A editora que começou em uma tenda

2 minutos de leitura

Com 108 anos de história, Casa Publicadora das Filipinas inaugura nova matriz

Edward Rodriguez e Adventist World

Agora em nova sede, a editora centenária das Filipinas pretende ampliar o alcance da literatura adventista por meio de seus 94 servidores, 25 filiais e 3 mil colportores. Foto: Vinz Matias

Quem diria que uma gráfica improvisada em uma tenda se tornaria uma das maiores editoras adventistas da Ásia! Cento e oito anos depois de sua fundação, essa instituição celebrou mais um capítulo de sua história e de seus ministério frutífero. No dia 19 de janeiro, a sede da Casa Publicadora Filipina passou a funcionar em novo endereço. O prédio da nova matriz fica na Agnaldo Highway, em Silang, Cavite.

“Após anos de planejamento e construção, nosso sonho finalmente se tornou realidade”, disse Florante P. Ty, que dirigiu a instituição nos últimos 16 anos. “A princípio, o desafio parecia insuperável, mas com o Senhor nada é impossível”, completou.

Em razão da pandemia, o programa de inauguração foi semipresencial. Líderes adventistas da Divisão do Pacífico Sul-Asiático, da União Filipina, bem como diretores de Publicações e colportores evangelistas se reuniram para a cerimônia de dedicação das novas instalações. Conforme foi destacado pelos participantes, a instituição permanece como testemunha de milhares de histórias de sucesso e milagres operados na vida daqueles que se tornaram instrumentos para tocar e ser tocados por meio da obra de publicações.

Em seu discurso de boas-vindas, Ty expressou gratidão àqueles que apoiaram o projeto e nele acreditaram. “O que parecia ser uma façanha impossível acabou sendo uma oportunidade para a generosidade e providência de Deus durante todo o projeto”, ele enfatizou. “Ainda há muito trabalho a ser feito. A obra não está terminada. Sempre haverá desafios, mas a Casa Publicadora Filipina continuará a publicar livros para que mais pessoas saibam do breve retorno de Jesus. A obra do Senhor não deve ser dificultada por motivos humanos, porque Ele é generoso. O Senhor provê”, Ty acrescentou.

Saw Samuel, presidente da sede administrativa da igreja para a região do Pacífico Sul-Asiático, disse que acredita no movimento e na efetividade do ministério de Publicações e que estava impressionado ao testemunhar o que a fé pode fazer. “Vamos continuar avançando e conquistando”, disse o pastor Samuel. “Quer o futuro seja promissor ou desanimador, onde quer que Deus nos leve, seja qual for Seu pedido, seja quem for que Ele escolher para nos dirigir, continuaremos a servir”, destacou.

Após a inauguração bem-­sucedida e uma visita às novas instalações, a Casa Publicadora Filipina realizou sua 12ª Reunião Diretiva Anual. Ty, que liderou a instituição por 16 anos, expressou seu desejo de se aposentar. Por essa razão, a comissão elegeu Leonardo Heyasa Jr. como novo diretor-geral e Joel Silva como vice-diretor financeiro.

Em sua nova sede, a Casa Publicadora Filipina terá a missão de divulgar livros, revistas e materiais didáticos por meio dos seus 94 servidores, 25 filiais e aproximadamente 3 mil colportores evangelistas em todo o país. O plano dos líderes da instituição é explorar oportunidades para o evangelismo digital, a fim de levar a mensagem do advento a cada lar das Filipinas e de outros lugares.

(Notícia publicada originalmente na edição de março de 2022 da Revista Adventista / Adventist World)

Última atualização em 18 de março de 2022 por Márcio Tonetti.

Sobre Da redação

Da redação
Equipe RA

Veja Também

Perfil pastoral

Pesquisa mostra quem são os pastores que lideram as congregações adventistas na América do Sul.