Assembleia mundial é adiada

Suspender eventos tem sido uma medida para frear a pandemia de coronavírus, razão que levou a igreja a postergar sua principal reunião administrativa

FELIPE LEMOS
A última assembleia da Associação Geral aconteceu em 2015, na cidade de San Antonio, no Texas (EUA) e reuniu mais de 60 mil pessoas

Realizada a cada cinco anos, a Assembleia da Associação Geral da Igreja Adventista costuma reunir milhares de pessoas vindas de todas as partes do mundo. Neste ano, a reunião administrativa mais importante da denominação aconteceria nos dias 25 de junho a 4 de julho em Indianapolis, no estado de Indiana (EUA). Mas, assim como ocorreu com outros eventos menores do calendário eclesiástico, a liderança adventista viu a necessidade de alterar a agenda por conta da pandemia de coronavírus.

Com ampla maioria de votos a favor, a Comissão Diretiva da sede mundial adventista, que se reuniu nesta quinta-feira (19) por meio de videoconferência, postergou o evento para os dias 20 a 25 de maio de 2021. A cidade escolhida para a assembleia não mudou, mas a igreja votou mudanças no número de participantes. A intenção é que público seja restrito aos delegados oficialmente designados, encarregados de tomar as decisões.

A Comissão também entendeu que, mesmo com o controle da pandemia nos próximos meses, não haveria viabilidade para a realização da assembleia em tempo hábil, já que isso envolve questões de estrutura física, deslocamento dos participantes, entre outros fatores.

Conectado por meio de videoconferência, assim como os aproximadamente 250 integrantes da Comissão Diretiva que estavam espalhados por outros países, o diretor mundial de saúde da Igreja Adventista, Peter Landless, reforçou a importância dos cuidados pessoais contra o coronavírus e alertou sobre a gravidade da pandemia em nível global.

O presidente mundial da denominação, pastor Ted Wilson, deixou claro que a ideia de alterar a data da assembleia não é confortável e nem pretendida. Ao longo de várias semanas, um grupo foi designado para estudar o assunto, o que incluiu profissionais de saúde, consultores jurídicos e administradores. Nos últimos dias, o Comitê Internacional de Crises da Igreja e o Comitê Administrativo da Associação Geral (ADCOM) discutiram outros planos possíveis.

Com a decisão emergencial, posteriormente serão divulgadas outras definições relacionadas à organização da própria assembleia, bem como nomeações de líderes da Associação Geral e de suas 13 Divisões (sedes administrativas responsáveis pelas atividades da Igreja em um grupo de países).

O pastor Erton Köhler, presidente da Igreja Adventista na América do Sul, ressaltou que a decisão demonstra a preocupação da igreja com a saúde dos participantes, em sintonia com aquilo que os organismos de saúde recomendam. “Estamos em um momento delicado e devemos adotar medidas para preservar a saúde de nossos membros e de nossas comunidades. Embora a assembleia esteja adiada, a Igreja Adventista em todo o mundo continuará a trabalhar para que mais pessoas tenham esperança e se preparem para o retorno de Jesus”, sublinha.

FELIPE LEMOS é jornalista e gerencia a equipe da assessoria de comunicação da sede sul-americana da Igreja Adventista

Veja também

O poder da influência

O fenômeno dos influenciadores chegou às igrejas. Isso é bom ou ruim?