiu a denominação de 1978 a 1990, e das diferenças de personalidade entre os dois. Ressaltou que a igreja não é dirigida por um homem apenas, mas por colegiados, o que exige habilidade para ouvir opiniões diversas. Também destacou que não está nervoso em relação à votação sobre a ordenação feminina ao ministério, porque acredita que Deus está no leme da igreja. “Se o Espírito Santo não estivesse dirigindo esse movimento,
ele teria sido desintegrado há muito tempo”, garantiu.

Por fim, Ted Wilson falou de seu entusiasmo com a distribuição, aos milhões, do livro O Grande Conflito, best-seller adventista de autoria de Ellen G. White. E do seu sonho de ver a igreja trabalhando de forma mais intensa, estratégica e holística nas metrópoles, conforme orientou a mensageria do Senhor há mais de cem anos.

Trajetória

Ted Wilson foi eleito como presidente mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia em julho de 2010 durante a assembleia mundial de Atlanta. Nascido em Takoma Park, Maryland (EUA), em 10 de maio de 1950, o filho do ex-presidente mundial da Igreja Adventista Neal C. Wilson passou parte de sua infância no Egito.

Ele começou sua carreira como pastor em 1974 em New York. Em 1975, se casou com a fisioterapeuta Nancy Louise Vollmer Wilson, com quem teve três filhas.

Wilson serviu como diretor assistente e depois como diretor de Ministérios Metropolitanos em Nova York de 1976 a 1981. Logo depois, passou a servir a igreja na Divisão Sul-Africana Oceano Índico como departamental e secretário-executivo.

Sua trajetória também passa pela Rússia, onde exerceu o cargo de presidente da Divisão Euro-Asiática, com sede em Moscou, entre 1992 e 1996.

Ted Wilson retornou aos Estados Unidos para servir como presidente da Review and Herald Publishing Association, em Hagerstown, Maryland, até sua eleição como vice-presidente mundial da Igreja Adventista em 2000, durante a assembleia de Toronto, no Canadá.

Wilson tem doutorado em Filosofia na Educação pela New York University, mestrado em Divindade pela Andrews University e mestrado em Saúde Pública pela Loma Linda University. Além de Inglês, ele fala francês e um pouco de russo. [Márcio Tonetti e Wendel Lima, equipe RA / Com informações do site adventist.org]


LEIA TAMBÉM

Líder mundial desafia a igreja a seguir adiante


Para saber +

Presidente eleito mais velho

John Byington, 65 anos de idade

Presidente eleito mais jovem

George I. Butler, 37 anos de idade

Presidente reeleito mais vezes

Tiago White, 1865—1867; 1869—1871; 1874—1880

Presidente que exerceu o cargo por mais tempo

Arthur G. Daniells, 21 anos

Presidentes que ficaram menos tempo na função

John Byington, dois anos

John N. Andrews, dois anos

Presidentes não americanos

Ole A. Olsen, Noruega

Charles H. Watson, Austrália

Robert S. Folkenberg, Porto Rico

Jan Paulsen, Noruega

Média de idade dos presidentes quando assumiram o cargo

52,7 anos de idade

Fonte: Adventist Review / Com tradução de Cecília Eller Nascimento

Líder mundial desafia igreja a seguir adiante

Pastor Ted Wilson enfatiza continuidade ao apresentar relatório de sua gestão

assembleia-San-Antonio-2015-02.07-creditos-leonidas-guedes-19

Seguindo a tradição de dedicar a primeira noite das assembleias mundiais da Igreja Adventista para o relatório do presidente, na noite de ontem, dia 2, em San Antonio (Texas), os delegados acompanharam um resumo dos principais projetos da gestão de cinco anos do pastor Ted Wilson. O relatório, que se estendeu por cerca de 1h30, foi entrecortado por vídeos que apresentaram as iniciativas mais importantes da sede mundial no quinquênio.

Neto de pastor e filho de um ex-presidente da Associação Geral, Neal Wilson, o líder mundial foi eleito para a função na assembleia de 2010, em Atlanta (Geórgia), assumindo um discurso claro de reavivamento e reforma espiritual. “O desafio de seguir em frente não foi lançado no último quinquênio, mas há milhares de anos”, disse Wilson, ao fazer referência aos desafios do povo de Deus ao longo da história. No vídeo preparado para o relatório, o líder aparece em lugares importantes da Terra Santa, como a cadeia de montanhas do Sinai e diante do Mar Vermelho, refletindo sobre a experiência dos israelitas. Wilson também destacou que Deus tem guiado sua igreja desde o começo humilde no século 19 até hoje, quando ela é apontada como a quinta maior denominação do mundo e a que mais cresce entre as igrejas protestantes.

Olhando para trás

No relatório, Wilson relembrou as ênfases do quinquênio. Ele incentivou cada membro a buscar um reavivamento e reforma pessoal e a orar pela atuação final do Espírito Santo na igreja e no mundo. Esse apelo urgente do líder foi expresso no primeiro concílio anual de sua gestão, em 2010, quando foi votado o documento “Reavivamento, Reforma, Discipulado e Evangelismo”. Dois desdobramentos práticos dessa declaração foram o projeto Reavivados por Sua Palavra, que incentivou a leitura diária de um capítulo da Bíblia, e a campanha dos dez dias de oração e dez horas de jejum.

Nos discursos, Ted Wilson tem enfatizado a origem, identidade e missão profética do movimento adventista. Tem sido duro também contra os teólogos e cientistas que trabalham para a denominação e flertam com o evolucionismo teísta. Em agosto de 2014, no sul de Utah, num congresso sobre Bíblia e ciência, ele chegou a pedir que os professores que assumem essa postura em sala de aula, deveriam ser fiéis à própria consciência e pedir demissão (leia mais sobre isso aqui). No relatório, Wilson elogiou o trabalho sério de pesquisa realizado pelo Instituto de Pesquisas em Geociências, a produção do filme A Criação e os eventos sobre criacionismo realizados ao redor do mundo.

Literatura e missão urbana

Wilson também tem demonstrado grande apreço pelos escritos de Ellen White. Isso fica claro em seus sermões e artigos, ao citar vários textos da mensageira do Senhor e ao usar os trechos mais conhecidos da pioneira como base para projetos institucionais. Assim ele fez em relação à ênfase no reavivamento e reforma, principal mote de sua gestão, bem como em relação ao projeto de distribuição de literatura e evangelismo urbano. Foi no último quinquênio que 140 milhões de exemplares do livro O Grande Conflito, e versões condensadas dele, foram entregues ao redor do mundo. Somente no Brasil, 35 milhões de cópias de A Grande Esperança foram entregues em 2012 e 2013 (clique aqui para saber mais).

Foi no último quinquênio também que a denominação fez um grande esforço para que Nova York sediasse um projeto-piloto de missão urbana. Para tanto, jovens de todas as regiões do mundo participaram da iniciativa com o intuito de replicá-la em sua terra natal (projeto “Um ano em missão”). Como resultado, mais do que dezenas de projetos sociais, 400 pontos de pregação e 5.300 pessoas batizadas, o programa, na visão de Wilson, teve o papel de lembrar que a orientação de Ellen White sobre o trabalho nas metrópoles exige uma abordagem mais completa e a longo prazo do que a que temos utilizado.

O entusiasmo do presidente por evangelismo urbano vem de longa data. Wilson começou seu ministério pastoral em Nova York e pesquisou em sua tese doutoral, na Universidade de Nova York, o que Ellen White propõe como estratégias evangelísticas para a Big Apple. Conselhos que podem servir de protótipo para qualquer metrópole mundial. Nos últimos cinco anos, o líder fez questão também de dirigir pessoalmente várias séries evangelísticas, seja nas Filipinas, onde 10 mil pessoas foram batizadas, ou mais recentemente no Zimbábue, onde 30 mil se uniram à igreja. Para dar respaldo teológico e fomentar o envolvimento dos adventistas na iniciativa “Missão para as cidades”, foi lançado no último quinquênio o livro Ministério para as Cidades, uma compilação dos escritos de Ellen White sobre o tema.

Saúde e web

Atrelada a essa visão sobre missão urbana, a sede mundial incentivou a prática e o ensino da mensagem de saúde, prova disso é o assunto do livro missionário deste ano, Viva com Esperança, distribuído aos milhões na América do Sul no fim de maio. Wilson chama de “evangelismo transformacional” a combinação de pregação e cuidados com a saúde. Essa foi a tônica de uma conferência realizada em Genebra, Suíça, em julho de 2014, para 1.300 delegados de 83 países. Outro investimento da igreja nos últimos anos foi a evangelização via internet. Os encontros mundiais de profissionais da web (GAiN) ganharam versões regionais, a exemplo da América do Sul, e neste ano teve sua primeira edição online.

Em seu discurso, Ted Wilson se valeu da atuação de Deus no passado para inspirar os fiéis a confiarem na condução dele no futuro. De 2010 a 2015, o adventismo celebrou datas importantes: os 150 anos da escolha do nome da denominação (2010), da organização da igreja (2013) e dos cem anos da morte de Ellen White (2015). Evidências de que os adventistas já estão fazendo hora extra aqui na Terra e, portanto, precisam resgatar o senso de urgência em relação ao tempo em que vivem. Afinal, como disse Wilson: “chegamos à beira da eternidade”. [Wendel Lima, equipe RA]


LEIA TAMBÉM

Presidente mundial da Igreja Adventista é reeleito

 

Atividades paralelas

IMG_5537

Entre uma reunião e outra, os participantes da assembleia mundial da igreja aproveitam para visitar os estandes dos expositores, ganhar lembrancinhas e comprar materiais. [Informações e fotos: Marcos De Benedicto]

VEJA OUTRAS IMAGENS DOS ESTANDES