Atenção

Apelo aos chefes de estado

1 minuto de leitura

Líder adventista discursa na União Africana durante encontro anual de chefes de estado e pede que eles respeitem a dignidade humana

Sede da União Africana, em
Sede da União Africana, em Adis Abeba, na Etiópia: palco da 26ª Assembleia da União Africana, que reuniu 54 chefes de estado do continente. Créditos da imagem: departamento de Liberdade Religiosa da Associação Geral

Durante a 26ª Sessão Ordinária da Assembleia da União Africana, realizada nos dias 30 e 31 de janeiro em Addis Abeba, Etiópia, o Dr. Ganoune Diop, diretor de Relações Públicas e Liberdade Religiosa da Igreja Adventista em nível mundial, apelou os 54 chefes de estado presentes no encontro para que respeitem a dignidade humana como um princípio fundamental da boa administração governamental. Ele discursou no Encontro de Oração da União Africana, evento que acontece paralelamente à reunião de cúpula que, neste ano, tratou de temas como direitos humanos, violência e extremismo, educação e os desafios para o desenvolvimento econômico do continente africano.

“A dignidade humana não é apenas um valor a ser classificado entre outros valores, mas um princípio fundamental que sustenta todos os direitos humanos em pactos, tratados e convenções internacionais”, ele expressou.

Diop orou para que os líderes presente à reunião de cúpula da União Africana tenham a coragem de recusar a violência em todas as suas formas, e para que reflitam o caráter de Deus, buscando “liberdade, justiça, paz e amor”.

Líder mundial de liberdade religiosa discursa na sede da União Africana
Ganoune Diop (à esquerda), com Erastus Mwencha, vice-presidente da Comissão da União Africana. Créditos da imagem: departamento de Liberdade Religiosa da Associação Geral

Após sua participação no evento, Diop disse que representar a igreja no encontro anual da União Africana foi uma grande oportunidade para reforçar aquilo que tem sido um valor fundamental para os adventistas. “Esse princípio embasa a visão adventista da liberdade de religião e de crença, bem como o compromisso global da igreja para melhorar a vida das pessoas através seus projetos na área da saúde, educação e apoio humanitário”, concluiu. [Equipe RA, da redação / Com informações de Bettina Krause/Adventist Review]

Última atualização em 16 de outubro de 2017 por Márcio Tonetti.

Sobre Da redação

Da redação
Equipe RA

Veja Também

Nem só de pão

Os benefícios do jejum, que vão além dos aspectos espirituais e físicos, precisam ser redescobertos e reivindicados pelos cristãos.