Centro de influência chinês

Projeto inaugurado em Honduras vai atender população asiática com cursos na área da saúde e aulas de idioma                                                                                                                
Foto: Honduras Union

A comunidade chinesa em Honduras não é tão grande quanto a de países como Estados Unidos, Canadá e Peru. Mesmo assim, a Igreja Adventista decidiu abrir um centro comunitário que estará à disposição de um grupo de 7 mil asiáticos e descendentes desses imigrantes da China que vivem no país da América Central.

No espaço que foi inaugurado no início de março em Tegucigalpa, capital de Honduras, com a presença da embaixadora da República da China (Taiwan) em Honduras, serão oferecidos cursos de culinária e orientações sobre estilo de vida. A lista de serviços também irá incluir aulas de espanhol e de mandarim, a fim de que especialmente as novas gerações mantenham contato com sua própria cultura. O centro comunitário será liderado pelo pastor Hsiang-Po Chang e a esposa, Mei Yu Lai, que chegaram em Honduras no mês de novembro.

Esse é o terceiro centro de influência adventista chinês na América Central. O primeiro foi estabelecido na República Dominicana há mais de três anos e segundo, no Panamá, há seis meses. O projeto, que irá funcionar no prédio do escritório da ADRA, conta com o apoio da sede administrativa mundial adventista. [Da Redação / Com informações de Libna Stevens e Adventist Review]

Veja também

Princípios editoriais

Documento busca harmonizar a visão e abordagem sobre assuntos gerais e específicos tratados pelos veículos de comunicação da igreja.